# Resenha 281 // O Mapa de Vidro

Olá meus bookaholics.

Hoje vamos falar sobre o primeiro livro de uma trilogia que eu com certeza vou ler até o fim: "O Mapa de Vidro". Vamos a resenha?

Título: O Mapa de Vidro // The Glass Sentence
Autor(a): S. E. Grove
Editora: Verus Editora
Páginas: 396
Livro cedido em parceria com a editora



O Mapa de Vidro
Sinopse: Ela conhecia o mundo somente por meio de mapas. E não tinha ideia de que eles poderiam ser tão perigosos. Boston, 1891. Sophia Tims vem de uma família de grandes cartógrafos. Desde a Grande Ruptura em 1779, quando todos os continentes foram lançados a uma era diferente – da pré-história a um futuro distante – esses exploradores viajam e mapeiam o que é conhecido como Novo Mundo. Há oito anos, desde que seus pais não retornaram de uma missão urgente, ela vive com seu tio Shadrack, o melhor cartógrafo em Boston. A vida com seu brilhante, adorado e distraído tio, ensinou Sophia a cuidar de si mesma. Quando Shadrack é sequestrado por pessoas que estão atrás de um poderoso artefato, ela é a única que pode salvá-lo. Ao lado de Theo, um refugiado do oeste, ela embarca em uma aventura por cidades secretas e mares desconhecidos baseando-se apenas nos mapas deixados por seu tio e sua intuição. O que Sophia e Theo não sabem é que suas próprias vidas estão em perigo quando se descobrem segredos há muito enterrados. O mapa de vidro vai fazer você mergulhar em um mundo de fantasia autêntico e intrigante, com uma heroína que vai ganhar o seu coração.

Em 1799, houve um momento que foi denominado a Grande Ruptura. Nesse ano fatídico, o tempo se chocou e cada parte do mundo se perdeu em uma era. Algumas partes foram para o futuro e outras para o passado pré-histórico. Lugares que só existiam em livros de geografia e no imaginário dos estudiosos, passaram a existir novamente. O tempo se perdeu e ninguém soube mais quando e onde estavam. Todos os tempos e história se misturaram e formaram um mundo retalhado com várias eras diferentes que se misturavam no espaço-tempo.

Sophia vive nesse mundo totalmente mudado após a Grande Ruptura. Ela mora em Novo Ocidente em 1891. Lá o dia possui apenas 20 horas, mas Sophia não se importa muito com isso, já que ela não tem a mesma noção de tempo que as outras pessoas. Seu relógio biológico nasceu quebrado e ela não sabe ao certo diferenciar 1 hora de 1 minuto. Ela vive com seu tio Shadrack desde que seus pais, que como Shadrack eram cartógrafos e exploradores, sumiram em uma expedição. E com apenas 13 anos, Sophie já tem a maturidade de uma adulta, pois teve de se virar sozinha desde cedo, já que Shadrack não tinha muita experiência com crianças. Ele, por sua vez, é um famoso cartógrafo que ensinou a Sophie tudo que ela sabe sobre cartografia.























Nesse mundo, totalmente conturbado e complexo, as pessoas transitavam quase que livremente pelas várias eras, mas os governantes de Novo Ocidente, decidiram fechar as fronteiras e expulsar os imigrantes ilegais. Sophie fica preocupada com essa decisão, já que ela tem esperanças que seus pais ainda estejam do lado de fora da fronteira. Dada a situação, Shadrack decidi ensinar a Sophie o máximo de cartográfica possível para que ambos possam sair em busca dos pais dela. Entretanto, um dia enquanto Sophie sai para comprar suprimentos para a viagem, Shadrack é sequestrado, e agora ela terá que desvendar os vários mistérios que envolvem esse sequestro.

Eu achei a premissa da história simplesmente sensacional. A maioria dos livros de aventura que leio seguem a mesma linha, mas "O mapa de vidro" é diferente de todos e superou todas as minhas expectativas. Nunca vi um livro que se passasse em um mundo com várias eras misturadas. Dá pra imaginar que o livro não é nem um pouco clichê, não é mesmo? O mundo onde se passa a história é muito bem construído, entretanto, a história toda correu muito rápido. O autor poderia ter descrito mais as paisagens (principalmente, por se tratar de paisagens em tempos remotos), as pessoas e as situações. Muitas vezes, eu não consegui ter uma visão geral da situação, pois achei a descrição muito simples e corrida.

