21 outubro 2015

# Resenha 287 // Dark House

E aí, galerinha. Já tem um tempinho que não apareço por aqui, né? 

Dessa vez, a Kel me pediu para falar sobre o livro Dark House, que muitos acreditaram ser um livro de terror e acabaram percebendo que não era bem assim haha 

Título: Dark House 
Autor: Karina Halle
Editora: Única
Páginas: 352
Livro cedido em parceria com a editora


Sinopse: Há sempre algo fora do normal em Perry Palomino. Embora ela esteja vivendo uma crise ao passar pela síndrome pós-faculdade, assim como qualquer garota de vinte e poucos anos, ela não é o que chamaríamos de comum.Perry possui um passado que prefere ignorar, e há também o fato de que ela consegue ver fantasmas. Tudo isso vem a calhar quando se depara com Dex Foray, um excêntrico produtor que está trabalhando em um webcast sobre caçadores de fantasmas.Dex, que se revela um enigma enlouquecedor, arrasta Perry para um mundo que a seduz e ameaça sua vida. O farol de seu tio é pano de fundo de um mistério terrível, que ameaça a sanidade da moça e faz com que ela se apaixone por um homem que, como o mais perigoso dos fantasmas, pode não ser o que parece.


No primeiro volume da série Experimente o Terror, que já conta com nove livros (isso na última vez em que pesquisei; quem sabe quantos tem agora?), somos apresentados a Perry Palomino, uma jovem de 22 anos que ainda não se encontrou. Perry já tentou se identificar com várias carreiras; entrou numa faculdade de publicidade, tentou ser escritora, tocar algum instrumento... e por aí vai, mas nada parece dar certo.  

Sua vida monotóna (trabalhando como recepcionista numa agência de publicidade) muda quando seus pais decidem viajar para a casa do seu tio; próximo a onde ele mora, existe um farol, que intriga Perry desde que ela o viu pela primeira vez, mas que ela nunca teve a oportunidade de ver de perto. Até agora.

Com uma câmera e seu baixo conhecimento em caratê, Perry escapa de uma festa em que estava com os primos para visitar o farol, planejando voltar antes que percebam a sua falta; lá, ela conhece Dex, um cinegrafista que invadiu o local para filmar, e juntos eles passam por coisas bem estranhas.






















Pouco depois, ela retorna para casa com seus pais. Sua irmã, Ada, uma blogueira de moda famosinha, fica doente e pede para que Perry escreva no blog por ela; então, Perry decidi contar sobre sua noite no farol e publica também um vídeo que conseguiu gravar com sua câmera. A postagem vira um sucesso e Dex a encontra através dela; ele é, na verdade, camera-man de um shownet, no qual ele pretende inaugurar uma nova série, para a qual Perry seria perfeita como apresentadora.

Juntos, eles voltarão ao farol para tentar descobrir se tudo que aconteceu é real e se ele é mesmo assombrado, não sabendo que irão vivenciar a experiência mais aterrorizante da vida deles.

A única coisa mais assustadora que lidar com os mortos é lidar com nós mesmos.

Perry Palomino (que nome estranho) e os demais personagem de Dark House não são lá muito marcantes - não são chatos (são até divertidos, às vezes), mas não possuem uma personalidade forte o suficiente. Perry é bem bobinha; suas atitudes passam a ideia de que ela tem uns 16 anos, e não 22. Já Dex é um cara super estranho e bipolar.

Olhando de um modo geral, eu gostei bastante do livro. Karina Halle tem uma narrativa leve, gostosa de ler e fácil de pegar o ritmo, do tipo que prende o leitor. A trama, que é um YA com toques de suspense sobrenatural (resumindo: NÃO E TERROR), apesar de um pouco clichê, é bem desenvolvida e divertida de se ler. Eu, que adoro histórias de fantasmas e afins, adorei.



O ponto alto de Dark House são os momentos de suspense; a autora consegue prender bastante os leitores nesses momentos e alguns me deixaram arrepiado. Ao final do livro, Karina puxa uma trama por trás da trama, como um caso a ser desenvolvido no decorrer da série, sabe? Achei muito legal isso e acabei a leitura com um gosto de quero mais.

A capa do livro é linda (Única, meu amô <3), bem melhor que a original, e o trabalho que a editora fez no livro ficou incrível; é um livro lindo de se ver, cheio de charme. 

Ainda não há previsão de lançamento do segundo livro aqui no Brasil.


7 comentários

  1. Já li algumas resenhas do livro tempos atrás e tinha até me interessado, mas acabei esquecendo ele com o tempo.
    Devo concordar que a capa é linda e de fato, não é um livro de terror como mais de uma resenha que li dizia, o que é claro, pode pegar alguns de surpresa. Eu mesma tive minha expectativa quebrada ao ver que não era um livro do gênero.
    O livro parece ser agradável, mas não do tipo que marca alguém para sempre, ainda mais com esses personagens. De toda forma, pretendo ler Dark House mais para frente, pois gosto desse toque de suspense que a autora introduz na história.
    Abraços

    ResponderExcluir
  2. Gostei da resenha, but infelizmente não é meu tipo de livro preferido, digamos. Li poucos livros nesse estilo... não me prende muito, se é que entende. </3 De qualquer forma, deu para saber um pouco sobre o conteúdo hehehe
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Oi Henrique...
    Também achei o nome esquisito (Perry, Oi?) e achei uma pena ela ser bobinha e infantil.
    Acho que sem um protagonista de peso, dificilmente a estória engrena...
    Mas vamos ver ne?
    Beijos

    Fabi Carvalhais
    pausaparapitacos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Oie, Henrique!
    Eu já tinha visto esse livro por aí, mas não tinha prestado atenção nele. Fique curiosa para lê-lo, mas também fiquei com um pé atrás. Temo a Perry ser muito boba a ponto de me irritar. O Dax ser meio que bipolar me chamou a atenção ahaha. Gosto de personagens meio anormais.
    Beijin...
    Pieces Of Alana Gabriela

    ResponderExcluir
  5. Não conhecia essa série, nove livros é muito rs. Fiquei curiosa com esse terrível mistério em relação ao farol do tio. Gostei de saber que tem suspense sobrenatural que adoro. Pena a protagonista deixar a desejar, gosto de protagonistas maduras e determinadas.

    ResponderExcluir
  6. "A única coisa mais assustadora que lidar com os mortos é lidar com nós mesmos."
    Adoro leituras assim. Essa história me chamou bastante atenção. Ótima resenha.

    ResponderExcluir
  7. Eu queria muito ler esse livro ,mas depois de descobrir o tamanho da série ,acho que desanimei ,não que eu não vá ler ,mas com certeza não vou ler agora .
    Adorei sua resenha ,ressaltou pontos positivos do livro ,e aliás concordo com VC ,essa caoa é muito linda .

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita!
Todos os comentários deixados aqui serão carinhosamente retribuídos.
Para isso, basta deixar o endereço do seu blog!
Mas antes de comentar, lembre-se de que esse post foi feito
com muito carinho, então, se vai comentar
"oi, fiz postagem nova, me visita" ou fazer um comentário
apenas de divulgação, este não será aceito.
Obrigada pela compreensão!
Já está seguindo o blog no Google Friends? Então não perca tempo!