10 janeiro 2015

# Mudando de Assunto // Entrevista com o autor Rodrigo Toffolo

Oiee, pessoal, tudo bem?

Espero que sim. Hoje é dia de Mudando de Assunto com mais um autor convidado aqui do blog. Desta vez a entrevista é com o Rodrigo Toffolo, autor de Forjando Mundos, uma coletânea de contos e poesias.





1) Quando começou a escrever?

Desde pequeno sempre tive um livro na mão e um lápis e papel na outra, mas escrever era um hobbie. Comecei a levar a sério, ainda sem vislumbrar uma carreira, em 2009, com a publicação do meu primeiro conto na antologia Dias Contados – contos sobre o fim do mundo, da Andross Editora.


2) Você é formado em jornalismo, acredita que a sua formação ajudou na hora de produzir os seus textos?

Com certeza, sim. No jornalismo não há só o noticiar, o factual, mas na maior parte do tempo você precisa contar histórias, e essa base teórica me ajudou bastante nos primeiros textos; depois é a técnica, que naturalmente você vai desenvolvendo, estudando, encontrando novos caminhos. E o olhar aguçado, a observação, vem da minha formação, e transfiro isso para meus personagens, assim como a narrativa em 1ª pessoa, que é a forma que mais gosto de desenvolver os textos.


3) O que é escrever para você?

Pode parecer clichê, mas é a minha vida. Desenvolver estórias, sejam elas calcadas na realidade ou imaginação, é a forma que encontrei de me colocar no mundo. Por mais que alguns personagens e tramas sejam distantes de quem sou, há ali sempre um pedacinho meu.


4) Alguns dos seus textos acabaram ficando fora de Forjando Mundos. Vem por ai uma outra edição com estes textos?

Por enquanto, não. Os textos que ficaram de fora não se encaixavam dentro dos temas que mais desenvolvi ao longo desses cinco anos, e não forneceriam uma unidade estética adequada ao livro. Tomei essa decisão por causa da fluidez da leitura.


5) Forjando Mundos é uma coletânea de contos e poesias. Você pretende continuar a escrever este gênero ou já pensou em se aventurar pelas obras de ficção?

Venho pensando muito nisso, e tenho até alguns rascunhos e ideias anotadas para possíveis novelas – um gênero posterior ao conto e ainda abaixo do romance, que se caracteriza por um recorte novo de uma estória. É uma possibilidade que me agrada, porque já começo a sentir necessidade de expandir um pouco mais minhas estórias. Mas o conto, principalmente, é um gênero que tenho muito carinho e me sinto bem a vontade pra desenvolver, e ainda tenho muito para explorar dentro dos seus limites.


6) 2014 está acabando. Qual foi o melhor momento deste ano para você, como autor? E o que esperar de 2015? Quais são os seus projetos?

O melhor momento foi quando recebi o convite da escritora Clarice Paes (Amaríssimo) para escrever na revista que ela estava criando, A Capitolina. Cada edição aborda um gênero literário diferente, e meus contos precisavam se encaixar dentro dos temas propostos. Alguns eram mais simples, para outros precisava estudar sua essência para criar o texto, e isso foi bem desafiador, mas muito prazeroso. Pra 2015, posso adiantar que pelo menos mais um livro de contos vem por aí, e tem a realidade das nossas ruas como inspiração. É um projeto que venho desenvolvendo com calma, buscando nos acontecimentos do dia a dia, dos problemas sociais, a matéria-prima para a ficção. Além disso, sigo com minha colaboração fixa na revista Samizdat, iniciada agora em novembro, e onde tenho a possibilidade de mostrar contos mais intimistas.


7) Qual é a maior dificuldade do autor nacional hoje em dia?