"Aconteceu há muito tempo, quando eu era apenas uma criança. Naquela época, os arredores de Boston ainda eram terra de cultivo, e eu passava os longos duas de verão brincando ao ar livre com meus amigos, voltando para casa quando o sol se punha. Fugíamos do calor no riacho de Boon, que tinha uma correnteza rápida e uma piscina natural profunda."

A personagem principal é bem construída e tem carisma, porém, eu queria que ela fosse um pouco mais velha, já que neste livro ela tem 13 anos (mas acho que isso não é problema pros leitores, afinal Harry Potter tinha 11 anos quando começou, certo?). Os personagens secundário, entretanto, não foram muito utilizados e isso me deixou um pouco frustrada. Fiquei ansiosa para ouvir mais sobre Shadrack - que é, na minha opinião, o personagem mais interessante do livro. Eu gostaria que o autor tivesse dividido essa história em dois livros, visto que o mundo onde tudo se passa é bem complexo e interessante. Achei que a primeira parte do livro foi meio jogada pra cima do leitor sem maiores explicações, tanto que a minha leitura só engrenou de verdade na segunda metade do livro. O fato da história toda se passar em torno da cartografia, me agradou bastante. Não sabia que cartografia poderia ser tão interessante assim. Além disso, tenho de elogiar a capa do livro que é, simplesmente, maravilhosa.  Enfim, mesmo com ressalvas, achei o livro sensacional e super criativo. Estou ansiosa pela continuação.
"Tornou-se evidente que, em um momento terrível, as várias partes do mundo se separaram. Elas se desprenderam do tempo. Girando livremente em diferentes direções, cada pedaço do mundo fora lançado em uma era diferente. Quando aquele momento passou, os pedaços ficaram espalhados, tão perto espacialmente uns dos outros como sempre estiveram, mas irremediavelmente separados pelo tempo. Ninguém sabia a idade real do mundo, ou qual das eras causara a catástrofe. O mundo como conhecíamos havia se partido, e um novo mundo tomara seu lugar. Nós chamamos esse momento de Grande Ruptura."

24 comentários:

  1. Já li outra resenha sobre O Mapa de Vidro e com a sua fiquei com ainda mais vontade de conferir essa aventura! O mundo criado pelo autor é curioso e cheio de mistérios, para alguém como eu aparenta ser um prato cheio. Apenas considero uma pena as descrições não terem lhe dado uma visão plena das paisagens e tudo mais, mas talvez nos próximos volumes tenhamos uma visão melhor do mundo em que vive a protagonista.
    Ela em questão, é realmente bem nova, mas parece ser bem trabalhada e conquistar o afeto do leitor, então creio que é o de menos. Dependendo de como o autor guiar a trama, talvez a vejamos crescer.
    Nunca li nenhum livro que abordasse a cartografia e estou curiosa para conferir isso, ao menos pelas resenhas parece ser interessante. O livro foge de clichês e espero que até o fim da história isso seja bem trabalhado e nos surpreenda.
    Abraços

    ResponderExcluir
  2. Segunda resenha que vejo desse livro e também só elogios.
    Cartografia nunca foi um assunto que me interessasse muito. Acho que o livro que chegou mais "perto" de abordar algo do tipo foi Cidades de Papel.
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  3. A premissa do livro realmente parece ser incrível! Eu não conhecia o livro mas já fiquei com bastante vontade de ler ele. Adorei saber que a protagonista é bem construída, mas também acho que ela podia ser um pouco mais velha. E o livro realmente parece não ter nada de clichê.
    Com certeza já entrou pra minha listinha :D

    Beijos!

