23 setembro 2015

# Resenha 277 // Yaki Delgado quer quebrar sua cara

Oi pessoal, tudo bem?

Espero que sim! Tenho certeza de que todo mundo já leu pelo menos um livro que tratasse sobre bullying, certo? Pois é, Yaqui Delgado fala exatamente disto. Um tema complicado que nunca vai ser pouco abordado.

Título: Yaqui Delgado quer quebrar a sua cara
Autor: Meg Medina
Editora: Intrínseca
Páginas: 272 
Livro cedido em parceria com a editora



Sinopse: "Uma garota surge de repente no caminho da adolescente Piddy Sanchez para avisá-la de que Yaqui Delgado vai acabar com ela. Piddy acabou de mudar de escola e nem faz ideia de quem seja Yaqui, muito menos do que pode ter feito de tão errado para apanhar. Mas Yaqui sabe quem ela é, e a odeia. Piddy Sanchez não tem descanso. Ser filha de uma imigrante cubana nos Estados Unidos e crescer sem pai já era bem difícil sem ter alguém a odiando. No ensino médio da nova escola, seu corpo atraente desperta tanto os olhares dos meninos quanto o da esquentada Yaqui, que começa atacando a novata com ameaças cruéis, mas demonstra ser capaz de muito mais que isso, tornando a vida de Piddy um verdadeiro inferno dominado pelo medo. Denunciar Yaqui não é uma opção. Fugir não adianta. O importante agora é sobreviver. O romance explora a questão do bullying nas escolas e fala de violência doméstica, assuntos que vêm sendo cada vez mais discutidos atualmente, por afetar muitas crianças e adolescentes."

Nunca é fácil mudar de colégio, principalmente quando você acaba se destacando dos demais. Piddy é descendente de latinos e vai para a nova escola após mudar-se de bairro com sua mãe. Logo na primeira semana ela repara que o colégio tem as suas segregações e nem todos são receptivos. As curvas de Piddy acabam chamando a atenção e quem não gosta nada disso é a valentona Yaqui Delgado que, definitivamente, odeia Piddy e está decidida a quebrar sua cara.

Este é um livro sobre bullying. Mais um entre tantos outros que tratam sobre o gênero, mas que, em sua maioria, não cansam de chocar o leitor. Só quem já sofreu consegue mensurar a sensação das hostilidades. Estudei a minha vida inteira no mesmo colégio, então nunca fui “a carne fresca”. Mas sempre tive medo da minha mãe querer me mudar de escola, me separar das minhas amigas e não conseguir me adaptar ao novo ambiente. É mais ou menos o que acontece com Piddy. A rivalidade da adolescência é corriqueiro e Piddy se vê no meio de uma disputa que sequer pediu para entrar.










Narrado em primeira pessoa, o livro narra bem a confusão da protagonista diante de tantos sentimentos diferentes na escola e dentro de sua própria casa. A sensação de insegurança nos corredores do colégio gera reflexos em sua vida pessoal e Piddy começa a confrontar a sua mãe, a matar aula, seu rendimento no colégio declina. É compreensivo ver tudo o que ela passa e, muitas vezes, experimentei doses de revolta por Piddy não tomar algum tipo de atitude. É complicado julgar, eu sei. Quem já teve a sua fase de colégio sabe que quem ameaça contar qualquer coisa que seja para o diretor/professor é visto como “x9”, o famoso fofoqueiro medroso, e a pressão age de todos os lados.

O destaque do livro, sem dúvida, é a abordagem verossímil do bullying e todas as suas consequências. O interessante dos livros que abordam o tema é perceber que não importa a idade, pode acontecer com um garoto de 9 anos como o Auggie, como pode acontecer com uma adolescente de 16 anos como a Piddy. O bullying é cruel e pode desestruturar uma pessoa. É difícil enfrentar, principalmente sem ajuda.

























Não posso dizer que a obra de Meg Medina tem um final feliz, mas, sem dúvida, aponta caminhos. E um dos focos do livro é, justamente, mostrar que todos nós podemos fazer uma escolha. Escolhemos silenciar ou escolhemos contar sobre o que estamos passando. Nem tudo é tão preto ou branco, mas sabemos também que guardar pode ser muito mais complicado. O triste é saber que, apesar de uma obra de ficção, existem muitas Piddys e muitas Yaquis por aí. O bullying é capaz de traumatizar uma pessoa.






