# Resenha 319 // O Rouxinol

Oi pessoal, tudo bem?

Sabe quando você FINALMENTE lê o livro daquela autora que você prometia ler há muito tempo? Pois é, foi o que aconteceu comigo com Rouxinol. Finalmente entrei no mundo de Kristin Hannah. Vocês conferem minha opinião na resenha:

Título: O Rouxinol
Autor: Kristin Hannah
Editora: Arqueiro
Páginas: 432
Livro cedido em parceira com a editora



Sinopse: No pequeno vilarejo de Carriveau, Vianne Mauriac se despede do marido, que ruma para o fronte. Ela não acredita que os nazistas invadirão o país, mas logo chegam hordas de soldados em marcha, caravanas de caminhões e tanques, aviões que escurecem os céus e despejam bombas sobre inocentes. Quando o país é tomado, um oficial das tropas de Hitler requisita a casa de Vianne, e ela e a filha são forçadas a conviver com o inimigo ou perder tudo. De repente, todos os seus movimentos passam a ser vigiados e Vianne é obrigada a fazer escolhas impossíveis, uma após a outra, e colaborar com os invasores para manter sua família viva. Isabelle, irmã de Vianne, é uma garota contestadora que leva a vida com o furor e a paixão típicos da juventude. Enquanto milhares de parisienses fogem dos terrores da guerra, ela se apaixona por um guerrilheiro e decide se juntar à Resistência, arriscando a vida para salvar os outros e libertar seu país.


França, Segunda Guerra Mundial. Duas irmãs com objetivos e perspectivas de “luta" totalmente diferentes. A mais velha, Vianne, acredita que, para salvar a família e sua casa, precisa acatar todas as ordens vindas dos alemãs, não importa quais sejam. Isabelle, a mais nova, é mais rebelde e desafiadora. Não vai aceitar ordens e vai lutar pela liberdade da França até o final. Ambas passarão por provações: fome, miséria, medo e não será fácil sobreviver.

Nem pensei duas vezes em solicitar o livro quando ele apareceu disponível nas opções oferecidas pela editora. A Andressa, do blog Livros e Chocolate Quente, adora a Kristen e eu sempre tive vontade de ler algum livro dela. De inicio, vivi uma grande ambiguidade com a leitura. Amo livros históricos e Rouxinol se passa durante a Segunda Guerra. Ponto para o contexto. Mas, por outro lado, achei a leitura arrastada no começo. Lá pelo meio isso muda, mas ainda assim não achei o ritmo tão ágil, apesar de ser um livro emocionante.























O que chama a atenção na obra, além de um contexto histórico detalhado e nitidamente pesquisado com primazia, são as emoções bem pontuadas. O livro é intenso e a trajetória das duas irmãs é repleta de perdas e desafios. A Kristen escreve de uma forma que o leitor consegue visualizar (se não, sentir) o que cada uma delas passa. E por mais que não concordemos com certos posicionamentos, entendemos as ambas.

Vianne e Isabelle, aliás, são mulheres comuns vivendo em um país em guerra.  As duas tem as suas imperfeições, mas só querem lutar por aquilo que acham certo (ainda que esta noção do que “é certo” seja totalmente oposta uma da outra). Vianne é inocente demais e passiva demais enquanto Isabelle tem o seu lado impulsiva totalmente aflorado. Esta personagem, inclusive, foi inspirada em um caso real de uma mulher que ajudou soldados Aliados à atravessarem a fronteira do país para fugirem dos nazistas.

Os capítulos, em sua maioria, são narrados em terceira pessoa, alternando a perspectiva entre as irmãs. Mas a autora tende a misturar passado e presente. Alguns fatos são apresentados em 1995 (presente), narrados por uma personagem misteriosa que só vamos descobrir no final do livro.

Rouxinol fala sobre família e sobre um amor incondicional. Sem dúvida é um livro que vai deixar uma bonita reflexão aos leitores, além de pequenas marcas de lágrimas pelas páginas.





24 comentários:

  1. eu adoro os livros dela, esse que juntou a dramaticidade com a qual ela escreve com a guerra se tornou meu preferido!

