# Sessão Cinema // Trumbo

Oi gente, tudo bem?

Eu sou a Mari Sacramento, do blog Cantinho de Leitura da Mari e, à convite da Kel, fui representando o blog Por uma Boa Leitura na cabine de imprensa do filme Trumbo - A Lista Negra, realizada pela Editora Intrínseca na quinta-feira, dia 14/01. Eu sou apaixonada por cinema e agradeço a oportunidade de assistir o filme em primeira mão.

Título: Trumbo
Direção: Ray Roach
Elenco: Bryan Cranston, Michael Stuhlbarg, Diane Lane, Elle Fanning, Diane Lane
Distribuidor: California Filmes
Lançamento: 28 de janeiro de 2016 (2h4min)


Sinopse: O roteirista Dalton Trumbo (Bryan Cranston) tem uma história singular em Hollywood: apesar de ter escrito algumas das histórias de maior sucesso da época, como A Princesa e o Plebeu (1953), ele se recusou a cooperar com o Comitê de Atividades Antiamericanas do congresso e acabou preso e proibido de trabalhar. Mesmo quando saiu da prisão, Trumbo demorou anos para vencer o boicote do governo, sofrendo com uma série de problemas envolvendo familiares e amigos próximos.








Quem não conhece, mesmo que apenas de ouvir falar, filmes clássicos como Spartacus, com Kirk Douglas e A Princesa e o Plebeu, com Audrey Hepburn? Esses e outros filmes têm algo em comum: o roteirista. Ambos foram escritos por Dalton Trumbo, um roteirista americano que, conforme mostra no filme, era um dos melhores de Hollywood em sua época, mas que, após se filiar ao Partido Comunista, foi inserido na Lista Negra.

A Lista Negra era composta por nomes que tinham alguma ligação com o comunismo, Trumbo e outros nove roteiristas e diretores de cinema foram interrogados, presos e sofreram boicotes por todos os lados. Qualquer pessoa que ousasse contrata-los era cortada das produções hollywoodianas.

Eu adorei o filme e, principalmente, a atuação de Bryan Cranston que, inclusive, está concorrendo ao Oscar de melhor ator por sua participação em Trumbo. Ele soube passar a emoção nas várias fases da carreira do roteirista, principalmente no tempo em que passou preso e na fase pós-prisão, onde Trumbo buscou se reerguer no meio cinematográfico. Apesar do drama, o filme teve sacadas que arrancou sorrisos de muitos na sala do cinema, eu mesma me peguei sorrindo algumas vezes.

Em meio à Guerra Fria e a debates sobre a liberdade de expressão e a primeira emenda da constituição americana, Trumbo se viu obrigado a utilizar de pseudônimos e a escrever por valores bem abaixo do que estava acostumado à cobrar pelos seus roteiros. Viu seus filmes receberem o Oscar da sala de sua casa, sem poder usufruir dos créditos por eles.

Eu gosto muito de biografias e saí do cinema com vontade de ler o livro, que foi lançado pela Intrínseca no dia 14 de janeiro. Para quem também se interessou, segue a sinopse do livro de Bruce Cook, retirada do Skoob.


Trumbo


"Em 1947, o jornal The Hollywood Reporter divulgou uma série de nomes de vários profissionais do cinema americano supostamente envolvidos com o comunismo. Todos os olhares do Congresso dos Estados Unidos se voltaram para a possibilidade de comunistas e simpatizantes estarem sutilmente instilando sua propaganda nos filmes de Hollywood. Dez pessoas foram intimadas a depor no Comitê de Atividades Antiamericanas – um grupo depois conhecido como os “Dez de Hollywood” –, e o roteirista Dalton Trumbo era seu principal nome. 

Radical à própria maneira, franco e irônico, membro do Partido Comunista, Trumbo recusou-se a entregar qualquer informação. Foi julgado, declarado culpado por desacato ao Congresso e preso, em 1950. Começara a caça às bruxas da era McCarthy, e depois de cumprir pena Trumbo estava na lista negra de centenas de profissionais banidos de trabalhar para os grandes estúdios. Atuando por trás das câmeras, por quase uma década viveu de produzir roteiros clandestinamente, a preços medíocres, até que dois Oscars depois, e com o esvaziamento do macarthismo, Trumbo se tornou o primeiro integrante da lista a ser novamente creditado em uma produção, abrindo caminho para o fim definitivo da caça às bruxas em Hollywood.

