# Resenha 257 // Matando Borboletas

E ai, pessoal?

Eu sou o Henrique e hoje a resenha será sobre o livro Matando Borboletas. Espero que gostem. Pena que eu não me identifiquei com a leitura.

Título: Matando Borboletas // Breaking Butterflies
Autor: M Anjelais
Editora: Verus
Páginas: 224
Livro cedido em parceria com a editora



Sinopse: O primeiro amor, a inocência perdida, e a beleza que pode ser encontrada até nas circunstâncias mais perversas. Sphinx e Cadence — prometidos um ao outro na infância e envolvidos na adolescência. Sphinx é meiga, compassiva, comum. Cadence é brilhante, carismático — e doente. Na infância, ele deixou uma cicatriz nela com uma faca. Agora, conforme a doença de Cadence progride, ele se torna cada vez mais difícil. Ninguém sabe ainda, mas Cadence é incapaz de ter sentimentos. Sphinx quer continuar leal a ele, mas teme por sua vida. O relacionamento entre os dois vai passar por muitas reviravoltas, até chegar ao aterrorizante clímax que pode envolver o sacrifício supremo.






Sphinx e Cadence foram prometidos um ao outro antes mesmo de nascerem; suas mães são amigas de infância e juntas planejaram suas vidas, incluindo o nome dos seus filhos e com quem eles se casariam. O “plano” quase deu certo.

À medida que cresciam, Sphinx e Cadence se mostravam muito próximos – amigos inseparáveis. Sphinx cresceu como qualquer garota, à medida que Cadence exibia alguns comportamentos inadequados, que sua mãe e a mãe de Sphinx preferiram ignorar.

Certo dia, Cadence cortou o rosto de Sphinx com um canivete.

Depois disso, Cadence e sua mãe se mudaram para a Inglaterra e a conexão que eles tinham foi se desfazendo com o tempo, mesmo que suas mães ainda se comunicassem com frequência. E, em meio à relação por telefone, a mãe de Cadence conta que ele foi diagnosticado com leucemia e que tem menos de 1 ano de vida.








Sphinx não esqueceu o que Cadence fez com ela, mas lembra também como ele era um amigo incrível, então acaba indo com sua mãe passar uma semana na Inglaterra. Durante esse tempo, as coisas mudam e Sphinx vai descobrir quem Cadence realmente é e, enquanto sua doença progride, ela vai entender melhor tudo o que aconteceu. Aos poucos as peças que faltam na sua história começam a se encaixar, ao mesmo tempo em que seu relacionamento com ele passa por várias reviravoltas e momentos de tensão. Esta é uma jornada de descobertas onde as coisas não são tão simples quanto parecem.

Matando Borboletas não foi uma leitura agradável, mas, infelizmente, o livro acabou decaindo no que diz respeito a qualidade.. A história começou de uma forma interessante e instigante, mas logo tudo começou a desabar. Narrado em primeira pessoa, na visão de Sphinx, o livro mostra um pouco sobre o passado da trama, para nos fazer contextualizar melhor a história e, então, parte para o agora, que é quando as coisas começam a dar errado.






















Tudo correu bem até o momento em que Sphinx e sua mãe vão visitar Cadence na Inglaterra; Sphinx era até uma menina legal, mas na presença do amigo ela se transforma. SUBMISSA seria uma palavra perfeita para descrever o estado dela em sua relação com Cadence. Já o próprio garoto é muito chato. Me perdoem, eu não sou de odiar personagens (já a Raquel, sim =P)e o comportamento dele tem uma explicação, mas não consegui aturar ele de forma nenhuma.

O segredo da trama (que não posso contar, obviamente) dava brecha para uma história e tanto, bem desenvolvida, sobre um tema não tão comum, mas a autora não soube usar isso a seu favor, apesar da escrita ser boa.

Eu tinha uma expectativa sobre o livro, que ele não conseguiu alcançar, e mesmo que muitas pessoas tenham gostado e que a trama tenha sua base, não me agradou, infelizmente.