    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Quando vi esse livro e interessei por ele devido aos elogios. A historia parece ser bem intensa e nos deve deixar dividida em relação as irmãs que estão em lados opostos. E que nos deve ensinar sobre esse momento de muita tristeza que é uma guerra.

    ResponderExcluir
  3. Kel, eu ainda não conhecia nem o livro nem a autora. Mesmo que o ritmo seja meio arrastado, eu fiquei com vontade de ler. Achei sua resenha muito boa, bem escrita e direta! :)
    Agora... Insisto em indicar pra você: "Uma Praça em Antuérpia" é um livraço da Record que merece muito ser lido! Também é uma história de duas irmãs, durante a II Guerra (mas em Portugal). Foi escrito por uma jornalista, ou seja: foi muito bem pesquisado e tem um ritmo que te deixa louca de vontade de ler mais! É bizarro de bom!!!
    :D

    Beijo!

    ResponderExcluir
  4. Oi, Kel
    Gosto de livros que falem da Segunda Guerra Mundial e acho que também não pensaria duas vezes antes de solicitá-lo. Gostaria muito de conhecer as duas personagens e saber qual é essa que é um mistério. Esse livro é a minha cara. Claro, ainda quero muito ler.

    livrosvamosdevoralos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Confesso que não gosto de livros que tem guerra no meio, mas fiquei surpresa com a minha curiosidade aparecendo... hususa muito boa a sua resenha!

    ResponderExcluir
  6. Eu conheço essa autora, eu nunca li esse livro dela porque o enredo não me atraiu, mas eu li Night Road, e achei a escrita dela simplesmente maravilhosa. Ela tem um jeito muito marcante de desenvolver os seus personagens, vale mesmo a pena conhecer o trabalho dela.

    laoliphant.com.br

    ResponderExcluir
  7. Oi, Raquel! Tudo bem? Nunca li livros da autora, sempre que recebia pelo "Entre Livros", passava direto para as colunistas, porque elas gostavam. Me chamou a atenção o enredo e o fato de os capítulos serem alternados, isso dá uma dinâmica muito legal, gosto de ler histórias assim. E saber que existe uma terceira narrativa, algo misterioso, só me deixa ansiosa. Talvez eu possa começar com esse livro, né? Beijos e mais sucesso!

    Carolina Gama

    ResponderExcluir
  8. Adoro livros que fazem chorar e que passam lições e sem a menor dúvida vou amar esse. Gostei da sua resenha, pois ela me deixou interessada no livro. <3

    http://luxuosoestilo.blogspot.com.br/2016/02/grupo-editora-pensamento.html

    ResponderExcluir
  9. Oiii, nunca li nada dessa autora e posso dizer que gostei só pela sua resenha, adoro livros que nos dão oportunidade de refletir e pensar melhor sobre cada assunto.
    Beijão

    ResponderExcluir
  10. Olá.
    Já gostei do título. E adoro histórias de guerra.
    Vou colocar ele na minha lista.
    Abraço!

    ResponderExcluir
  11. Tô com esse livro no Kobo e tava com medo de começar a ler haha, sua resenha me animou muito pra leitura!
    www.belapsicose.com

    ResponderExcluir
  12. Eu quero muito ler esse livro, adoro histórias com História e adoro histórias que se passam na Segunda Guerra Mundial. Para você ver, um dos meus autores favoridos é o Ken Follett <3 Mesmo você dizendo que a narrativa no começo é meio arrastada minha curiosidade continua a MIL. Parece ser uma história bem emocionante.

    Beijinhos
    Um Metro e Meio de Livros

    ResponderExcluir
  13. Desde que vi a capa desse livro, achei linda e fiquei no desejo de lê-lo, também aprecio livros que passam na Segunda Guerra Mundial. Quanto a leitura ser arrastada, não sei o que dizer, pois não li e isso também vai muito do leitor. Outro fator interessante que achei no livro é o fato de Vianne e Isabelle serem as protagonistas, mulheres na guerra, geralmente o foco maior é para homens ou relacionamentos amorosos, o que já está batido e clichê.

