08 dezembro 2014

# Resenha 173 // Mundo Novo

Oiee, pessoal, tudo bem?

Se teve um gênero que eu aprendi a gostar esse ano este gênero foi distopia. Li vários livros legais, me apaixonei, descobri varias formas de explorar esse mundo pós apocalíptico! E recentemente li Mundo Novo, da Seguinte.

Título: Mundo Novo //The Young World
Autor(a): Chris Weitz
Editora: Seguinte
Páginas: 328
Livro cedido em parceria com a editora



Sinopse: Neste mundo novo, só restaram os adolescentes e a sobrevivência da humanidade está em suas mãos. Imagine uma Nova York em que animais selvagens vivem soltos no Central Park, a Grand Central Station virou um enorme mercado e há gangues inimigas por toda a parte. É nesse cenário que vivem Jeff e Donna, dois jovens sobreviventes da propagação de um vírus que dizimou toda a humanidade, menos os adolescentes. Forçados a deixar para trás a segurança de sua tribo para encontrar pistas que possam trazer respostas sobre o que aconteceu, Jeff, Donna e mais três amigos terão de desbravar um mundo totalmente novo. Enquanto isso, Jeff tenta criar coragem para se declarar para Donna, e a garota luta para entender seus próprios sentimentos – afinal, conforme os dias passam, a adolescência vai ficando para trás e a Doença está cada vez mais próxima.

Os Estados Unidos foram atingidos por uma doença mortal que mata adultos e crianças pequenas. Apenas os jovens sobrevivem. A energia elétrica acabou, lojas foram saqueadas e todos começaram a viver isolados e fortemente armados. Os adolescentes vivem com medo do futuro, porque, afinal, eles sabem o que os espera. Nada de tecnologia, nada de comida, tudo está a beira do caos. É nesse contexto que conhecemos Jefferson tem que liderar a tribo Washigton Square, Crânio, Donna, Minifu e outros integrantes do grupo.

A temática pode parecer clichê, mas o autor consegue, a seu modo, se diferenciar dos demais. Afinal, os livros de distopia estão surgindo por todos os lados e esse diferencial é necessário. No caso de Chris, me senti totalmente inserida no contexto, ele incorpora gírias, pensamentos e a linguagem jovem na leitura, dialogando diretamente com o leitor. Talvez alguém mais "maduro" não vá se sentir tão próximo assim, mas eu me sentia, praticamente, parte da equipe encabeçada por Jeff e Donna.

E por falar nos personagens, o autor dá um foco especial aos dramas pessoais de cada um deles. Eles são complexos e, ao mesmo tempo apaixonantes. Me apaixonei pelo Jeff, pelo seu jeito inseguro que vai amadurecendo ao longo das páginas. a nobreza dele me conquistou e tinha vontade de colocá-lo em um potinho! Já Donna é totalmente eu: irritadinha, respondona e completamente marrenta. 

A narrativa de Mundo Novo é intercalada entre Jefferson e Donna. O interessante é que a dupla narrativa nos apresenta personagens muito diferentes, mas totalmente complementar. Um é mais emocional, enquanto o outro é racional. Ambos se completam em seus humores ácidos, sarcásticos.



O autor insere na narrativa criticas ao sistema politico social, já característicos deste gênero literário. O mais interessante, sem dúvidas, é ver como os jovens conseguem se virar sem as tecnologias que estavam acostumados até pouco tempo. Fico me perguntando se iria conseguir sobreviver sem internet, sem celular, ipad... a impressão que tive é que o mundo pós apocalíptico de Weitz é bem mais "recente" que os outros. O autor mostra os efeitos nocivos da capitalismo em uma linguagem jovem e acessível.  