10 comentários:

  1. Olá, Henrique.
    Uma pena que Matando Borboletas não tenha te conquistado, infelizmente sua resenha não é a primeira negativa que leio (sendo sincera não vi uma positiva até hoje).
    A capa e a sinopse até tinham me interessado, sem falar do título que roubou a minha atenção, mas com as resenhas minha vontade de ler este livro desapareceu. Por mais que tenha seus pontos interessantes, parece que nada foi desenvolvido de maneira satisfatória e creio que acabaria não gostando dos personagens pelo pouco que captei deles.
    Não sei de darei uma chance para tirar minhas próprias conclusões quanto a história, até porque não sinto vontade de fazer isso, mas caso o faço será no futuro. Até lá me concentro nos livros estacionados na minha lista infinita.
    Abraços

    ResponderExcluir
  2. Olá!

    Que pena que a leitura não te agradou. Eu, pela sua resenha, também não curti muito a premissa da obra, mas a capa é muito bonita. Excelente resenha!

    resenhaeoutrascoisas.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Oi Henrique,
    Ainda não conhecia esse livro. Uma pena que a leitura não te agradou.
    Fiquei curiosa para saber sobre esse segredo, mas não sei se leio depois de tudo o que você disse. Principalmente com uma protagonista se comportando de forma submissa. Me desagrada bastante.

    Beijussss;
    http://hipercriativa.blogspot.com.br/
    https://www.facebook.com/BlogMenteHipercriativa

    ResponderExcluir
  4. puxa é uma pena quando o livro tem tudo pra ser bom...mas se perde no meio do caminhoo...
    eu não conhecia este livro... ultimamente nao me forco a ler se nao gosto eu ja paroo

    ResponderExcluir
  5. Oi Kel e Henrique!
    Pelo que você contou da história do livro eu já achei ela meio complicada, só por isso não leria... Sabendo que o livro não agradou então, vou deixar para outro momento, já tenho muitos para ler.

    Beijos,
    Sora - Meu Jardim de Livros

    ResponderExcluir
  6. Olá Henrique!
    Na verdade o livro tinha até me chamado atenção, mas agora perdi o interesse. Nunca ouvi falar desta autora e é mais um motivo de não confiar na escrita dela, depois que você disse que ela não soube usar as coisas a seu favor.
    É realmente uma pena.

    Beijos!!
    umlugarparaleresonhar.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. Oiee
    Capa linda, título lindo e mais uma resenha negativa sobre o livro. Q pena mesmo, pois vc não foi o primeiro a dizer q a trama parecia boa mas q a autora não desenvolveu bem.
    Dá até vontade de ler, mas qdo as opiniões são de maioria negativa, eu acabo passando essa leitura e escolhendo outras q me interessaram mais.

    ResponderExcluir
  8. Sphinx? como se lê esse nome ?? Oo
    ainda não li o livro, mas não estou tão curiosa não ;x
    qe pena que o livro pecou nesses aspectos ai... acho que a trama tinha tudo para ser melhor mesmo... :(

    ResponderExcluir
  9. Ai, Henrique, se a sinopse já não me agradou muito, imagine depois de ler sua resenha, na qual você diz que não gostou muito do livro... Eis a prova de que não se deve julgar um livro pela capa, né? Hahaha (Porque eu achei essa capa linda!).
    Aliás, fiquei com muita dificuldade com esses nomes. Sphinx e Cadence, não sei quem é o garoto e quem é a garota. Aliás, pra mim era o contrário: Cadence era a garota. Mas lendo sua resenha me pareceu ser o contrário, né? #confusa.
    Hahahah
    Abraço!

    ResponderExcluir
  10. Oi Achei bem bobinho o livro hahaha sei la acho que os personagens nao me cativou
    e fora que a historia e bem fraca, hsauhsuahs mais a capa e até bonitinha
    gostei da resenhaa bjs

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita!
Todos os comentários deixados aqui serão carinhosamente retribuídos.
Para isso, basta deixar o endereço do seu blog!
Mas antes de comentar, lembre-se de que esse post foi feito
com muito carinho, então, se vai comentar
"oi, fiz postagem nova, me visita" ou fazer um comentário
apenas de divulgação, este não será aceito.
Obrigada pela compreensão!
Já está seguindo o blog no Google Friends? Então não perca tempo!