Considero a divulgação. Hoje com certeza é bem mais fácil publicar, seja pela grande quantidade de editoras que existem física e digitalmente, seja pela auto-publicação. Tem o crowdfunding, que pode viabilizar projetos mais complexos. Agora, quando chega no momento de apresentar para o público, a grande mídia não quer saber de garimpar novos autores. Primeiro, trabalham com os autores conhecidos, e os estrangeiros sempre tem a maior preferência. Depois, eles esperam os blog´s e sites especializados apontarem uma novidade, e aí toda uma produção de gente boa que está buscando seu espaço tem que ralar muito pra ter alguma visibilidade. Falo não só por mim, mas porque tenho acompanhado esse processo há algum tempo e vejo que esse é um problema crônico. Agora, diferentemente da grande mídia, vejo que o público leitor está mais receptivo ao autor nacional, se interessa e procura autores alternativos, o que me dá esperanças.
Aproveitando, quero agradecer demais pelo apoio que a Raquel Araújo, autora deste blog, está me dando por meio da divulgação da minha obra, e pelo espaço concedido com esta entrevista, onde posso falar um pouquinho sobre o que penso.


8) Deixe uma mensagem para os nossos leitores

Seguindo pela resposta da última pergunta, acho que é extremamente válido o leitor do blog Por uma boa leitura se interessar pelos autores nacionais. Num País onde a cultura não é incentivada, cada ação individual de buscar sua identidade nacional por meio dos livros é uma grande conquista!
Ler é uma das melhores coisas pra se fazer. Seja qual gênero for, seu autor preferido, leia, e não se importe com o que os outros pensam a respeito. O importante é você reconhecer uma boa estória, que te agrade e seja importante pra você, e, se isso te deixar feliz, é o que realmente importa. Leia!



É isso, gente. Os interessados no livro do Rodrigo, basta acessarem o site Recanto das Letras onde Forjando estará disponível para download.


beijos

39 comentários

  1. Oi! Não conhecia o livro e o autor, gostei muito da entrevista. É sempre bom conhecermos mais obras nacionais. :)
    beijos ♥
    nuclear--story.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Que entrevista legal!
    Realmente, livros de novos autores nacionais têm um pouco de dificuldade em entrar no mercado brasileiro ... não vou mentir, por muito tempo tive um pouco de "preconceito" com as recentes obras nacionais, mas tive umas belas surpresas literárias que mudaram minha opinião :D

    ResponderExcluir
  3. Adorei a entrevista, Kel, e super concordo com o autor quando ele diz que o que falta é divulgação. Na realidade, tem-se pouco. A divulgação é um grande passo para o sucesso. No entanto, esse é o passo principal e mais difícil, porque as editoras não dão a assistência suficiente para isso. Claro, tirando a NC, Geração, Faro, enfim, mas, em regra, é exatamente assim que funciona.
    Adorei as respostas e fiquei bastante curiosa e ansiando ler o livro. Desejo todo sucesso ao autor.

    M&N | Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso top comentarista. São 4 ganhadores e você escolhe o livro que deseja ganhar.

    ResponderExcluir
  4. Não conhecia esse autor ainda. Não sou muito fã de poesias (contos depende muito do tema) mas foi legal ler a entrevista, saber o que ele pensa. Espero que tenha sucesso na carreira.

    ResponderExcluir
  5. Oi Kel!
    Não conhecia o autor, mas é sempre bom conhecer novos autores, coisa que só consigo fazer através dos blogs.
    Concordo com ele quando diz que ler é uma das melhores coisas para se fazer!

    Beijos,
    Sora - Meu Jardim de Livros

    ResponderExcluir
  6. Oi Kel! Oi Rodrigo! Sucesso com a escrita! Eu gosto de ler qualquer coisa, qualquer mesmo. Mas aquilo tem que me agradar, e gosto de escritores brasileiros! Valorizo muito nossa cultura. Bjs
    folheandominhavida.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. Oi Kel, que legal esse espaço para o autor. Ainda não conhecia o Rodrigo mas achei a entrevista bem interessante.
    Vou baixar o livro para conferir.

    Bjs, Glaucia.
    www.maisquelivros.com

    ResponderExcluir
  8. Oi, Kel.

