# Resenha 211 // Dois Garotos Se Beijando

Oi pessoinhas, tudo bem?

Espero que sim. Na última resenha eu comentei a respeito da dificuldade em resenhar dois livros que eu li esse ano. Um deles já foi resenhado: Por Lugares Incríveis. O outro é a resenha de hoje: Dois Garotos se Beijando, da Galera Record. Acho que subestimei o livro e terminei a leitura com aquela dorzinha no coração. Espero que gostem da resenha.


Título: Dois Garotos Se Beijando // Two Boys Kissing
Autor: David Levithan
Editora: Galera Record
Páginas: 224
Livro cedido em parceria com a editora






Sinopse: Baseado em fatos reais e em parte narrado por uma geração que morreu em decorrência da Aids, o livro segue os passos de Harry e Craig, dois jovens de 17 anos que estão prestes a participar de um desafio: 32 horas se beijando para figurar no Livro dos Recordes. Enquanto tentam cumprir sua meta — e quebrar alguns tabus —, os dois chamam a atenção de outros jovens que também precisam lidar com questões universais como amor, identidade e a sensação de pertencer.



Quando anunciaram o livro imaginei que se tratasse de uma história (homossexual, claro), onde dois meninos se conhecem, começa a surgir aquela identificação e as coisas vão fluindo. Me surpreendi ao começar a leitura e perceber que não se trata apenas de UM casal, mas de vários casais que, ainda que vivendo universos diferentes, tem as suas vidas interligadas. O foco está em Harry e Craig, que querem quebrar o recorde mundial de maior tempo se beijando. Enquanto eles quebram recordes mundiais, os demais garotos querem quebrar recordes menores, mas não menos importantes: recordes da aceitação pelo que são, recordes da atenção do parceiro, recordes de compreensão por parte dos pais, etc. 

Imaginei que esse seria um livro rápido de ler, já que ele tem poucas páginas. É fácil ler 200 páginas em um dia. Mas a complexidade do livro me surpreendeu. Cada garoto mostra uma realidade diferente de um casal homossexual. Tem aquele que os pais não sabem que o filho é gay. Aquele que os pais apoiam, aquele que sofre bullying na escola. Aquele que é espancado por ser o que é. E essas realidades são tão reais e, ao mesmo tempo, tão cruéis, que eu precisava respirar um pouco entre a leitura. O livro mexeu muito comigo e aqui estou eu, sofrendo, novamente, para escrever uma resenha.






























A verdade é que Dois Garotos me destruiu e eu nem imaginei que esse pequeno (e notável) livro pudesse ter este efeito em mim. Apesar da temática homossexual, o livro deveria ser lido por qualquer tipo de pessoa. Por, justamente, pregar a ideia de que não existe "tipos de pessoas". Existem pessoas. Pura e simplesmente.

Respeito aqueles que tem uma opção sexual diferente da minha. É triste ver que ainda hoje exista esse preconceito não só com os homossexuais, mas com qualquer pessoa que seja diferente do "padrão". Não acho que o autor exagerou ao abordar a temática no livro. Pelo contrário. Consegui sentir na pele tudo o que aqueles garotos sentiram. As subtramas de Levithan são tão verossímeis, que poderiam acontecer (e com certeza acontecem), com alguém do seu bairro.

Essa não foi a minha primeira experiência com o Levithan, mas, com certeza, essa é a melhor obra do autor. Profundo e reflexivo, o livro te faz mergulhar na história e promete gerar um mix de sentimentos. O autor testa até onde vão os seus preconceitos. Não se trata apenas de dois garotos se beijando, mas de uma luta pelo reconhecimento de ser quem você é, sem amarras. Cada um dos personagens do livro vive uma história diferente, mas todas são singelas e intensas. Até aquele que conta com a maior das compreensões por ser gay também vai passar por algum obstáculo ao longo do livro.





























