Resenha 392 | Tartarugas até lá embaixo

Oi, pessoal, tudo bem?

Nessa semana especial "Tartarugas até lá embaixo", nada melhor que começar com a resenha do livro. Já leram? Querem ler? Estão com medo? Eu conto tudo abaixo.

Livro: Tartarugas até lá embaixo
Autor: John Green
Editora: Intrínseca
Páginas: 256
Livro cedido através da parceria com a editora




Sinopse: Depois de seis anos, milhões de livros vendidos, dois filmes de sucesso e uma legião de fãs apaixonados ao redor do mundo, John Green, autor do inesquecível A culpa é das estrelas, lança o mais pessoal de todos os seus romances: Tartarugas até lá embaixo. A história acompanha a jornada de Aza Holmes, uma menina de 16 anos que sai em busca de um bilionário misteriosamente desaparecido – quem encontrá-lo receberá uma polpuda recompensa em dinheiro – enquanto lida com o transtorno obsessivo-compulsivo (TOC). Repleto de referências da vida do autor – entre elas, a tão marcada paixão pela cultura pop e o TOC, transtorno mental que o afeta desde a infância –, Tartarugas até lá embaixo tem tudo o que fez de John Green um dos mais queridos autores contemporâneos. Um livro incrível, recheado de frases sublinháveis, que fala de amizades duradouras e reencontros inesperados, fan-fics de Star Wars e – por que não? – peculiares répteis neozelandeses.

Foram seis anos de espera por um novo livro daquele que encantou todo mundo com o seu "A culpa é das estrelas".Em "Tartarugas até lá embaixo" John Green fala sobre transtorno obsessivo-compulsivo ao nos apresentar Aza, uma adolescente de 16 anos que morre de medo de todas as bactérias que podem habitar o seu corpo ou daquelas que ela pode adquirir através do contato com outras pessoas. Constantemente ela se vê presa em uma enorme espiral onde se questiona se consegue ou não estar no controle de sua própria vida.

Para ajudá-la a conviver melhor com toda essa insegurança, Aza conta com a ajuda de Daisy (absolutamente a melhor personagem que John Green já escreveu. Vou detalhar melhor abaixo ou/e outro post) Daisy simplesmente escreve fanfics de Star Wars cujo casal principal é ninguém menos que Ray e Chewbacca (POIS É!!). Além da maravilhosa imaginação para escrever histórias na internet, é também de Daisy a ideia de tentar desvendar o desaparecimento de um milionário que estava prestes a ser preso. A recompensa para quem ajudar a encontrá-lo é grande e Daisy tem certeza de que ela e a sua melhor amiga conseguem encontrar alguma pista. 

Por trás dessa aventura, John Green mostra como o TOC pode afetar de diferentes formas o dia-a-dia de quem sofre com isso. Esse é um livro muito pessoal do autor, que também foi diagnosticado com transtornos obsessivos. Mas, se por um lado ele apresente o "problema", John Green também traz a solução ao mostrar que os nossos medos não devem ser capazes de paralisar nossas vidas.

Antissépticos, várias caixas de band-aid, um réptil neozelandês capaz de viver por séculos, referências nerds, o primeiro amor e várias lições de amizade pautam essa história que pode não ser a melhor do John Green, porém, com certeza, é a mais perturbadora.

Senti falta de diálogos memoráveis como os de "A culpa é das estrelas", por exemplo. Terminei o livro sem me lembrar de nenhuma frase marcante. Contudo, uma coisa é certa, a história da Aza é forte e é apresentada de uma forma muito crua (no sentido de falar de uma realidade sem nenhuma maquiagem) e sincera.

Toda a espera valeu a pena.



1 comentários:

  1. Oi Kel!
    Eu não estava muito interessada nesse livro quando a divulgação começou mas depois de ver tanta gente falando bem, agora quero até dar uma chance!
    Acho esse tema do TOC mt interessante e quero ver alguém que vive isso contando mais sobre. Normalmente nós levamos esse distúrbio como uma piada, e com certeza não é nada engraçado pra quem vive ele. :/
    Beijos!

    Mais Uma Página

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita!
Todos os comentários deixados aqui serão carinhosamente retribuídos.
Para isso, basta deixar o endereço do seu blog!
Mas antes de comentar, lembre-se de que esse post foi feito
com muito carinho, então, se vai comentar
"oi, fiz postagem nova, me visita" ou fazer um comentário
apenas de divulgação, este não será aceito.
Obrigada pela compreensão!
Já está seguindo o blog no Google Friends? Então não perca tempo!