21 comentários

  1. Já ouvi falar do livro e assim como muitos já tive contato com obras que retratam esse tipo de violência. Infelizmente, eu sei muito bem como é sofrer por algo do tipo. É meio difícil não de ver nos personagens.
    O bullying é uma violência que pode atingir qualquer um, não se restringe por certos aspectos. O pior é saber que para muitos não passa de uma "brincadeira", e que quem sofre com isso está fazendo drama por nada. Isso dificulta muito dizer algo quando você percebe o que as pessoas pensam sobre o assunto.
    Gosto de obras do tipo, acredito que muitas vezes elas podem ajudar alguém em algo. Seja a enxergar um caminho ou ao menos tentar, ou quem sabe, fazer que as pessoas entendam melhor as consequências do bullying, que nem sempre se limita apenas a escola.
    Abraços

    ResponderExcluir
  2. Oi Kel, adorei esse livro e a escrita da autora. A história mexeu demais comigo. Já sofri muito bullying no colégio e me doeu demais presenciar todo o abalo psicológico da personagem. Espero que obras como essa sirvam de alerta e coíbam as práticas dos valentões. Beijos, Mi

    Blog Recanto da Mi

    ResponderExcluir
  3. Oi Kel,
    Acho bem bacana livros que falem sobre bullying, gostaria que um número ainda maior de pessoas tivessem conhecimento deles. Fiquei tentada a conhecer a história de Piddy. As crianças não deveriam sentir esse medo ao mudar de escola, isso é revoltante. Concordo com você, o bullying pode e ocorre em várias idades, isso também é revoltante.
    Enfim, esse assunto é muito sério, mas muitas pessoas não tem consciência disso. Acho que eu gostaria de ler esse livro.
    Beijos - Tão doce e tão amarga.


    ResponderExcluir
  4. Helloo, Kel! Tudo bem?!
    Li esse livro a algum tempo. Gostei muito da leitura. Apesar de também ter ficado com raiva de Piddy em alguns momentos. Eu queria que ela fizesse alguma coisa, contasse para alguém ou até mesmo reagisse, mas ela se mostrava impotente e tal e isso me deixou irritada e ansiosa. Em dados momentos eu chorei, acho que porque a estória me fez lembrar de quando eu apanhava na escola também. Mudei muito de colégio, mas isso não foi um fator para sofrer bullying, era só porque eu era eu mesmo. Enfim, achei bem verossímil o livro e gostei da escrita, queria um final feliz, mas sei que isso nem sempre é verdade.
    Amei o blog!
    Beijin...
    http://piecesofalanagabriela.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. É muito triste quando isso acontece com alguém, sempre tem aqueles que se acham melhores que os outros e deixam a inveja tomar conta. Piddy assim como muitos acabam tendo que enfrentar sozinhos as consequências, porque não tem pra onde correrem. Também não mudei de escola, mas pra quem muda é horrível , porque não se sabe como será recebido pelos outros.

    ResponderExcluir
  6. Faz um tempinho que eu ouvi falar do livro e já tinha me interessado muito pela leitura.
    O bullying por mais que seja um assunto muito tratado hoje, continua acontecendo o tempo inteiro. É horrível a maneira com que as pessoas tratam aquelas que são diferentes dela, ou não seguem um padrão. Ninguém, por pior que seja, merece sofrer bullying. Cada um de nós e diferente e único e saber que tem gente que ainda acha que bullying é brincadeira... Quantas vidas já não foram destruídas por causa disso?

    ResponderExcluir
  7. Olá Kel!
    Adorei a resenha!
    Ainda não tinha ouvido falar desse livro mas fiquei bem interessada.
    Pensando em colocar na minha lista ;)
    Beijos
    http://nosleitoras.com/

    ResponderExcluir
  8. Realmente tem bastante livro que aborda o Bullying, mas todos os livros que eu li conseguiram me chocar bastante. O Bullying realmente consegue desestruturar algumas pessoas. Eu também estudei a vida toda no mesmo colégio, mas também sempre tive medo de mudar :P
    Eu não conhecia esse livro mas agora já fiquei bem interessada em ler ele, mesmo sabendo que não tem final feliz...

    Beijos!

    ResponderExcluir
  9. Gosto muito de ler livros sobre bullying e esse já está na minha lista faz um . tempinho. Adorei a sua resenha que me deixou com mais vontade de ler. Pretendo ler em.breve. bjs

    ResponderExcluir
  10. Oi Kel, tudo bem? Eu adoro minhas leituras sobre bullying. Me deixam com uma ressaca literária daquelas. Adorei a capa do livro e inclusive essa semana na minha escola teve um projeto sobre o assunto e meu professor passou dois filmes sobre bullying. É incrível como a vida da pessoa se torna um inferno e ela não vê mais sentido na vida. O pior são os autores que por razão alguma começam a atacar uma pessoa diferente. Devemos sempre respeitar o que somos e o que as pessoas são. Bjs

    ResponderExcluir
  11. Livros que abordam temas tão fortes como esse, deviam ser mais lidos e assim ser mais compreendidos por aqueles que veem esses momentos. Pois são na maioria das vezes um tanto triste, desenvolvidos pelo preconceito e inveja. É um assunto doloroso de se ver, mas sempre importante.
    Acho que livros que tratam sobre bullying, da forma que for, tentam mostrar como isso pode ser para a vitima, como ela realmente se sente e o que ela pode fazer para acabar, mas aí surge a dúvida, ser um x9 ou suportar? ;/
    Gostei da resenha e achei a capa muito legal. Não o conhecia mas agora quero adicioná-lo em minha lista.
    Abçs!!

