# Resenha 141 // Vidas Trocadas

Oiee, galera, tudo bem com vocês?

Espero que sim! Nada como começar a semana resenhando, certo? E como um drama não faz mal a ninguém, hoje é dia do livro Vidas Trocadas.

Título: Vidas Trocadas
Autor: Katie Dale
Páginas: 408
Editora: Benvirá
Cedido em parceria com a editora

Sinopse: Quando sua mãe, Trudie, morre vítima da Doença de Huntington – mal que atinge o sistema nervoso –, Rosie sofre não apenas pela perda, mas também pela sombra que paira sobre seu futuro: o alto risco de também ser portadora da doença. Determinada a saber o que está à sua espera, Rosie conta para “Tia Sarah”, a melhor amiga de sua mãe, que pretende fazer o exame que revelará se tem ou não a doença. Apavorada com as outras verdades que o exame pode revelar, Sarah decide abrir o jogo e conta algo que desestrutura ainda mais a vida de Rosie: Trudie não era sua verdadeira mãe. Rosie fora trocada na maternidade logo após seu nascimento, pois o bebê de Trudie tinha pouquíssimas chances de sobreviver. Devastada pela notícia, Rosie decide procurar sua mãe biológica e, junto com o namorado, deixa a Inglaterra para trás e parte para os Estados Unidos, onde acredita que se reunirá à sua família. O que a garota não pode prever é que a revelação deste segredo irá mexer com a vida de pessoas que ela nem mesmo imagina que existem...

Rosie tem apenas 17 anos e vê sua mãe morrer vitima da Doença de Huntington. Como se não bastasse esse grande baque em sua vida, ela descobre que, na verdade, Trudie, não é sua mãe biológica. Rosie foi trocada na maternidade após sua verdadeira mãe dar a luz e fugir, desejando que a filha fosse encaminhada para a adoção. Com o seu mundo de cabeça para baixo, Rosie decide ir atrás da sua família. 

O enredo é bem conduzido e dividido em duas partes. Na primeira, a versão de Rosie e, na segunda, o ponto de vista de Holly. Apesar disto, a narrativa é feita em terceira pessoa. Os capítulos não são grandes e acho que isso deu agilidade à trama. Katie coloca uma grande carga emocional em suas palavras, é impossível não se sentir amarrado nesta história. Me envolvi tanto que no meu primeiro dia de leitura perdi a estação (do metro)  que desço para ir para o trabalho, fui parar quatro estações depois!

Gostei de Rosie. Ela é um misto de sentimentos e vai se desenvolvendo ao longo da história. Ela é intensa, às vezes contraditória, nos deixa com raiva, mas tudo faz parte daquele ambiente em que ela está inserida. Apesar de todos os problemas, Rosie é uma pessoa de grande sorte. Katie possui essa mesma confusão de sentimentos. Ela é tão vitima na história como qualquer outro personagem.  Porém, confesso que achei a Katie bem mimada e ciumenta. Felizmente ela me surpreende no final.



Qual foi o problema do livro para mim? O primeiro deles foi a letra. Achei as partes da Rosie com uma letra um pouco menor e um espaçamento um pouco reduzido. Pode ser que muita gente não tenha reparado nisso, mas para alguém que tem 4 graus de hipermetropia e astigmatismo só no olho direito, qualquer 0,5 a menos na fonte já faz uma diferença. Depois que, apesar de adorar um bom drama, achei que a autora acabou abusando demais do sofrimento. Sabe aquela máxima de Murphy? Quando uma coisa pode dar errado...? Pois é, nesse livro a premissa é super verdadeira. São várias reviravoltas, algumas coisas vão atropelando as outras. 

Porém uma coisa eu preciso muito ressaltar: a incrível coragem e atitude da autora em tratar da Doença de Huntington. Que para quem via House, como eu, provavelmente já está familiarizado com o termo. Gente, a doença é super séria e, infelizmente, muita gente nem sabe que ela existe. É algo degenerativo, neurológico e, com certeza, um sofrimento e um desgaste para o portador da doença e para sua família. Nunca tinha lido um livro que tratasse da DH e aqui só tenho a aplaudir a autora. Ela aborda a doença com grande propriedade e mostra, principalmente, o preconceito, o medo, a desinformação. Esses são grandes vilões na hora do tratamento. Infelizmente (mesmo, mesmo, mesmo) esse é um mal que ainda não tem cura e, sim, leva a morte. O tema é bem delicado, mas a autora soube inseri-lo no livro perfeitamente. Espero que esse exemplo seja seguido por outros autores. 

