# Resenha 318 // Auggie e eu

Oi pessoal!

Alguém ai é fã de Extraordinário ou será que sou só eu? =D Extraordinário foi uma das primeiras dicas literárias que eu segui aqui da blogosfera e não me arrependi nunca. Livro lindo e com uma grande lição. Para a felicidade de todos os fãs do Auggie, a autora resolveu continuar escrevendo sobre esse universo e agora a Intrínseca lança Auggie e Eu. Espero que gostem.

Título: Auggie e Eu
Autor: RJ Palacio
Editora: Intrínseca
Páginas: 326
Livro cedido em parceria com a editora



Sinopse: A história de Auggie Pullman, o menino de aparência incomum que tem encantado milhares de leitores desde o lançamento do romance Extraordinário, em 2013, ganha agora novas perspectivas: Julian, Christopher e Charlotte, personagens da vida de Auggie, narram nos três contos reunidos no livro Auggie e eu seus encontros e desencontros com o amigo extraordinário. O capítulo do Julian dá voz a um personagem controverso: o menino que liderava o bullying contra Auggie na escola. Enfim temos a oportunidade de entender o que o levou a agir dessa forma e o que Julian pensa das próprias ações. Em Plutão, o narrador é Christopher, o primeiro amigo de Auggie. Os dois meninos compartilham lembranças da infância e, apesar de terem se distanciado, aprendem que boas amizades sempre valerão um esforcinho a mais. Shingaling mostra Auggie pelos olhos de Charlotte, a única menina entre as três crianças escolhidas para apresentar a Auggie sua nova escola. Com ela entramos no universo das garotas e vemos como a chegada de Auggie afetou as relações entre elas. Para quem sente saudades do menino cativante de feições e personalidade extraordinárias e tem curiosidade em saber mais sobre sua história, Auggie & eu é um verdadeiro presente.


O livro reúne três contos do universo de Extraordinário, narrados por personagens que estão sempre muito próximos de Auggie. Apesar de deixar bem claro já no epilogo, que não pretende escrever uma continuação para Extraordinário, a autora achou que seria interessante fazer com que o público entendesse melhor outros personagens da trama. Os escolhidos foram Julian, Christopher e Charlotte.
























Já no primeiro conto, uma enorme raiva me dominou. A ideia da autora (e ela também comenta isso no prólogo) não é justificar os atos do Julian, mas mostrar que, como criança, ele sempre foi vulnerável a enxergar o preto no branco. Se Auggie tem uma aparência diferente, uma criança que não possui uma certa maturidade, vai estranhar aquela pessoa que tem uma aparência discrepante.

Quando lemos Extraordinário imaginamos o Julian como o valentão do colégio, que quer sempre a atenção e a aceitação de todos. Lendo o seu pequeno conto, podemos visualizar tudo o que se passa dentro de sua família, que é puro reflexo de como ele age fora de casa. Ele é, sim, um valentão que sempre quer a atenção no colégio. O que não significa que ele é mal (na verdade ele só quer aparecer e tem certeza de que não vai ser punido.) Julian foi mimado por uma mãe totalmente sem noção e por um pai, relativamente ausente, que concorda com as atitudes da esposa. É absolutamente revoltante ver as atitudes da mãe do Julian. Se ver o preconceito em uma criança já é feio, imagina ver uma mãe que é preconceituosa, que transforma o seu filho em uma criança hostil e ainda quer influenciar quem está ao seu redor. É extremamente enojante!

Em "O capítulo do Julian" pude perceber o quanto é importante o posicionamento dos pais, principalmente na primeira infância dos filhos porque é exatamente aí onde eles vão começar a aprender os valores que durarão a vida toda. Dizer "não", frear os filhos, também é educar e eles vão agradecer muito mais para frente.

O desfecho do conto é um pouco forçado. Entendo que é uma história curta e que tem pouco tempo para uma explicação maior dos fatos. Mas achei um pouco desnecessária toda a reviravolta e, a mim, soou como um artefato para que o enredo parecesse uma fábula com toda aquela "moral da história".























O segundo conto, "Plutão", conta do Chris, um amigo do Auggie, desde quando os dois ainda eram embriões. As mães deles sempre foram muito amigas e os filhos cresceram juntos. E isso significa presenciar várias crises do Auggie, visitá-lo no hospital, aceitá-lo desde sempre como ele é.

Essa é a mais crível das três histórias porque mostra como uma amizade se desenvolve e como ela pode ter um peso muito grande. Por que Chris precisa estar 100% do tempo com Auggie? Querer ter novos amigos, sair com outras pessoas, além de Auggie faz dele uma pessoa ruim? Já comentei sobre esse conto no blog e fiz uma video resenha dele. Você pode assisti-lo aqui.






