    ResponderExcluir
  14. Se passa durante a II Guerra,então já quero! Adoro histórias épicas.Essas especificamente. Gostei muito do enredo e sua resenha tá de parabéns,me convenceu!
    beijo

    http://estantelivrainos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  15. oi, Kel
    nunca li anda a autora, embora a Dressa recomende muito para todas nós. Eu gosto de livros que retratem a sociedade da segunda guerra, sem mostrar a guerra em si. E esse parece atender esse quesito.
    Analisando friamente a história, por mais que eu me revolte com a política e abusos atuais, não sei se eu seria a pacífica ou a rebelde, em caso de guerra. Guerra muda as pessoas, e vejo esses dois comportamentos muito possíveis de aflorar, no desespero para se salvar e salvar sua família.

    ResponderExcluir
  16. Oie! Olha, gosto muito de histórias sobre Guerra. Não pelas barbaridades ou pelas mortes, mas no que cada uma delas ensinou a humanidade. Tenho muita curiosidade de ler esse livro, apesar de não ser um gênero que leia com frequência. Sua resenha está ótima :)
    Beijos

    Academia Literária DF

    ResponderExcluir
  17. Olá Kel, eu ainda não li nada da autora, mas tenho bastante vontade de ler seus livros *-* Esse parece ser bem legal, tem um bom contexto históricos e alguns pontinhos negativos que não me tirarão o interesse em lê-lo.

    Visite "Meu Mundo, Meu Estilo"

    ResponderExcluir
  18. Oii. Gostei muito do "ar" que envolve o livros. Parece ser uma história bonita e bem tocante. Se eu tiver oportunidade eu lerei com certeza!
    Bjus

    ResponderExcluir
  19. Oi, tudo bem?
    Eu tenho muita vontade de ler algo dessa autora, mas fico só enrolando kkkk Bom, eu ainda não tinha lido nada sobre esse livro e fiquei bem animada com sua resenha, as personagens parecem ser incríveis e adorei saber que uma delas foi inspirada em um caso real. Enfim, apesar do começo arrastado, eu pretendo ler algum dia.

    Beijos :*

    ResponderExcluir
  20. Eu amei esse livro, sem mais! Meu é tão boa, seu conteúdo bem pesquisado e os personagens tão reais, não tem como não amar essa obra, é uma das minhas favoritas...

    Abraços & até!

    lendoferozmente.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  21. Oi Kel, também tenho vontade de conhecer a escrita da autora de tanto que a Dressa fala bem. EU também adoro livros históricos e, por se passar durante a Segunda Guerra já chamou a minha atenção. As duas irmãs parecem ser bem diferentes, o que para mim mostra como a autora tem a atenção em estruturar bem cada personagem e suas características e sentimentos. Achei muito legal a personagem ser inspirada em uma pessoa real e também a narrativa ser alternada entre passado e presente. Uma pena que a leitura não tenha o ritmo que você estava esperando, mas continuo curiosa para conhecer a história!

    Beijos,

    Mari

    cantinhodeleituradamari.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  22. Oie
    tenho muita curiosidade pelo livro e por outros da autora, só ouço elogios e sempre quis saber melhor sobre as histórias dela, adorei a resenha e espero poder ler em breve

    Beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  23. Oi Kel, tudo bem?
    Esse é um romance no qual eu não fugiria. Achei a premissa bem interessante, sempre quis ler um romance na guerra e agora surge uma oportunidade. Saber que o livro é arrastado no começo me desanima um pouco contudo minha vontade de lê-lo é a mesma.

    ResponderExcluir
  24. Olá!
    Ainda não li nada da Kristen, mas tenho uma curiosidade enorme em conferir a sua narrativa. Tenho um livo dela aqui, e não vejo a hora de ler. Já li comentários positivos sobre esse livro e que é uma leitura intensa. Não sou muito fã de livros que envolvem guerras, é tão pesado e triste, mas tiramos muito aprendizado. Espero poder conferir em breve!

    beijos!
    lovesbooksandcupcakes.blogspot.com

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita!
Todos os comentários deixados aqui serão carinhosamente retribuídos.
Para isso, basta deixar o endereço do seu blog!
Mas antes de comentar, lembre-se de que esse post foi feito
com muito carinho, então, se vai comentar
"oi, fiz postagem nova, me visita" ou fazer um comentário
apenas de divulgação, este não será aceito.
Obrigada pela compreensão!
Já está seguindo o blog no Google Friends? Então não perca tempo!