Mas confesso que achei o começo do livro um pouco confuso. O fato do autor ser roteirista de filmes hollywoodianos faz com que ele escreva diversas cenas de luta e tiroteio como se fosse uma mega produção e nas narrativas de Donna ele simplesmente abandona o travessão ou as aspas para introduzir os diálogos e coloca simplesmente: "Donna: blablablabla", como se fosse um roteiro de cinema. Sinceramente, não gostei desta opção, acho que o livro deveria ser padronizado. Mas okay.

A diagramação de Mundo Novo é interessante, principalmente por mudar a fonte conforme a narrativa se intercala. A textura da capa é ótima, mas o layout original é bem mais bonito e dá mais a sensação de mundo pós apocalíptico.



Estamos diante de mais uma trilogia que tem tudo para fazer sucesso. Vale a pena conferir.





44 comentários

  1. Já tinha ouvido falar desse livro por outros blogs, mas não sabia que se tratava de uma distopia *-* Me deu super vontade de ler. Achei original a ideia de trocar a fonte durante a leitura baseado nos personagens.. Concordo com a parte das batalhas e que nesse caso podem ficar massantes e extensas... Se tiver a oportunidade com certeza lerei o livro!
    Bjãooo

    ResponderExcluir
  2. Fiquei bem curiosa com essas gangues e também com o mistério de só adolescentes sobreviverem com agora esse sistema. Tudo caos mesmo. E olha que não achei clichê? Não havia visto enredos assim há um tempo. kkkkkkkkkkkkk larga os travessões, morri aqui.
    Espero gostar de ler, e ainda mais sendo trilogia. A capa é realmente bonita e da a impressão de jovens sobreviventes e maiorais.
    Beijos Raquel,
    ThayQ.
    http://leituras-insanas.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Oi Raquel
    nunca tinha visto nem ouvido nada sobre o livro, gostei muito da sua resenha
    achei o maximo mesmo
    muito bem escrita e detalhada deu muita vontade de ler o livro rs!
    beijos
    www.marichic.com

    ResponderExcluir
  4. Também comecei a gostar de distopias esse ano, e agora viciei! rsrrs
    E claro que quero muito ler essa, pois parece ter ótimos personagens.
    Gostei muito da capa, mas a original realmente dava um "tom" mais apocalíptico.
    Ótima resenha! Abraços Kel!

    ResponderExcluir
  5. Morro de vontade de ler esse livro, principalmente por saber que o autor foca bastante nos conflitos dos personagens e não só na crítica social. Intercalar a narração e mudar as fontes de um pro outro é uma coisa muito boa.

    ResponderExcluir
  6. ah Kel, eu já li algumas distopias e até viajo vendo essas resenhas maravilhosas, mas quando pego o livro na mão não rola =/
    a leitura acaba se arrastando, não consigo entrar na história... e não sei porque isso acontece.
    a trama deste parece ser boa mesmo, e tem tudo para fazer sucesso mesmo, mas pra mim não rola não ;x

    ResponderExcluir
  7. Oi, Kel!
    Também adoro distopias. Sempre que vejo um novo livro desse gênero ser lançado, corro pra conferir e colocar na minha lista de desejados.
    Fiquei interessada nesse, principalmente por conseguir se diferenciar dos demais.
    Li um livro com os diálogos dessa forma e não gostei também, prefiro com o bom e velho travessão.
    Beijos

    >>Tem promoção de Natal e Final de Ano lá no blog. São livros, marcadores e vale presente. Não fique fora dessa!<<
    Construindo Estante || Facebook

    ResponderExcluir
  8. Eu nunca li uma distopia, mais sempre tive vontade de ler Jogos Vorazes, pelo que eu pude ver na resenha, tem um pouco a ver com a história de The 100, essa coisa da destruição da humanidade, do papel dos jovens, se eu gostei da série eu acho que vou adorar conhecer essa distopia.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  9. Também gostei mais da capa original!
    Esoptou doida para ler esse livro pois tenho oido muuuitas resenhas positivasmas por ser uma trilogia vou esperar um pouco ate ter pelo menos o segundo livro publicado..
    Forever a Bookaholic
    Curta a página do blog

    ResponderExcluir
  10. Preferi a capa original tem mais a ver com o tema apocalítico como você mencionou
    Fiquei com vontade de ler esse livro parabéns pela resenha ficou ótima *-*

    ResponderExcluir
  11. Oiee

    Também li muita distopia e adoro esse gênero mas esse livro ainda não me chamou a atenção para ficar louca de vontade de ler, quem sabe quando lançarem mais livros.