    Muito legal essa entrevista com o Rodrigo. Amei a mensagem que ele deixou no final da entrevista. Tenho tentado conhecer mais dos autores nacionais e essas entrevista sempre me ajudam a conhecer novos escritores. Eu também leio o que eu gosto independente do que as pessoas pensem. Que venha ótimos projetos para ele nesse ano de 2015.

    Beijos.
    Visite: Paradise Books BR // Sorteio Fim de ano

    ResponderExcluir
  9. Infelizmente nunca li nenhum livro do autor, mais adorei a entrevista da para perceber sua paixao pela escrita. Tambem concordo com o fato da divulgaçao de autores nacionais, vc quase nunca ver a midia falando sobre eles.
    tenho lido alguns naconais utimamente, sendo a minha preferida Marina Carvalho.

    ResponderExcluir
  10. Ele falou tudo na resposta da pergunta 2, a profissão do autor deve mesmo ajudar ele, mas depois vai se aperfeiçoando em outros temas.
    Amei a mensagem dele, e vou dar uma olhada no seu livro.
    Bjs, Kel <3

    ResponderExcluir
  11. Muito boa a entrevista! Eu curti demasiadamente porque concordo com ele em N pontos. Também sou graduada em jornalismo e acredito que a faculdade me deu uma ótima base para a escrita assim como ele. Ah...escrever é realmente a vida, sem a escrita nada faz sentido. Adorei conhecer um pouco mais sobre o autor e a obra... divulgação é muito complicado porque requer tempo e nem sempre temos...tempo é dinheiro!
    Beijos,
    Monólogo de Julieta

    ResponderExcluir
  12. OI Kel :D
    Ahhh, me identifiquei com o autor. Concordo com o cliche dele de que escrever é parte de nós, como nossa vida. Nao sei o que seria de mim se não tivesse meu cantinho pra desabafar. As vezes qualquer papel serve, só pra reclamar ou então ficar riscando alheio a tudo. Não gosto muito de poesia, porque geralmente me perco no sentindo delas, então, não é uma leitura que eu tenha muito costume de fazer, apesar de ta tentando engolir algumas no momento.

    Abraços
    David Andrade
    http://www.olimpicoliterario.com/

    ResponderExcluir
  13. Que legal a entrevista... Eu não conhecia o autor. O legal é que a profissão contribuiu na escrita... Ao contrário do que muitos pensam, jornalismo vai além de noticiar, rsrs como o próprio autor diz na entrevista. Ah, um dia estarei formado em jornalismo, se Deus quiser... Até já comentei isto com você não é Kel? rsrs.
    Abraaaaaços!
    www.likelivros.blogspot.com

    ResponderExcluir
  14. Muito fofa a entrevista. O modo em que ele fala sobre seu livro, alguma influência e claro, pedaços de si em cada ponto das estórias. Não conhecia o autor. E concordo que dão muitos créditos para autores conhecidos. Os novos talentos, são deixados na maioria das vezes.
    Abraços Kel e Rodrigo.
    ThayQ.

    ResponderExcluir
  15. Pessoal, muito obrigado pelos comentários tão bacanas! Fiquei muito feliz em ver a repercussão positiva dessa entrevista! Agradeço, mais uma vez, à Raquel, pelo espaço no blog!

    ResponderExcluir
  16. Muito bacana essa entrevista. Eu não conhecia o autor e fiquei feliz pela oportunidade. Embora a divulgação dos nacionais ainda seja pequena, cada vez mais ela vem ganhando força. Parabéns Rodrigo. Achei uma graça a mensagem, ler realmente é uma das melhores coisas que existe.
    Beijocas ^^

    ResponderExcluir
  17. Oi Kel, gostei quando ele diz que escrever estórias é a vida dele. Eu não conhecia o autor, mas gostei dele com essa frase e espero gostar do livro dele.

    Beijos.

    http://livrosleituraseafins.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  18. Oi Não conhecia o autor, mas me alegro em ler que o ele sabe que a maior dificuldade para um autor nacional, principalmente os independentes penam com a divulgação. E é nessa brecha que nós blogueiros entramos.