Trumbo é uma biografia franca de uma figura exuberante, que esteve no epicentro de um dos períodos mais tumultuados da história americana recente. Apesar da notoriedade como escritor e do apogeu como o mais bem pago roteirista de sua época, criador de épicos como A princesa e o plebeu, Exodus, Spartacus e Papillon, nenhuma das criações de Dalton Trumbo é capaz de rivalizar com sua própria história."



O filme estreia no final no mês de janeiro e eu pretendo voltar ao cinema para assistir mais uma vez e, claro, estarei torcendo por Bryan Cranston no Oscar, a atuação dele realmente me impressionou. Indico a todos!

Mais uma vez agradeço a Kel e a Editora Intrínseca pela oportunidade.

Até a próxima.






Com carinho,




10 comentários:

  1. oooi :D
    Que legal, eu nem imagina toda essa história! Gostei da dica.

    Beijos
    /interfaces/BRHTLDCSCMETP02_Drive-E/MasterSAF/spool/

    ResponderExcluir
  2. Oi Mari.
    Que oportunidade bacana que você teve hein.
    Eu ja tinha ouvido falar do filme, mas superficialmente, e não sabia o exato conteúdo da produção. E me animei muito com a história, com certeza vou assistir, só não sei se no cinema hehe
    Dica mais que anotada.

    Beijos
    http://aventurandosenoslivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Deve ser muito legal poder assistir um filme em primeira mão, parabéns por essa oportunidade. Não sabia desa historia toda, o filme deve ser muito interessante e informativo.

    ResponderExcluir
  4. Parece ótimo!!!! Não conhecia o livro e vou buscar saber mais.

    Bjs
    www.livrosdabeta.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Mari lindona confesso que ando numa correria que sentar para assistir filmes está complicado hehe, adoro um biografia bem filmada e pelo visto a interpretação do ator está ótima. Dica anotada. beijos

    Joyce
    www.livrosencantos.com

    ResponderExcluir
  6. Eu já tinha visto a capa do livro a apreciado, mas não sabia da existência do livro e preciso assistir. Comunismo e perseguição são temáticas que muito me interessam.

    ResponderExcluir
  7. Oi, eu gosto muito de ler biografias quando estou na minha época de sair um pouco da ficção, mas confesso que o filme e a bio não me chamaram tanto a atenção assim, mas quem sabe eu não dê uma oportunidade mais pra frente.

    bjs

    ResponderExcluir
  8. ei Mari, tudo bem?
    Não sabia bem do que o filme tratava, só que era de um roteirista famoso, rs. Fiquei bem curiosa agora, porque já li algumas coisas a respeito de artistas que caíram nessa lista negra, na época da guerra fria, e pelos seus comentários, o filme mostra bem essa questão.
    Não é um filme que eu me levaria ao cinema, mas, assim que entrar na grade da tv a cabo, e vejo, rs
    beijos
    http://meumundinhoficticio.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Oi, tudo bem?

    Não tenho muito contato com autobiografias, poucas realmente me cativam. Esse filme não me interessou nada, embora o período retratado me chame atenção (aquela louca por História -qq). Achei a temática ligada ao cinema bastante convincente e, com certeza, deve atrair um bom público.

    Love, Nina.
    http://ninaeuma.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  10. Oi , ainda não conhecia seu blog, mas já estou seguindo-o *-*
    Gente, amo filmes que retratam a perseguição sofrida nessa época, amo história. Deve ser osso ver o próprio filme receber um Oscar da sala da sua casa, não quero nem imaginar qual deve ser esse sentimento. Obrigada pela dica, vou com certeza assistir, principalmente sabendo que o ator está concorrendo ao Oscar.

    Abraços,
    Karina do blog Eu e Minha Cultura.

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita!
Todos os comentários deixados aqui serão carinhosamente retribuídos.
Para isso, basta deixar o endereço do seu blog!
Mas antes de comentar, lembre-se de que esse post foi feito
com muito carinho, então, se vai comentar
"oi, fiz postagem nova, me visita" ou fazer um comentário
apenas de divulgação, este não será aceito.
Obrigada pela compreensão!
Já está seguindo o blog no Google Friends? Então não perca tempo!