Resenha 376 | Jackaby

Olar! A resenha de hoje é sobre um livro que ADOREI e estou muito ansioso pela continuação. Vamos ver?

Título: Jackaby
Autora: William Ritter
Páginas: 256
Editora: Única



Sinopse: Abigail Rook deixou sua família na Inglaterra para encontrar uma vida mais empolgante além dos limites de seu lar. Entre caminhos e descaminhos, no gelado janeiro de 1892 ela desembarca na cidade de New Fiddleham. Tudo o que precisa é de um emprego de verdade, então, sua busca a leva diretamente para Jackaby, o estranho detetive que afirma ser capaz de identificar o sobrenatural. Contratada como assistente, em seu primeiro dia de trabalho Abigail se vê no meio de um caso emocionante: um serial killer está à solta na cidade. A polícia está convencida de que se trata de um vilão comum, contudo, para Jackaby, o assassino com certeza não é uma criatura humana. Será que Abigail conseguirá acompanhar os passos desse homem tão excêntrico? Ela finalmente encontrou a aventura com a qual tanto sonhara. Prepare-se para desvendar este mistério! Um livro destinado aos fãs de Sherlock Holmes e Doctor Who.

Abigail Rook chega a New Fiddleham lembrando-se do que fez; largou os estudos e usou o dinheiro para ir em busca de sua própria aventura (meio fracassada, pode-se assim dizer); ela estava cansada de ver seu pai participar de toda a ação e ter de se comportar como uma dama, quando o realmente queria era estar junto a ele. 

Decidida a mudar os acontecimentos, ela desembarca em New Fiddleham e parte em busca de um emprego, que pague o suficiente para que ela não precise dormir na rua e ainda sobre um pouco para ela poder se alimentar. Em meio à sua busca, ela se depara com Jackaby, um homem curioso, não levado a sério pelas pessoas da cidade. Ele é um detetive, mas afirma que não é um detetive comum; ele vê o que os outros não veem e sabe o que outros não sabem, e diz que muitas vezes os acontecimentos estão além da compreensão humana. Sem oportunidades além desta e um tanto intrigada, Abigail acaba se tornando sua auxiliar.

Isso me permite ver a verdade quando os outros só enxergam a ilusão. E há muitas ilusões, muitas máscaras e fachadas. Como dizem, o mundo todo é um palco e parece que eu tenho a única poltrona da casa, com a vista para os bastidores.

Sempre em busca de aventuras, Abigail se sente animada quando já começa seu trabalho em meio a um misterioso caso: mortes estranhas começam a acontecer na cidade, deixando poucas pistas. Jackaby de cara percebe que não se trata de um simples serial killer e precisa driblar a polícia para tentar entrar no caso. Suspeitos começam a aparecer e o perigo se torna mais iminente; Abigail é avisada de que sua morte está próxima, mas quão perto ela está do seu destino? Ninguém é o que parece ser.


Venho esperando pelo lançamento de Jackaby desde quando foi anunciado que a Única o publicaria; já era super afim de lê-lo quando foi lançado no exterior, então foi uma alegria imensa poder ler o livro e tê-lo em mãos. O livro não é bem o que eu esperava (sabem que não leio sinopses, me interesso pela capa haha), mas nem por isso deixei de adorar a leitura.

Para começar, preciso elogiar a escrita do William Ritter. OMG, que livro lindo de se ler haha A escrita do autor é muito curiosa, divertida e envolvente ao mesmo tempo. O livro tem um estilo bem jovem (nada esperado, levando em conta que a trama se passa em 1800 e alguma coisa e livros do tipo geralmente são mais vintage haha), com uma narrativa repleta de humor e aventura.

Jackaby é um personagem encantador; ele parece meio ranzinza no começo, mas logo se mostra um cara bem doidinho, mas engraçado e super legal. Abigail também não se sai mal; ela é determinada e não tem medo do que pode acontecer, disposta a tudo por seus amigos e pelos seus sonhos. 

A trama dispensa comentários; quando soube que era sobre assassinatos e investigações até desanimei um pouco, pois isso não faz meu estilo, mas estava super enganado. William Ritter nos apresenta uma história incrível, que mistura suspense com fantasia, com uma pegada de urban fantasy que deixa um gostinho de quero mais quando se termina a leitura. Estou desesperado por Beastly Bones, a continuação.

Sobre o físico do livro, só tenho uma coisa a reclamar: na revisão ou diagramação, não sei, pode ter ocorrido um erro da parte da editora. Durante a leitura, alguns diálogos se misturam e logo quando começamos a ler ficamos um pouco confusos; depois de um tempo, dá pra se acostumar, mas realmente precisa ser corrigido. Fora isso, a capa é LINDA DEMAIS <3 e o design interno também fico maravilhoso.

Em suma: LEIAM LOGO ESSE LIVRO!



1 comentários:

  1. Vamos ser honestos: essa capa é que faz a gente querer saber do livro, é linda demais! Adorei a premissa do livro e um detetive excêntrico é sempre divertido, não é Sherlock? não é Strike (O Chamado do Cuco)?
    podemos esperar um detetive brilhante assim? fico com um pé atrás com personagens sobrenaturais, por que normalmente é aproveitado um ser conhecido como um vampiro ou um lobisomem, por exemplo, e aí não se aprofundam nesses personagens, não é bem explicado e muitas vezes não possui algo original na sua mitologia, mas apesar disso fiquei curiosa e talvez aposte nesse livro. Eu gosto de livro policial kkkk

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita!
Todos os comentários deixados aqui serão carinhosamente retribuídos.
Para isso, basta deixar o endereço do seu blog!
Mas antes de comentar, lembre-se de que esse post foi feito
com muito carinho, então, se vai comentar
"oi, fiz postagem nova, me visita" ou fazer um comentário
apenas de divulgação, este não será aceito.
Obrigada pela compreensão!
Já está seguindo o blog no Google Friends? Então não perca tempo!