    Beijos

    www.livrosechocolatequente.com.br

    ResponderExcluir
  12. Olá

    Estou bastante interessado por este livro desde que fora lançado e sua resenha me deixou um pouquinho menos confiante com a história. Confesso que grande parte do meu interesse se deu pela capa incrível que lembra muito um mangá haha mas saber que a narrativa é intercalada entre personagens e essa trama não muito convidativa me desanima. Apesar de eu não ligar muito para esses diferentes recursos narrativos, por achar que vai também muito da liberdade poética do autor, ele sendo um roteirista de cinema, bem provavelmente a narrativa tende a ir por este mesmo caminho (e eu não curto narrativas no presente), posso estar enganado, mas é o que me pareceu.

    Abraço!
    www.umomt.com

    ResponderExcluir
  13. Oi Raquel, tudo bem??

    Eu estou simplesmente adorando esse novo gênero ''pós-apocalíptico''!! Pretendo ler ''Divergente'', ''Maze Runner'', e agora, ''Mundo Novo! Abraços! *--*

    http://blogcorujaporlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  14. As distopias estão cada vez dando mais espaço para os jovens mostrar sua força e lutar pelo que querem e acham certo. Adoro distopias , mesmo com o exagero de cenas de lutas , o livro me interessou, não conhecia o livro nem o autor. Vou pesquisar para ler sem dúvida mais uma distopia. beijos

    Joyce
    www.livrosencantos.com

    ResponderExcluir
  15. Distopia é uma gênero que não gosto muito, mas confesso que esse livro me chamou atenção. Seria estranho um mundo só com adolescentes, acho que é algo meio inesperado né?

    Blog

    ResponderExcluir
  16. Olá!
    Acho que esta é a primeira resenha que leio desse livro. Eu sou uma fã confessa de distopias, por isso fiquei suuuuuper curiosa sobre "Mundo Novo" após ler suas impressões. Quão bizarro seria uma sociedade formada apenas por jovens, hein?!
    Não consigo imaginar esse mundão de meus Deus com a gritaria das criançada ou uma boa conversa regada a nostalgia com a tiazinha da padaria da esquina...
    Gosto bastante desse livros que usam elementos distópicos para fazer críticas ao sistema político real...
    Acho que eu também estranharia a narrativa feita "tipo roteiro".. prefiro o bom e velho travessão. rs

    Parabéns pela resenha!

    Beijos,
    Amanda
    http://minhasconfissoesfemininas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  17. Acho que gosto mais da nossa capa, a original me lembrou demais Divergente e o povo da Audácia... rs... Nem sabia que se tratava de uma distopia, amo o gênero e fiquei com muita vontade de ler! Só acho que essa questão da forma como os diálogos são escritos vai me incomodar demais, mas vou tentar superar.

    Beijo!

    Ju
    Entre Palcos e Livros

    ResponderExcluir
  18. Esse também é um gênero que me agrada muito e também pode suscitar discussões interessantes sobre o nosso conceito de humanidade. Trabalho com público adolescente e acho que esse tipo de leitura pode servir como pano de fundo para compreender melhor as relações humanas e os contextos sociais nos quais se desenvolvem. Somam-se a esse séries como 'Divergente" e "Jogos Vorazes", que são bastante lidas pelo público adolescente. Gostei da sua análise e já coloquei na minha lista de leituras.