O projeto gráfico do livro é bem interessante. A capa é linda e a diagramação interna também é bem bonita. A editora optou por mudar a fonte conforme muda o ponto de vista da narrativa. Não acho que isso seja necessário, uma vez que o nome do capitulo é de quem está em foco, mas não ficou ruim, deu um charme a mais na leitura =P

Antes de terminar a resenha quero frisar novamente a importância de conhecer sobre o mal de Huntington, conversem, conheçam, busquem ajudar e mais que tudo, conscientizar sobre a doença. 







50 comentários:

  1. Quando eu vi falar em Huntington, a primeira coisa que veio em minha cabeça foi House. realmente é um termo bem familiar pra quem assistia... esse ponto já me fez ter interesse no livro.. Huntington, é algo bastante sofrido e não é muito abordado... se a autora consegue passar toda carga emotiva sobre isso.. com certeza é um bom livro... a troca de bebes é teminha meio clichê, mas o que não é clichê hoje em dia?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Siiim, essa troca de bebês é algo beeem batido, engraçado que o desenrolar da história também te dá essa impressão do cliché. Mas o final foi bem original

      Excluir
  2. Eu tinha visto este livro e lido a sinopse, mas ainda não li. Pela sua resenha o livro parece ser ainda mais interessante. Acho legal a autora falar sobre uma doença ainda não muito conhecida, pois livros servem para nos informar mesmo e assim quem o lê vai entender nem que seja só pouco sobre a doença.

    Beijos.

    http://livrosleituraseafins.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza, Ana. O papel do livro é exatamente esse

      Excluir
  3. Adorei a temática do livro,
    Com certeza ja ta na minha wishlist, que so cresce hahah

    Forever a Bookaholic
    Curta a página do blog

    ResponderExcluir
  4. Oi Kel!
    Nossa q livro interessante, não tinha conhecimento desta doença e fiquei curiosa!
    Eu gosto de um bom drama viu?!
    Adorei a resenha e ameeeeiii a capa do livro!
    Bjos!

    www.leituravipblog.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Aline,

      o tema é bem importante e a doença é séria. Infelizmente muita gente não tem o conhecimento necessário

      Excluir
  5. Oi Kel, tudo bem? :)
    Bem dramático heim? Não sei se faria o meu género...
    Aproveito para dar uma notícia também. Este ano decidi organizar um amigo secreto literário no meu blog e adorava que participasses. É só ir ao blog e ver o mais recente post que lá está tudo explicadinho. Se não poderes participar podes pelo menos partilhar aqui no blog ou em alguma rede social? Seriam muito importante para mim *-*

    Beijo, Jessie
    www.fofocas-literarias.blogspot.pt

    ResponderExcluir
  6. Oi Kel, tudo bem?
    Acho que a literatura sempre tem o dever de nos passar um algo a mais além de simplesmente entretenimento, precisamos levar algo conosco para a vida! E esse livro, ao abordar a temática do Huntington, ao que parece, cumpre seu papel!
    Parabéns pela resenha!!

    Beijinhos
    www.serleitora.com.br

    ResponderExcluir
  7. Olá,

    Eu li tantos dramas seguidos que me sinto deprimida. =/' Ultimo foi Proibido que me deixou despedaçada. Sou doida pra assistir House e tenho um pouco de preguiça por tantas temporadas, mas irei comprar uma Smat TV e colocarei Netflix e tudo vai ser lindo. Viajei de novo. O livro parece ser interessante, acompanhar a perda da pessoa que acreditava ser sua mãe e ainda descobrir que foi abandonada no hospital. Deve ser um livro tocante.
    Também não curto livros com letras pequenas, deveria existir uma "lei" que todos os livros devem ser lançados com determinado tamanho de fonte. kkkk' #hojetoulesada

    paradisebooksbr.blogspot.com.br
    Beijinhos.