Entre tantos pontos altos, tenho que destacar a opção pela narrativa em terceira pessoa, com um narrador que participa da história como observador. Na verdade, não se trata de apenas um narrador observador, mas de todo um grupo de pessoas que morreram em decorrência do HIV. Pessoas que viveram o mais duro preconceito, pela falta de conhecimento, em uma época onde se achava que tocar em alguém com AIDS poderia ser infectado pelo vírus também. O narrador torce pelos personagens, dá dicas, tenta chamar a atenção, por mais que ele saiba que não pode interferir no destino de cada um deles. Apesar destes "narradores" já terem morrido, me sentia parte deste grupo. Levithan se superou tanto neste livro, que me senti parte dele: torci, quis dar uns tapas, quis gritar e abraçar os meninos. Mas, ao mesmo tempo, me espantei com a força deles.

O livro prega o amor acima de tudo e a aceitação. Dois Garotos Se Beijando mostra que todos tem o mesmo direito de buscar a felicidade e que o amor é válido independente do gênero. Se eu tenho direito de ser feliz com o meu namorado, porque um garoto não pode sentir esta mesma felicidade que eu sinto com outro garoto?

Gerou-se um mimimi a respeito da capa do livro e, sinceramente, achei linda. A capa americana é legal? É legal. Mas, na boa, já pararam para analisar a capa nacional? E todas as palavras que formam o rosto anonimo dos meninos se beijando? É simplesmente fantástico.







34 comentários:

  1. Oi Kel, tudo bem?
    Ainda não li nenhum livro desse autor, mas essa sua resenha me deixou curiosa pra conhece-lo.
    Confesso q, no início, não me empolguei. Não por se tratar de homossexualismo. Nada disso! Mas, me pareceu um livro triste q iria me deixar melancólica. Tenho medo de histórias assim... rrsrssr A ressaca literária definitivamente me deixa de baixo astral.
    Mas qdo vc comentou sobre como eh a narrativa, de como o narrador é um tipo de observador, a chama da curiosidade foi despertada e acho q vale a pena colocar esse exemplar na lista de desejos, assim como acho q todo forma de amor vale a pena!
    Obrigada pela bela resenha!!

    ResponderExcluir
  2. Ual, esse tip ode livro meche uito com a gente mesmo né?
    Nem li e já senti isso.

    Boutique de Clichês


    ResponderExcluir
  3. mimimi pela capa vai ter eternamente! Nunca todo mundo fica satisfeito e eh impossivel agradar a todos mesmo!

    Não li nada do David Levithan mas quero começar por todo dia, que já tenho aqui em casa.

    ResponderExcluir
  4. Não li nada dessa autor ainda, mas com todos esses comentários positivos que estou vendo sobre esse livro, quero começar por ele. O tema é delicado e realmente merece atenção, então saber que ele tratou disso de uma forma tão envolvente me deixa curiosa para fazer a leitura. Quero me sentir parte dos narradores também. Adorei a resenha.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  5. Olá, Raquel.
    Quero muito ler algum livro David Levithan. Já li várias resenhas dos diferentes livros do
    e só aumenta minha vontade de conhecer a escrita dele.
    Com "Dois Garotos Se Beijando" não foi diferente. O livro me parece ser lindoe com uma bela mensagem.
    Quem sabe não será o primeiro livro do Levithan que irei ler?! rsrsrs

    Abraços!
    http://tudoonlinevirtual.blogspot.com.br/


    ResponderExcluir
  6. Não conhecia o livro, fiquei muito interessada! É uma pena que pessoas ainda sofram por não seguirem uma norma ou o que é dito como normal! Parabéns pela resenha e pela lição de respeito ao próximo!!
    Beijos
    Isadora

    www.novoromance.com.br

    ResponderExcluir
  7. Kel que resenha maravilhosa, fiquei emocionada e pela primeira vez curiosa e convencida a ler um livro desse autor. Concordo que a capa nacional ficou mais bonita!!!

    P.s. O direito de amar e ser amado (e respeitado) deve ser maior que qualquer forma de classificação sexo, cor, credo etc. Desejo que um dia as pessoas percebam isso e sejam felizes respeitando o outro do jeito que ele é!!!!

    Valeu pela dica. Primeira resenha lida desse livro, adorei!!!
    Leituras, vida e paixões!!!!

    ResponderExcluir
  8. Estou doida pra ler esse livro, amei a capa, gosto muito da escrita do David Levithan e essa resenha me deixou ainda mais ansiosa pra conferi esse livro.