    ResponderExcluir
  19. Normalmente as distopias nos dão pouco informação de como foi esta transição da perda da internet e outros meios tecnológicos, só por isso já fico curiosa para saber o o autor abordou isso na historia. Tenho que concordar com você a capa original esta muito mais linda e até mais instigante! Passa muito mais realidade ao gênero do livro!

    Beijos Joi Cardoso
    Estante Diagonal

    ResponderExcluir
  20. Oi Kel,
    O livro parece ser muito bom para os amantes de distopias, mas eu não sou a maior fã =(
    pelo começo meio confuso, pela linguagem muito jovem e por ser uma trilogia (e um pouquinho do drama) não sei se leria esse livro.
    Beijocas ^^

    ResponderExcluir
  21. Oi Kel, tudo bom?

    Esse livro chamou atenção por causa da capa colorida <3 Muito amor em cores! HAHAHAH. Gosto de distopias, mas estou dando um tempo nelas por motivos de: eu me envolvo demais e em seguida tenho ressacas literárias. Mas esse é um dos livros que pretendo ler em 2015 sim! Parabéns pela resenha, fiquei ainda mais curiosa para conhecer esse universo livre de crianças e adultos, será que irei me sentir próxima aos personagens?! HAHAHAH

    Beijos, Rob
    http://estantedarob.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  22. Tô enrolando séculos pra fazer a resenha desse porque não gostei. Ao contrário de vc, senti a leitura arrastada, difícil de engolir, não sei explicar direito. Sinceramente, só vou me animar a ler o 2º por causa das últimas páginas, aquele final de abalar estruturas.
    Ah! Gostei da capa original, mas prefiro a nossa.
    Beijinhos!
    Giulia - www.prazermechamolivro.com

    ResponderExcluir
  23. Oi Kel, tudo bem? Estou bastante curiosa para conhecer esse livro, e o universo pós-apocalíptico dele super me interessou. Nossa, nem imagino como deve viver sem a tecnologia e em um mundo só de jovens. Acho muito legal essas críticas político sociais que são inseridas nesse gênero.

    Bom, acho que me incomodaria um pouquinho com a forma da narrativa, mas acho que com o passar das páginas eu iria me acostumando. Adorei as duas capas.

    Beijinhos,

    Rafaella Lima // Vamos Falar de Livros?

    ResponderExcluir
  24. Oi Kel, também adoro distopias. Diferente de você prefiro a nossa capa, achei mais autêntica. Uma coisa que me preocupou na sua resenha é a forma como o autor narra a história, sou daquelas que fica um pouco perdida quando não existe alguma marcação indicando diálogo. Achei o tema abordado bastante significativo, e fiquei construindo aqui na minha cabeça um mundo novo!
    Beijos
    Blog: Porão da Liesel
    Fanpage

    ResponderExcluir
  25. Aproveito também para recomendar para você, um distopia que já completou 50 anos de existência, mas que todos os fãs de distopia devem ler: Fahrenheit 451. Beijos

    ResponderExcluir
  26. Eu acho essa capa linda, mas ao primeiro olhar, nunca linkaria com uma distopia. A capa original passa muito mais essa sensação.
    Gosto muito quando eles mudam a fonte conforme o narrador, assim a coisa fica muito mais visual.. Me adapto bem a isso, mas essa forma de dialogo dele.. arg, é horrivel! Espero que para a continuação a editora possa padronizar isso.
    E bem, ouvi opiniões diversas sobre esse livro, então não sei se quero ler rsrs vamos ver =)

    Beijiinhos ;*
    Andressa - Blog Mais que Livros

    ResponderExcluir
  27. Oi, Kel
    Estou terminando Mundo Novo hoje e concordo com suas colocações. Gostei dos personagens e os dramas. Como a voz narrativa muda ao se trocar o personagem! Ficou tudo muito claro e as complexidades dos personagens foi muito bem trabalhado. Eu concordo com as narrações da Donna, uma vez que não há um padrão, mas fazer o que né.
    Eu gosto dessa capa e estou ansioso para saber como o autor finalizou. Ainda hoje já concluo a leitura ( :