E, por fim, Shingaling, conto narrado pela Charlotte, que é um amorzinho! Charlotte e a filha perfeita, a aluna esforçada que sempre tira notas boas. Ela é extremamente educada e faz o tipo daqueles alunos que preferem se manter neutros quando a turma é dividida em "grupinhos". No caso da série de Charlotte, "os amigos do Auggie" e "os amigos do Julian". Todo mundo sabe muito bem como é ter que conviver com as "panelinhas" no colégio e Charlotte vive o dilema de querer ser aceita pelas outras meninas: populares, bonitas e que tem namoradinhos e continuar junto das suas amigas que a conhecem desde sempre.

Através dela percebemos o quanto as interações no colégio podem ser difíceis, principalmente quando pessoas novas parecem tomar aquele espaço que nos pertencia.  Gostei bastante da perspectiva de Charlotte e de como é possível descobrir vínculos com pessoas que parecem tão distantes da nossa realidade.




17 comentários:

  1. Kel, me condene mas eu ainda não li Extraordinário. Sei que será uma leitura maravilhosa mas cade tempo?! E quando tem tempo cade vontade?! Acredito que ainda não chegou meu tempo para conhecer RJ Palacio e tudo que ela tem me dizer!

    Beijos,
    Joi Cardoso
    Estante Diagonal

    ResponderExcluir
  2. Comprei Extraordinário pela capa, nem li a sinopse mas fique me perguntando por que a capa tinha uma criança de apenas um olho? Por que ela era tão diferente? E me surpreendi com a história, me apaixonei por Auggie e suas atitude. Estou louca para comprar Auggie & Eu porque sei que a leitura não irá me decepcionar, mesmo sabendo que ele não será o narrador do livro, estou muito curiosa para lê-lo e até agora sabia que eram os capítulos de Christopher, Julian e Charlotte mas não sabia como realmente era o livro, adorei saber e fiquei com mais vontade ainda de comprá-lo :)

    ResponderExcluir
  3. Oi Kel,
    Infelizmente ainda não li Extraordinário, mas ele já está na minha estante e agora com certeza será uma das minhas próximas leituras! Achei a ideia do livro super bacana, é interessante ser exposto ao outro lado da história. Como ainda não li Extraordinário, esse vai ficar para mais para frente!

    Até mais!

    Prólogo da Leitura

    ResponderExcluir
  4. Ainda não li o livro Extraordinário, apesar das várias recomendações que ele é ótimo, mas faltou oportunidade. O conto parece ser muito bom, para sabermos o ponto de vista dos amigos dele, o primeiro do Julian, saber como os pais são e como ele foi criado é horrível. O terceiro deve ser uma graça essa personagem e nada fácil evitar as panelinhas escolares.

    ResponderExcluir
  5. Extraordinário foi um dos melhores livros que li na vida, e adorei quando a autora lançou esses livros extra.
    adorei o conto do Julian porque, realmente, deu para compreender perfeitamente todas as atitudes dele...
    gostei bastante de Plutão também, mas Julian me emocionou mais... ;x
    ainda não li Shingaling, mas pretendo ler logo!!!
    li os contos separados, e confesso que nem sabia que a editora tinha lançado um livro. que incrível!!! já quero! *---*

    ResponderExcluir
  6. Olá,

    não li nenhum desses livros, já tinha visto alguns em lojas físicas e onlines, após ler sua resenha fiquei com vontade de ler, parece que emocionam, parece serem ótimos. www.sagaliteraria.com.br

    ResponderExcluir
  7. Oi Kel, tudo bem? Eu amei extraordinário e gostaria muito de ler esse livro de contos. Realmente a criação e os "nãos" que recebemos nos transformam nas pessoas que somos hoje. Fiquei curiosa para ler o conto do Julian, tenho certeza que vai ajudar o leitor a entender melhor o que se passa na sua vida (apesar de partir o meu coração cada vez que o Auggie sofre).
    Adorei a dica!
    Beijos,

    Mari
    cantinhodeleituradamari.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  8. Kel, nunca li Extraordinário, mas ainda pretendo ler. Achei muito legal que a autora tenha escrito uma "continuação", principalmente por mostrar o lado dos outros personagens. Já sobre a sua resenha, gostei muito de quando você fala que o posicionamento dos pais é importante, principalmente no caso do Julian. Porque é isso mesmo, né... A tarefa dos pais é educar e ensinar valores. Se eles não fazem isso, a criança fica perdida. :\
    Beijo!