    Adorei conhece-lo melhor.

    Beijos Joi Cardoso
    Estante Diagonal

    ResponderExcluir
  19. Muito bacana a entrevista. Não conhecia o autor e acho muito importante esse divulgação de escritores nacionais. Vou fazer o download do livro. Parabéns pela entrevista!

    ResponderExcluir
  20. A entrevista foi mais um bate papo gostoso entre você e o escritor, não é mesmo, e de brinde podemos ler de camarote. As perguntas estão bem elaboradas e o Rodrigo foi generoso em suas repostas. Gosto muito de posts assim, não conhecia o autor e agora fiquei curiosa sobre o livro dele. Obrigada por nos apresentá-lo.
    Beijos
    Vivi
    Razão e Resenhas

    ResponderExcluir
  21. Adorei a entrevista. Não conhecia o autor e nem sua obra, então adorei a descoberta. Poesia não é o meu gênero literário favorito, mas gosto de contos. E fico muito feliz ao ver que os escritores brasileiros estão ganhando um destaque maior a cada dia.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  22. Gostei da entrevista... Não conhecia o autor, mas o livro me chamou a atenção.. Vou colocar na minha lista de desejados...

    beijos
    Colecionando Livros

    ResponderExcluir
  23. Oi, Kel!
    As perguntas ficaram bem elaboradas! Adorei conhecer sobre o autor Rodrigo Toffolo. Parabéns pela sua atitude de dar um espaço para autores nacionais e menos conhecidos poderem falar sobre eles e seus trabalhos. Concordo com o entrevistado que a parte da divulgação de um livro é muito complicada, mas aos poucos este cenário irá mudar!
    mil bjs

    ResponderExcluir
  24. Nossa adorei a entrevista! Sempre fui apaixonada pela escrita, deveria ter acreditado mais em mim e escrever, mas nem tudo está perdido rs, adorei saber um pouco mais sobre o autor, pois me inspirou muito! bjos

    ResponderExcluir
  25. Oi, Kel!
    Gostei de conhecer o autor e fiquei curiosa com os seus contos. :) Achei muito legal ele ter mencionado o modo como a sua profissão permitiu enriquecer a sua escrita. Com certeza ele mereceu o convite que recebeu para escrever na revista! Desejo cada vez mais sucesso a ele e ao seu blog.

    Beijos!
    http://www.myqueenside.blogspot.com

    ResponderExcluir
  26. Não conhecia o autor, mas não gosto muito de ler contos e poesias *-* Ele parece ser bem simpático, espero que consiga publicar mais livros :)

    ResponderExcluir
  27. Oi, Kel!
    Parabéns por nos apresentar o autor Rodrigo Toffolo, mais um dos jovens talentos despontando no cenário da literatura em nosso país.
    São ações como esta, que ajudam a difundir e propagar o hábito da leitura de livros nacionais.

    Beijos!
    http://fabi-expressoes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  28. Oi Kel, tudo bem??

    Adorei a entrevista com esse autor... foi bom captar a sua personalidade e saber a opinião dele sobre o mundo literário nacional e concordo com ele quando diz que realmente ficou melhor a publicação de livros mesmo que físico ou digital... o maior desafio no momento é a mídia... eles não estão querendo se arriscar com autores novos e independentes... e nesse sentido o autor tem que ralar muito mais para conseguir atingir o seu espaço... eu sei que devemos batalhar pelos nossos sonhos e as coisas que vem fácil vai fácil também... mas percebo um pouco de preconceito com quem está começando... por isso eu apoio a literatura... mesmo que seja um livro que eu não venha a ler eu divulgo... acho que nós como blogueiras fazemos bem a nossa parte... rs. Xero!!

    ResponderExcluir
  29. Oi Kel!
    Muito linda essa entrevista e é bom ver esse destaque para os autores nacionais.
    Antes eu tinha certo preconceito, mas agora leio muito.