    ResponderExcluir
  12. Olá!
    Gostei muito da resenha!
    Não conhecia o livro antes.
    A história do livro pareceu muito boa e verdadeira, fiquei curiosa para saber como o buylling é tratado no livro e como a personagem lida com ele.
    É ótimo que atualmente estão sendo lançados vários livros que tratem desse tema.

    ResponderExcluir
  13. Olá! Realmente o bullying é uma coisa horrível que acontece com mais pessoas que imaginamos, não entendo porque existem pessoas que sentem o prazer em machucar, seja física ou verbalmente, uma pessoa. É horrível demais! A capa é bem interessante, bem relacionada com o tema do livro! Parabéns pela resenha! Beijos!

    http://livrosepergaminhos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  14. Olá!
    Não tinha ouvido falar desse livro, mas parece ser muito bom! Ainda mais por tratar de um tema tão comum em nossa sociedade. Muitas pessoas deveriam ter conhecido sobre livros que abordam esse tema. Adorei a resenha!
    Beijos, Nathália
    https://livrosdagarotavermelha.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  15. Ola não conhecia o livro, mas é incrível como ainda hoje continuamos com esse absurdo e quem o causa sente prazer em atazanar a vida da pessoa, e de certa maneira até o inveja, adoro temas como esse, uma pena as vezes a escolha ser de aguentar calado dando força a esse ato que merece castigo. Dica mais que anotada. beijos

    Joyce
    www.livrosencantos.com

    ResponderExcluir
  16. Oláá
    Nossa, adooorei a sua resenha, sempre via o livro mas nunca sabia do que se tratava, agora entrou para lista de desejados pois adoro temas assim, muito legal mesmo, anotado

    Beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  17. Olá Kel, desde a turnê de Intrínseca fiquei muito interessada nesse livro, todos os livros que tem o tema bullying eu levo para o colégio da bella, tempos atrás tivemos um episódio nada agradável, e a mãe menina tratou com pouco caso, mas mostrei para ela que não é bem assim. Esse livro parece ser bem denso e uma leitura que nos faz refletir.
    Bjkas

    ResponderExcluir
  18. Esse tema finalmente está começando a ganhar todo o destaque necessário e fico feliz de encontrá-lo na literatura, porque muitos jovens podem até se encontrar com essas leituras e criar coragem para falar sobre o assunto. O fato do final não ser feliz já me dá uma leve ideia do que vou encontrar nesse livro. Adorei a capa, aliás.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  19. Oi Kel, tudo bem?

    Gostei bastante da sua resenha, li esse livro em setembro para a campanha "Booktubers Contra o Bullying", um dos livros que eu li sobre o assunto, na verdade... e existem vários, mas enfim. Gostei de alguns pontos da história, e concordo com tudo o que você mencionou na sua resenha, é difícil julgar uma pessoa e falar que no lugar dela faríamos diferentes. O final ficou bem condizente com a história. Sei lá, o que me incomodou nessa história foi que eu não consegui me conectar com a personagem, sei lá, eu não consegui acreditar nela. Mas a autora conseguiu abordar vários temas importantes, além do próprio bullying, como violência a mulher, de uma forma fluída e leve.

    Beijinhos,

    Rafaella Lima // Vamos Falar de Livros?

    ResponderExcluir
  20. Olá... tudo bem Kel.
    Eu li dois livros sobre o tema, mas Sem Limites me chocou profundamente e o melhor que foi nacional, ainda hoje tenho marcas de ressaca desse livro. esse que você resenhou não me chamou muita atenção... mas essa coisa de mudar de escola e encontrar alguém que persiga a gente e nos quer fazer mau é bem complicado mesmo, fico imaginando o que essa menina passou... Xero!!

    ResponderExcluir
  21. Kel, fiquei com a impressão de que esse livro é muito bom! Ele me fez lembrar de um filme sensacional que assisti há uns 3 anos... Se não me engano, o filme se chama "Depois de Lúcia". Aliás, recomendo muito, viu? :)
    Beijo grande!

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita!
Todos os comentários deixados aqui serão carinhosamente retribuídos.
Para isso, basta deixar o endereço do seu blog!
Mas antes de comentar, lembre-se de que esse post foi feito
com muito carinho, então, se vai comentar
"oi, fiz postagem nova, me visita" ou fazer um comentário
apenas de divulgação, este não será aceito.
Obrigada pela compreensão!
Já está seguindo o blog no Google Friends? Então não perca tempo!