    ResponderExcluir
  9. Oi Kel,
    começando pela capa: eu ainda não vi o livro "ao vivo", mas parece ser linda. não consegui ver o que está escrito nela, mas quero saber lgoo! :p
    bm, eu nunca li nada deste autor, e até então nenhum dos livros dele tinham me deixado curiosa. este aqui me deixou suuuper curiosa, principalmente por ser um tema tão polêmico assim. acho que é bom vermos livros assim ganhando bastante foco e divulgação, até porque as pessoas precisam parar com essa ignorância.
    acredito ser uma trama incrível. preciso lê-lo logo *--*

    ResponderExcluir
  10. Oiiii,
    Nossa tinha uma ideia totalmente diferente desse livro, parece ser muito bom :)
    Já vou providenciar o meu exemplar.
    Excelente resenha.
    Beijos.

    http://ateliedoslivros.blogspot.com.br/2015/03/paginas-saiba-mais-skoob-editora.html

    ResponderExcluir
  11. Oi, Diva!
    Vou começar com algo irritante e cliché, mas que agora é sincero e a mais pura verdade: "adorei a resenha".
    Esse livro será a minha próxima leitura, e é, realmente, uma ótima oportunidade para babar ainda mais nessa mensagem linda do David Levithan: o que existe são pessoas. É isso. Senti isso demais em Todo Dia. E a mensagem tinha que se repetir de modo, talvez, até mais claro nesse livro. Esse autor... ele é divo. Apenaxxxxxx... Divo! Lacrador! Estou ainda mais louca para ler. E realmente, amei o modo como você expôs todos os temas tabus na resenha. UM TAPA NA CARA DA SOCIEDADE! UM TAPA NA CARA DO PRECONCEITO! \o \o hsuahsuahsuahsa... Brincadeirinha.
    Beijos :*

    ResponderExcluir
  12. É triste ver todo esse preconceito que ainda existe, mas ao mesmo tempo dá orgulho de ver o quanto se faz hoje em dia para acabar com essas mentes preconceituosas. Eu tenho pra mim que as pessoas que repudiam tanto a opção sexual dos outros só pensam desse jeito por pura ignorância, pois não sabem, nunca sofreram na pele uma rejeição assim. Dá vontade de pegar Dois Garotos se Beijando e obrigar a pessoa a ler, ver com os próprios olhos que não é só mais uma história de casais homossexuais, mas sim uma história de pessoas com qualidades e defeitos, que amaram, que mereciam ser felizes assim como qualquer outro, e que lutaram por isso.

    ResponderExcluir
  13. Não tem um blog que não dê 5 estrelas para este livro. Impressionante. Eu vou pegar esse livro emprestado com meu amigo e ler, pois como ainda não li nenhum livro do autor eu não quero comprar e depois não gostar e acabar com um livro encalhado na minha estante. Prefiro pegar emprestado primeiro e caso goste vai pra minha lista de compras da Bienal. Gosto de livros com temas polêmicos e esse com certeza se encaixa nisso.

    ResponderExcluir
  14. Oi Kel...
    Adorei a resenha. Acho que deve ser uma história interessante, e essa negócio de ficar 32 horas se beijando deve ser louco rsrs
    Eu não vi nada demais na capa também, e achei que ficou muito bonita.
    Apesar dos elogios, não sei se leria o livro de imediato.

    livrosvamosdevoralos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  15. Kel, esse livro já estava na minha mira. Aproveito pra te indicar "Mil Rosas Roubadas", que é tão intenso que eu já deixei de lado duas vezes. Pretendo retomar quando terminar o que estou lendo agora, mas olha: Por todas as páginas que já li dele, parece ser muito bom. :)
    Voltando ao assunto, esse livro já estava na minha mira, e essa é a primeira resenha que leio sobre ele. Tanto esse quanto o "Por Lugares Incríveis" já estão na minha lista. Obrigada pela dica!
    Um beijinho,
    Mona
    www.literasutra.com

    ResponderExcluir
  16. Li muito comentário positivo sobre esse livro e quero muito ler. Do autor só li Invisível e gostei bastante.
    Tudo que Motiva

    ResponderExcluir
  17. Oi Kel, tudo bem?
    Eu li esse livro recentemente e amei essa história! Achei realmente incrível a narrativa desse livro, o autor acertou em cheio em narrar o livro através da visão de homossexuais que morreram por causa do HIV e que viveram em uma época onde o preconceito era ainda maior que hoje em dia.
    Amei os personagens e concordo com você que esse livro deve ser lido por qualquer pessoa. Ele fala muito sobre amor, respeito e aceitação que é algo sobre o qual todos nós deveríamos ler.