    ResponderExcluir
  8. Eu não conhecia esse livro, mas só pela sinopse já me apaixonei!! <3
    www.s2nopiquedamoda.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  9. Não sei nada sobre a doença mas fiquei curiosa, é claro! Nossa eu ficaria desesperada se acabasse 4 estações depois de onde desceria! :( Mas lendo um bom livro dá pra entender haha

    ResponderExcluir
  10. Oi, Ke!
    Muito interessante a autora tratar de uma doença pouco conhecida, e de um jeitto bem desenvolvido no livro.
    Nunca tinha ouvido falar da doença. Já assisti alguns episódios aleatórios de House na tv, mas nenhum foi sobre o assunto, agora que estou assistindo a primeira temporada online.
    Fiquei curiosa para ler o livro, a única coisa que fiquei com receio é o tamanho da letra, pois toda vez que leio um livro com letras muito pequenas morro dor de cabeça. (já estou necessitando de uma visita ao oftalmologista -.-')
    Beijos
    Construindo Estante || Facebook

    ResponderExcluir
  11. Achei bem interessante o fato de o livro tratar sobre essa doença. Admito que até então não sabia da existência. De qualquer forma, nunca me interessei muito por esse livro... acho que não faz meu gênero. E, que saco letras pequenas... também me incomodam #SomosTodosProblemáticos

    bjs
    www.fasciniosliterarios.com.br

    ResponderExcluir
  12. Oii. Achei muito interessante o tema do livro. Informações extras nas histórias são sempre muito importantes. Gostei do drama indicado.

    =D
    http://mundo-restrito.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  13. Oi Kel,

    Admiro autores que escrevem livros e abordam neles um assunto como a doença de huntington. Eu não conheço essa doença, você disse que muitas pessoas não conhecem e eu sou uma delas. Vou procurar saber mais a respeito. E fiquei com muita vontade de ler o livro, por tratar deste tema e pela história parecer ser muito interessante.

    Beijão - Tão doce e tão amarga.

    ResponderExcluir
  14. a capa do livro é mt linda!
    gostei da sinopse e pela sua resenha eu vou adorar a leitura!

    Seguindo o Coelho Branco

    ResponderExcluir
  15. Adorei sua resenha! Faz um tempinho que vi esse livro no skoob e adicionei como desejado, mas essa é a primeira resenha que leio a respeito, e posso dizer que minha esperança de a história ser boa continua alta, ainda mais depois dos seus comentários. Adoro temas que falem sobre trocas (assim como tem uma série chamada Switched at Birth, que acho incríveeel), e principalmente sobre doenças, que é um assunto bem delicado de se abordar, já que o autor se torna responsável por conhecer bem as informações e saber transmitir da forma correta. Realmente, não conheço essa doença, fiquei curiosa em saber mais :(

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com.br/
    Tem resenha nova de "Primeiro Amor" no blog, vem conferir!

    ResponderExcluir
  16. Oiii,vi seu blog no Leitura Kriativa da fofa da Raquel e vim visitar. Eu sou a autora do livro Justa Causa, que por sinal está sendo sorteado no meu blog. Ficaria muito feliz se você participasse.
    Agora a resenha. Essa capa, eu adorei. E gostei da sua renha. Ainda não conhecia o livro e eu gosto de um drama, acho que gostaria do livro. Não conheço muito essa doença, mas acho muito legal retratar sobre isso. Beijooos
    http://profissao-escritor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  17. as editoras tem muito cuidado em relação os livros e esse e realmente lindo beijos
    http://livro-azul.blogspot.com.br/
    http://livroazul-animes.blogspot.com.br/
    já estou seguindo :D

    ResponderExcluir
  18. Como sempre a literatura nos trazendo conhecimento, fiquei curiosa sobre a leitura apenas para conhece mais sobre está doença, e ainda mais por querer saber como a autora desenrolou isso juntamente da trama!

    Adorei Kel!

    Beijos Joi Cardoso
    Estante Diagonal

    ResponderExcluir
  19. Gostei da resenha Kel. Essse livro parece ser bem interessante, ainda mais por tratar uma temática tão delicada e séria. Não sei se é um mal da Pandorga em si, mas ouço muitas reclamações referente ao tamanho da fonte dos livros. Beijo!

    www.newsnessa.com

    ResponderExcluir
  20. Oii,

    Vou confessar que não conhecia a doença. Gostei de saber da forma como a autora abordou o tema, leria o livro porque achei que seria uma forma leve de tratar do assunto. Gostei da sua resenha e a capa é uma fofura