    Abraço
    Adriano
    GeraçãoLeitura.com || http://geracaoleiturapontocom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  28. Olá, realmente a capa original da mais um ar de distopia, já a historia parece ser bem legal, comum até, mas pelo seus comentários o autor consegui deixa diferente das demais distopias. Vou coloca-lo na minha lista de leituras para o ano que vem <3

    Visite o blog "Meu Mundo, Meu Estilo"

    ResponderExcluir
  29. Adoro personagens que tem um humor sarcástico, adoro distopias, e adorei saber que o autor soube trazer um diferencial dentro do gênero, mas fiquei bem desanimada por ter uma narrativa confusa e mais ainda pela forma como ele trabalhou os diálogos de Donna.
    Por enquanto não pretendo fazer essa leitura.

    Beijos.
    Leituras da Paty

    ResponderExcluir
  30. Oi Kel.... assim como você adoro uma distopia esse tema me conquistou profundamente desde a série Destino que foi o primeiro livro que li do gênero e dai não parei mais.... Esse livro eu não conhecia e claro que chamou muita atenção por dois motivos.... Ser distopia e tratar de série... que eu gosto muito... livro único pra mim é um problema porque se gosto da história quero continuação rsrsrs, mas enfim eu gostei muito da premissa... e está anotado para aquisições do ano que vem... Xero!!!

    ResponderExcluir
  31. Eu não sou muito fã de distopias, mas algumas me fazem ler e o lado bom é que geralmente acabo gostando das que escolhi ler, como por exemplo a trilogia Progedy, essa é ótima. Vou dar uma chance a este livro.

    Beijos.

    http://livrosleituraseafins.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  32. Oi kel,tudo bem
    Não conhecia esse livro, adoro distopias também. Fiquei curiosa com a escolha de criar uma doença que mata adultos e crianças. Por que deixar só os jovens vivos, seria a máxima de que o futuro está na mão dos jovens, isso me deixou bem interessada. Parece ser uma boa história, ainda mais com o drama dos personagens bem desenvolvidos.
    Dica anotada!!!!!
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  33. Olá, fiquei super curioso com a obra, que diga-se de passagem eu não conhecia. Tô numa vibe distópica e romances de época, então... tem tudo pra ser uma ótima leitura!
    Ótima resenha! Fiquei um pouco preocupado com a narrativa meio confusa, mas isso a gente vai levando... kkk
    xoxo
    http://www.bookmore.com.br/

    ResponderExcluir
  34. Olá, tudo bem?
    Ainda não conhecia o livro, mas apesar de parecer legal e tecer uma real crítica sobre o sistema político, não me senti com vontade de ler, aliás, quando você disse que o autor é roteiristas, despertou uma pequena curiosidade para saber como é a escrita dela.
    Vou esperar os outros livros para ver se me conquistam.
    Parabéns pela resenha.

    Beijooos!

    ResponderExcluir
  35. Oi Kel,

    Aprendi a gostar de distopias não tem muito tempo e não conhecia este livro que realmente parece interessante e sua resenha intiga o leitor a investir nesta obra que discute e critica temas interessantes do nosso cotidiano que precisam ser levados mais a sério.

    Beijos
    Tânia Bueno
    www.facesdaleiturataniabueno.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  36. Oi, tudo bem?
    Eu não leio muito distopias, mas vários livros desse gênero chamam a minha atenção e esse foi um deles, eu ainda não tinha ouvido falar em Mundo Novo, mas achei a história bem bacana, deve ser uma leitura muito empolgante ooo/ Quanto a capa, eu achei ela bonita, mas a original iria combinar bem mais.