    Beijão :*
    http://www.livrosesonhos.com/

    ResponderExcluir
  18. Oi Kel, tudo bom?
    Acredito que esse tenha sido o livro mais emocionante e marcante que eu li durante esse mês. Eu não esperava que a narrativa, pelo menos pra mim, fosse ser tão intensa. Não sei, o autor conseguiu dar uma visão completamente diferente pra um assunto que já vem sendo abordado em vários outros livros dele. Fiquei encantada com esse livro, principalmente com a narrativa.

    http://laoliphant.com.br/

    ResponderExcluir
  19. Oi kel tudo bem, amei sua resenha senti a sua inspiração, lembro qdo comentados voltando do evento da Carina Rissi a dificuldade de resenhar um livro tão intenso como esse, eu tbm respeito a opção que cada um faz na vida, e não estou em posição de julgar, a capa é linda e adorei a campanha que fizeram para esse livro. Quando cada um ficar no seu quadrado e ter a consciência do respeito e bom senso, seremos melhores.
    Bjkas
    Dani Casquet - Livros, a Janela da Imaginação

    ResponderExcluir
  20. Oi Kel!
    Essa é a segunda resenha que leio e cada vez tenho mais certeza que preciso lê-lo.
    Quando eu era pequena, anos 80, minha mãe tinha amigos da faculdade que eram homossexuais e hoje em dia, todos já morreram e a causa foi HIV. Eu era pequena na época, não entendia muito, mas a premissa do livro me fez lembrar muito deles e do quanto eram queridos comigo.
    Excelente resenha!
    Beijos.

    Li
    Literalizando Sonhos

    ResponderExcluir
  21. Olá Kel...
    Não conhecia o livro, mas me apaixonei pela capa...
    A sua resenha está incrível, parabéns...
    É um tema forte e polêmico e parece que o autor conseguiu transmitir a emoção necessária e isso me deixou muito curiosa.

    beijos
    Mayara
    Livros & Tal

    ResponderExcluir
  22. oi Kel, tudo bem?
    eu já queria ler o livro, agora quero ainda mais! Não sabia que retratava várias histórias do universo homossexual. Tenho vários amigos que são, e já vi realidades bem diferentes, assim como o livro mostra. Tenho um amigo que a família toda sabe e aceita, e outro que tem que ficar escondendo de todo mundo, senão corre até o risco de ser expulso de casa, pelo pai.
    Só por esse fato, de mostrar a realidade como ela é, já quero ler esse livro. E ainda tem o bônus do tipo de narração e narrador adotado.
    Amei a resenha
    beijos
    http://meumundinhoficticio.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  23. Ai gente, já estou chorando só pela resenha, quero ver como vai ser quando a minha encomenda do Submarino chegar... Acho que o que mais me chamou atenção para o livro foi a sinopse. Eu já li Todo Dia, do mesmo autor, que mostra um pouquinho disso (do tema aceitação, amor...) e amei. Agora só me resta esperar o correio *.*

    ResponderExcluir
  24. Oi Kel, tudo bem? Gostei da sua resenha e da forma com que você mostrou que o livro mexeu com você. Respeito e amor são coisas muito importantes para vivermos bem. E muitas pessoas não veem isso. Eu particularmente, não aceitava muito bem, mas tenho um grande respeito pelas pessoas que são felizes assim, que fazem suas escolhas e querem enfrentá-las, vou dar uma oportunidade assim que eu puder! Bjs
    folheandominhavida.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  25. Oiee

    Já li o livro e realmente passa uma mensagem linda, adorei a mensagem central porém não curti a narrativa em terceira pessoa e o final aberto mas com certeza é um livro que merece ser lida por todos.