    Linda entrevista e quero ler as obras do Rodrigo.

    Beijos
    www.amorliterario.com

    ResponderExcluir
  30. Oi Raquel!

    Ótima entrevista! Ainda não li nenhum obra do Rodrigo, confesso, que até então não conhecia seu trabalho, o que é uma tristeza, já que pelas palavras dele, dá notar que ele é um escritor muito interessante e fiquei curiosa para conhecer mais sobre os livros dele. Você resenhou algum para que eu leia sua opnião?

    Beijos

    www.daimaginacaoaescrita.com

    ResponderExcluir
  31. Olá Kel, tudo bem?

    Não conhecia o autor e tampouco suas obras. Mas vou procurar pelo Google da vida e, quem sabe, não encontro algo de que goste.

    Beijos

    ResponderExcluir
  32. Oi Kel, tudo bom?
    Gostei bastante da entrevista, principalmente porque se trata de um colega de profissão. Realmente, como ele bem falou, o autor nacional tem conseguido publicar seu livro, mas não consegue a divulgação necessária para alavancar sua história. Acredito que os blogueiros literários tem um papel importante nisso. Desejo muito sucesso para ele.
    Beijos,
    http://livrosyviagens.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  33. Oi flor, tudo bem?

    Gostei da entrevista, é sempre muito bom conhecer novos autores, bem como suas inspirações.
    Ainda não tive a oportunidade de ler algo do autor, tão pouco o conhecia, mas vou agora mesmo procurar mais informações sobre seus escritos :D

    bjs

    ResponderExcluir
  34. Oi Kel, legal esse espaço ao autor, em um país que é tão difícil a publicação e a divulgação, nada melhor que os blogs literários para nos dar a oportunidade de conhecer autores novos.
    Ainda não conhecia o autor nem sua obra, conhecer um pouquinho do que ele pensa foi encantador.

    Abraços quentinhos!

    Patty Santos
    Blog Coração de Tinta

    ResponderExcluir
  35. Muito, muito boa a entrevista gostei do autor e concordo com ele, o grande problema de ser autor é a parte da divulgação do seu trabalho, que muitos não dão valor por ser novo no mercado. E muito bom saber o carinho que ele tem pelos blogueiros literários. Gostei :D

    ResponderExcluir
  36. Ei Kel,
    Adorei conhecer melhor o autor. Eu tenho lido muitos contos, mas detesto poesias, rs, então não sei se leria o livro dele, mas talvez se ele desenvolver o projeto de escrever uma novela, ou quem sabe um romance, rs.
    O problema da divulgação é enorme mesmo. Os principais canais que os novos autores encontram somos nós, nos blogs literários. A grande mídia é sempre um problema.
    beijos
    http://meumundinhoficticio.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  37. Oi Kel,
    Tudo bem?

    Adorei a entrevista, acho engraçado como cada autor sempre tem seu jeito singular de ver a escrita. Sempre que eu leio entrevistas, fico analisando como eles respondem! hehehe

    Beijos
    Silêncio Que Eu To Lendo

    ResponderExcluir
  38. Olá!
    Adorei a sua entrevista. Fez várias perguntas bacanas, podendo assim conhecermos melhor o autor. Curti muito! ^^'
    Beijos, Kamila

    www.vicio-de-leitura.com

    ResponderExcluir
  39. Olá Kel!
    Fico muito feliz quando aparecem novo autores nacionais.
    O autor parece ser bem simpático e o livro interessante.
    Beijinhos!
    http://eraumavezolivro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita!
Todos os comentários deixados aqui serão carinhosamente retribuídos.
Para isso, basta deixar o endereço do seu blog!
Mas antes de comentar, lembre-se de que esse post foi feito
com muito carinho, então, se vai comentar
"oi, fiz postagem nova, me visita" ou fazer um comentário
apenas de divulgação, este não será aceito.
Obrigada pela compreensão!
Já está seguindo o blog no Google Friends? Então não perca tempo!