    ResponderExcluir
  9. Olá!
    Um fato: preciso ler Extraordinário o quanto antes. Não me conformo de ainda não ter lido essa história que tenho certeza que vai me encantar.
    Quando soube do lançamento de Auggie e eu, o que mais me chamou atenção foi a capa. Mas agora sabendo que são contos e cada um de um personagem, fiquei ainda mais interessada. Principalmente por envolver temas como amizade e a época do colégio, como o valentão que ser aceito.
    Espero ler o mais breve possível.
    Beijos.

    Li
    Literalizando Sonhos

    ResponderExcluir
  10. Oi Kel, tudo bem??
    Tenho uma amiga que é completamente apaixonada pela história e saiu comprando tudo que envolve esse menino... eu não pretendo ler o livro, porque não sou chegada em um sick lit... mas sempre vejo elogios e resenhas emocionantes desse livro e desse com os contos... só imagino que a escrita da autora desse ser bem envolvente e interessante... Xero!!!

    http://minhasescriturasdih.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Oi Kel, sua linda, tudo bem
    Você acredita que eu ainda não li Extraordinário? Mas já coloquei ele como meta de leitura para esse ano. Pelo visto, a autora aborda muitos temas dentro desses contos.; Sabe, quando você falou da Charlotte, eu achei tão atual, pois ainda hoje vejo inclusive adultos tentando ser aceitos e se submetendo a atitudes que não tem nada a ver com eles. Isso não é legal. Estava conversando ontem, por coincidência, sobre como a atitude dos pais pode influenciar o comportamento dos filhos, é algo que tem que ser visto com muito cuidado e carinho. Sua resenha ficou ótima, não vejo a hora de ler.
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Oi, Kel
    Eu amo Extraordinário também 0/
    Gostaria de conhecer mais dos outros personagens também, e achei interessante a autora criar esses contos. Acho que o Julian é o que mais tenho curiosidade. Acho que ele não seria assim se não fosse a criação, que é essencial. Concordo com você. Se a mãe é assim como o filho pode crescer pensando diferente?

    livrosvamosdevoralos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  13. Oi Kel, tudo bem?

    Eu também adorei "Extraordinário" e como o livro é lindo e nos mostra que o diferente pode ser sim muito especial... "365 Dias Extraordinários" é um dos livros mais lindos da minha estante, e adoro os preceitos escritos nele. E estou doida para ler "Auggie e Eu", ainda não li os contos separadamente.

    Gostei de saber um pouquinho sobre cada conto, e como cada um dele trás uma visão diferente, como cada um dos personagens convivem com o Auggie e tem que lidar com as diferenças. Imagino como "O Capítulo do Julian" te deu uma raiva, acho que eu também sentiria, principalmente pelo jeito como a mãe dele o tratou e o educou a vida inteira... e como isso pode moldar o caráter de uma pessoa, principalmente sendo criança.

    Linda a sua resenha!!

    Beijinhos,

    Rafaella Lima || Vamos Falar de Livros?

    ResponderExcluir
  14. oi, Kel, tudo bem?
    Eu sou uma das apaixonadas por Extraordinário.Acho que esse é aquele livro que devia ser lido por todos, de todas as idades, e sempre indico para todo mundo.
    Eu já li o conto do Chris, e amei, super profundo. Desde que a autora anunciou o conto do Julian eu tive vontade de ler, porque em Extraordinário já percebi como a mãe dele era, e se tem uma coisa que eu sei por experiência, é que os pais são os principais influenciadores da formação de opinião de uma criança (minha vizinhança tem muitas crianças, e já vi cada coisa!)
    Quero ler o livro, e conhecer melhor a história do Julian e da Charlote
    beijos
    http://meumundinhoficticio.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  15. Kel eu amei ler o livro Extraordinário ele traz uma questão tão profunda e importante que eu releria tudo de novo, por isso quero muito ler o livro Auggie e eu e conhecer principalmente Julian e tentar entender mais sobre ele. Bjkas

    ResponderExcluir
  16. Oi Kel, tudo bom?
    Li Extraordinário e estou namorando esse livro desde que foi lançado. O que mais gosto dessa autora são as discussões que ela consegue criar com seus livros. Ansiosa para ler esses contos e rever os personagens. Fiquei mais curiosa com o do Julian pelas reflexões que ele tem.
    Beijos,
    http://livrosyviagens.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita!
Todos os comentários deixados aqui serão carinhosamente retribuídos.
Para isso, basta deixar o endereço do seu blog!
Mas antes de comentar, lembre-se de que esse post foi feito
com muito carinho, então, se vai comentar
"oi, fiz postagem nova, me visita" ou fazer um comentário
apenas de divulgação, este não será aceito.
Obrigada pela compreensão!
Já está seguindo o blog no Google Friends? Então não perca tempo!