    Beijos :*
    Larissa - http://srtabookaholic,blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  37. Achei essa capa linda, mais bonita que a americana. Inclusive, foi a primeira coisa que me chamou a atenção no livro. Depois eu li a sinopse e 'uou'! Deve ser ótimo. Pretendo ler, só não sei quando haha Bjs!

    ResponderExcluir
  38. É bem bacana!
    No mundo só haverem adolescente, mesmo sendo um pouco bagunçado, é legal.

    ResponderExcluir
  39. Sempre via esse livro na livraria, mas nunca comprei.
    Ultimamente, andei lendo algumas resenhas e me interessei muito.
    Essa resenha também está ótima e me deixou ainda mais curiosa.
    Além disso, adorei a ideia de mudar a fonte de acordo com o personagem que está narrando.
    Enfim, da próxima vez que eu for à livraria, já sei qual livro irei comprar. =D

    ResponderExcluir
  40. Olá, Kel.

    Vim passeando pelos post e descobri que não comentei nesse. Então vamos lá.
    Tinha lido uma resenha desse livro no blog da Aline e gostei. Não sabia que o autor é roteirista isso deve realmente complicar um pouco a narrativa. Pelo que você falou do Jefferson eu vou gostar muito dele. Que bom que a fonte muda quando muda o narrador, isso já me deu muita dor de cabeça. Gosto das duas capas, não sei qual escolheria. :3

    Beijos.

    ResponderExcluir
  41. Não gosto muito dessa capa não, confesso que acho feia..rsrs
    Quando lançou até fiquei curiosa por essa leitura, mas dai vi alguns comentários negativos que acabaram me desanimando.
    Achei bacana isso de mudar a fonte de acordo com a narrativa.

    bjs
    Tais
    http://www.leitorafashion.com.br

    ResponderExcluir
  42. Hey, Kel!
    Adoro temas pós apocalípticos, apocaliptícos e etc. Principalmente os que envolvem zumbis e PARA TUDO!!!! Que resenha INCRÍVEL É ESSA? PELO AMOR DE DEUS!!!! A forma que você retratou o livro, sem dar spoiler, fez com que eu já me sentisse dentro da história mesmo você dizendo ter ficado confusa com o início do livro!
    Obrigada por me apresentar essa história!

    Abs

    ResponderExcluir
  43. Oii, Kel
    Eu também sou apaixonada por distopias, acho que é o gênero da nossa geração. Eu estou curiosa sobre Mundo Novo desde o seu lançamento, mas admito que estou um pouco desanimada pra ler. Gosto da premissa, acho muito interessante, e a linguagem jovem me cativa. Se a oportunidade aparecer, o lerei, mas não estou com pressa. E acho a capa original mais bonita também! kkk
    Beijos

    ResponderExcluir
  44. Também estou adorando os livros de distopia que leio, com certeza é um ótimo gênero de se ler. Confesso que a capa deste livro não me chamou tanta atenção, mas após ler algumas resenhas positivas me deu vontade de lê-lo.
    Isto de doença mortal que mata adultos e crianças pequenas me lembrou da duologia Starters, no qual várias pessoas de certa idade morreram por causa dos esporos lançados nas cidades.
    Concordo com você de no caso de alguém mais maduro ler o livro, talvez não se sinta tão próximo aos personagens quanto você sentiu.
    Adoro livros em que a narrativa é intercalada entre os personagens, isso torna a leitura não tão cansativa.
    Concordo que a capa original tem mais a ver com a trama do livro, ela me chamou bem mais atenção do que a capa brasileira.

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita!
Todos os comentários deixados aqui serão carinhosamente retribuídos.
Para isso, basta deixar o endereço do seu blog!
Mas antes de comentar, lembre-se de que esse post foi feito
com muito carinho, então, se vai comentar
"oi, fiz postagem nova, me visita" ou fazer um comentário
apenas de divulgação, este não será aceito.
Obrigada pela compreensão!
Já está seguindo o blog no Google Friends? Então não perca tempo!