    ResponderExcluir
  4. Também achei diferente várias eras ao mesmo tempo ainda não tinha lido algo assim.Com esse sequestro misterioso então melhor ainda. Nossa se o dia tem 24 horas já é corrido e falta tempo imagina 20 horas rs. Pena que o autor deu uma corrida na historia. Mas gostaria de ler esse livro mesmo assim.

    ResponderExcluir
  5. Nati, fiquei com um pezinho atrás em relação à essa história... Autores que não desenvolvem bem o ambiente me fazem ficar confusa... Acho que a gente acaba se dedicando a imaginar algo sem ter parâmetros... Sei lá!
    Mas a sua resenha ficou incrível! E é exatamente por isso que já posso tirar conclusões (malucas) do livro, rs.

    °(^ . ^)º

    Beijos!
    Fabi Carvalhais
    http://pausaparapitacos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  6. O livro me conquistou quando li "várias eras" e a última frase que você colocou me animou muito!
    A parte dela não saber diferenciar o tempo lembrou da história de uma série que minha amiga estava contando hoje. Mas acho que no livro isso seja só consequência da Grande Ruptura.
    Com certeza vou ler nas férias.
    Beijos de luz!

    ResponderExcluir
  7. Olá!
    Não conhecia o livro, antes de ler a resenha.
    Achei a história bem diferente e original.
    Pelo que foi escrito na resenha, a personagem principal pareceu uma menina forte e decida, e acho legal quando os personagens têm essas características.
    Fiquei curiosa para saber mais sobre o livro, com certeza irei ler!

    ResponderExcluir
  8. Uma pena que os personagens secundários não tenham sido tão bem explorados, porque sempre acho que eles são fundamentais para a história. E acho que a Sophia ser novinha não é um problema, principalmente por conta da comparação que você fez com Harry Potter, né? O livro parece ser bem interessante e eu estou com vontade de lê-lo, então foi direto para a minha lista!

    ResponderExcluir
  9. Oi Natiane, tudo bem? Já vi esse livro em outro blog e me encantei pela capa, depois ao longo da leitura da resenha me encantei com a história e a sua veio para confirmar. Eu tenho que conhecer essa história!!! Bjs

    ResponderExcluir
  10. Oi Natiane,
    Sua resenha está perfeita. Infelizmente não sinto vontade de ler livros aventureiros assim atualmente. Acho que nunca li um livro que aborde cartografia, aliás, fiz uma rápida pesquisa para saber do que se tratava.
    Enfim, não é um livro que eu leria, mas reconheço que sua resenha está muito bem escrita.
    Beijos
    Blog Historiar

    ResponderExcluir
  11. Olá!
    Não conhecia o livro antes de ler a resenha e fiquei interessada em ler.
    Achei a história bem original e diferente.
    Gostei também do que foi escrito sobre Sophie ser bem construída e bem legal quando encontramos bons personagens que nos prendem ao livro.

    ResponderExcluir
  12. Fiquei bem curiosa com sua resenha, que está perfeita, adorei todos os detalhes da aventura, mas não é um livro que a primeira a vista tenho vontade de ler, até por que o tanto que leio não me permite. Mas quero acompanhar a sua leitura.
    Bjkas

    ResponderExcluir
  13. Olá!
    Eu já tinha lido sobre o livro em outro blog e achei a premissa dele incrível. Bem inovadora e interessante, sem dúvidas é um livro que quero ler. Espero que em breve! <3
    Ótima resenha.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  14. Olá! Uau que resenha linda! Amei a capa, amei a premissa! Amo livros de ficção, e fiquei com muita vontade de ler. É uma trilogia! Melhor ainda. Fico imaginando um mundo com essa configuração do livro, ia ser muito louco. Eras diferentes se encontrando, duração do dia e da noite alterados. Parece ser um livro cheio de ação! Beijos!

    http://www.livrosepergaminhos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  15. Oi Natiane, tudo bem?

    Esse livro não me chamou muito a atenção, pois não gosto dessa parte de cartografia, nem de eras remotas. Mas a ideia foi bastante original, um mundo composto de várias eras, e parece bem complexo, tanto que essa parte de não ter desenvolvido o mundo foi algo que pode ter apagado um pouco o brilho da história. Quanto ao fato da protagonista ter apenas 13 anos não me incomodaria, como você disse, o Harry tinha 11 quando tudo começou. Acho que por ela ter sido obrigada a amadurecer antes do tempo, fica condizente com o que ela terá que passar.