    Beijos

    www.livrosechocolatequente.com.br

    ResponderExcluir
  26. Oi Kel, tudo bem? Acho que essa foi a primeira resenha que li desse livro! Gosto de livros emocionantes e gostaria de saber como o autor abordou o assunto. Que bom que você gostou da leitura, sua resenha realmente passa todo esse sentimento. imaginei que o livro era em primeira pessoa, me surpreendi.
    Beijos

    Mari
    cantinhodeleituradamari.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  27. Preciso ler pra onde este livro, a minha coleção do tio David só vem crescendo na minha estante e depois de Will e Will, Garoto ♥ Garoto agora vem este para arrebatar meu coração mais ainda, adoro a forma que ele escreve sobre o homossexualismo passando ao fim uma mensagem linda que deveria ser compartilhada por todo o mundo!

    Beijos,
    Joi Cardoso
    Estante Diagonal

    ResponderExcluir
  28. Oi Kel, tudo bom?
    Só li um livro do David, mas nenhum com a temática homossexual. Acredito que o autor tem o dom de conseguir passar uma mensagem com delicadeza para os leitores com seus livros. Acompanhei um pouco da polêmica em relação a capa desse livro e só posso concluir que o pessoal é muito mimizento. Dois Garotos se Beijando parece ter uma trama bonita e espero ler ainda esse ano.
    Beijos,
    http://livrosyviagens.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  29. Oi!
    O livro me surpreendeu adorei saber que eles mostra varias realidades possíveis e legal esse contraste de como as pessoas reagem a historia me pareceu muito emocionante e tocante e eu quero ler esse livro !!!

    ResponderExcluir
  30. Nossa Kel, mas que bacana. A história do livro parece ser bem interessante mesmo, pois não importa o que aconteça. Eu já li outro do David, aquele Will e Will e quero muito agora ler esse. As pessoas deveriam ter vergonha dos próprios preconceitos, não?!

    ResponderExcluir
  31. Eu li o Garoto encontra garoto, e sinceramente não achei mto "homossexual", tem gente que falou mal, mas é um livro simples, puro, fofo, fala de amor, não de opção ou qqr coisa do tipo. O homossexualismo foi tratado de forma tão natural que me fez pensar: "poxa, como é hipócrita quem discrimina um gay. Ele é como eu. Como minha mãe, meu pai, como meus amigos."
    Como todos nós.
    Amei a escrita do David e quero ler todos dele!
    Dois garotos se beijando parece ser melhor ainda. Mais intenso, por ter mais histórias interligadas. Mais reflexão que devemos fazer.
    Sou evangélica sim. E tenho vários amigos gays. Por que? Porque eu amo o próximo e não vou julgar alguém de carne, osso, sentimentos e erros exatamente COMO EU.
    Bjoos
    Ana

    ResponderExcluir
  32. Nossa, Kel, suas resenhas são maravilhosas. Essa é a primeira que leio sobre esse livro, e adorei. Não conhecia a história (apenas que era sobre um casal homossexual, por causa do título) e nem que era baseada em fatos reais. Me chocou um pouco sobre realidades cruéis de espancamento e bullying, mas infelizmente sabemos que acontecem. Parece ser uma leitura bem interessante, e daquelas que te tirar da zona de conforto.

    ResponderExcluir
  33. Oi Kel, eu também achei que o livro se tratava sobre um romance entre dois garotos e agora pela sua resenha vejo que é muito mais complexo que isso. Nossa, eu fiquei emocionada com sua resenha e confesso que antes o livro não tinha me atraído, mas agora quero muito ler.

    Beijos.

    http://livrosleituraseafins.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  34. Olá Kel, tudo bem??

    Não porque foi gerado todo esse mimimi por causa da capa... eu achei magnifica... infelizmente ainda vivemos com esse tipo de preconceito das pessoas.. tenho minha convicções, mas respeito a forma de viver de todas as pessoas, desde que a pessoa não esteja causando o mau, acho que pode sim viver qualquer forma de amor... e David sabe retratar isso perfeitamente bem... adoro a escrita dele e estou curiosa para a leitura deste livro... xero!

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita!
Todos os comentários deixados aqui serão carinhosamente retribuídos.
Para isso, basta deixar o endereço do seu blog!
Mas antes de comentar, lembre-se de que esse post foi feito
com muito carinho, então, se vai comentar
"oi, fiz postagem nova, me visita" ou fazer um comentário
apenas de divulgação, este não será aceito.
Obrigada pela compreensão!
Já está seguindo o blog no Google Friends? Então não perca tempo!