    Não leria no momento, mas quem sabe mais para frente. Gostei bastante da sua resenha!!

    Beijinhos,

    Rafaella Lima // Vamos Falar de Livros?

    ResponderExcluir
  16. Oi, tudo bem?
    eu não conhecia o livro, mas fiquei bem curiosa. Essa ruptura temporal realmente é uma ideia bem inovadora e diferente das outras aventuras juvenis por aí. Como é o primeiro livro, talvez os personagens secundários sejam melhor abordados depois
    beijos
    http://meumundinhoficticio.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  17. Olá!
    Eu já tinha lido sobre esse livro em outros blogs e fiquei encantada com a premissa do livro! Muito interessante! Pelo visto vale mesmo a pena já que gostou tanto! Adorei a resenha!
    Beijos, Nathália
    www.livrosdagarotavermelha.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  18. Isso é o que eu chamo de um livro inovador. Achei o máximo isso de acontecer uma ruptura e partes do mundo irem parar em tempos diferentes... coitado de quem foi parar na pré-história... rs... e que coisa louca que as pessoas podiam inclusive transitar pelas eras! A premissa é mesmo sensacional, como sou apaixonada por livros de aventura não posso deixar a dica passar.

    Ju
    Entre Palcos e Livros

    ResponderExcluir
  19. Olaa
    Que bom que curtiu tanto a leitura, é uma ótima dica e resenha, não é meu gênero favorito, então vou deixar passar a dica.

    Beijos
    Reality of Books

    ResponderExcluir
  20. Ola lindona a premissa do livro já me conquistou afinal amo aventuras, com relação a personagem ser nova acredito não ser problema ainda mais se o autor construir o personagem bem próximo da idade. Uma pena que alguns fatos e cenas ficaram muito corrido, isso atrapalha um pouco a leitura. beijos

    Joyce
    www.livrosencantos.com

    ResponderExcluir
  21. Oi, Nati!!
    Tudo bem?
    Legal você ter gostado, e pena a leitura não ter engatado até a metade do livro. Achei a premissa realmente criativa também. E o fato da personagem nascer com o relógio biológico quebrado.. nossa! Já pensou?
    Não sei se leria agora, mas parece uma leitura interessante.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  22. Oi Natiane, tudo bom?
    Eu não conhecia esse livro ainda, mas achei o enredo bastante original. Imagina viver num mundo com várias eras? Loucura demais e também bastante interessante. Gostei da personagem e não me importo muito com a idade porque entro na onda do autor. O primeiro livro parece deixar o leitor bem às cegas, mas gostei muito da premissa.
    Beijos,
    http://livrosyviagens.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  23. Olá... Natiane, tudo bem??
    Eu não curto muito os livros de aventura, mas devo dizer que esse chamou a minha atenção pelo enredo proposto... nossa achei essa premissa incrível e ousada... fico imaginando viver nesse novo mundo cheio de rupturas... mesmo com as suas ressalvas, que achei de extrema importância, ainda assim quero arriscar na leitura... xero!

    ResponderExcluir
  24. Olá,
    gostei bastante da premissa do livro, a ideia da "grande ruptura" é muito boa e, para mim inovadora, não me lembro de ter lido livros com algo parecido com isso. Acho que a idade da personagem e sua maturidade não será problema pra mim, pelo menos a priori. Fiquei interessada em ler tbm. Bjus!!!
    http://www.lendoaestante.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita!
Todos os comentários deixados aqui serão carinhosamente retribuídos.
Para isso, basta deixar o endereço do seu blog!
Mas antes de comentar, lembre-se de que esse post foi feito
com muito carinho, então, se vai comentar
"oi, fiz postagem nova, me visita" ou fazer um comentário
apenas de divulgação, este não será aceito.
Obrigada pela compreensão!
Já está seguindo o blog no Google Friends? Então não perca tempo!