    Beijinhos,
    www.entrechocolatesemusicas.com

    ResponderExcluir
  21. Oi Kel, tudo bom?
    Esse livro é meu desejado há tempos e sua resenha só aumentou mais a minha curiosidade. O problema é que ele não tá barato não hueheuehu
    A primeira vez que ouvi falar nessa 'doença' foi em House, e depois procurei saber um pouco mais, foi ai que acabei conhecendo o livro...
    Gostei da resenha! Beijo,
    entreeleitores.blogspot.com

    ResponderExcluir
  22. Olá Kel

    Eu também sou aficionado por House. Então, sobre o livro, como você disse na resenha deve ser de muitas reviravoltas, logo na sinopse isso fica claro. Gostei da idéia que o livro propõe.
    Abraços

    estantejovem.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  23. Já tinha visto esse livro na net e nas livrarias e sempre achei essa capa linda, mas não sabia que ele abordava essa doença que vc citou, sabia da troca. Mas enfim foi ótimo ler sua resenha e ter uma noção do que esperar no livro.
    Concordo que é importante informar as pessoas sobre as doenças, principalmente as menos comuns, mas dependendo da narrativa do autor fico meio incomodada porém pelo que vc falou esse não é o caso o autor fala com sensibilidade sobre a doença.
    Enfim valeu pela dica de leitura. Beijos

    Leituras, vida e paixões!!!

    ResponderExcluir
  24. Oi Kel

    Que bom que gostou do livro, também já li ele e gostei bastante mas tem hora que o drama é tanto que da vontade de sair da história e respirar um pouco e o final não gostei muito foi muito drama para nada rssr

    Beijos

    www.livrosechocolatequente.com.br

    ResponderExcluir
  25. Oi, Kel!

    Eu não conhecia o livro, mas adorei a premissa e a abordagem da doença no enredo. A capa me chamou bastante atenção... ela é fofa e ao mesmo tempo misteriosa. Já anotei o título aqui para depois dar uma sondada melhor e comprar preços!

    Até mais,
    Sérgio H.

    www.decaranasletras.blogspot.com

    ResponderExcluir
  26. Olá

    Achei a história bem clichê, já não tinha me interessado muito por ele e com todos esses outros detalhes desisti de vez. O bom é que pelo menos o enredo foi bem conduzido, mesmo assim não curti não. Concordo com você que a doença que a autora trata é bem interessante e corajosa de ser abordada, mas dispenso a dica de leitura.

    PS: Não sei se já comentei, mas o nome do seu blog sensacional.

    Abraço!
    www.umomt.com

    ResponderExcluir
  27. Oi, Kel. Não conhecia este livro, mas depois de sua resenha eu fiquei com muita vontade de ler. Nunca li um livro - que eu me lembre - sobre trocas de bebes, mas deve ser interessante e muito emocionante de se ler.

    Beijos
    www.amorliterario.com

    ResponderExcluir
  28. Kel eu gosto muito de livros que abordam doenças. É sempre uma forma 'leve' de conhecer um pouco mais sobre o assunto. Além de conhecer coisas novas né. Eu por exemplo não conhecia a DH.
    Essa trama de troca na maternidade já está batida, mas se for bem desenvolvido está valendo rsrs. E essa capa é linda mesmo <3

    Beijiinhos ;*
    Andressa - Blog Mais que Livros

    ResponderExcluir
  29. Oi kel, tudo bem?
    Eu não conheço essa doença e concordo com você. os livros possuem um alcance muito grande e atingem vários públicos diferentes, logo é um excelente veículo de informação e conscientização!!! A autora realmente está de parabéns por usar sua obra para divulgar essa doença.
    É a primeira resenha que leio do livro e pelo fato de você ter perdido 4 estações (não aguentei, tive que rir) é porque a autora passa verdade.
    Dica super anotada.
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  30. Kel,
    Esse parece ao mesmo tempo, ser um livro leve e intenso...
    Abordar uma doença, não tão conhecida e falar com muita propriedade e sinal de muita pesquisa, o que já é um ponto a favor da autora.

    Abraços
    Vivi

    ResponderExcluir
  31. Oie Kel.
    Uma história comovente e cheia de segredos. Você conseguiu me deixar curiosa a respeito da personagem e de seu medo de ter a mesma doença da mãe. E coitada, além de ter medo da própria doença, descobri que não é filha da mesma. eu não sei o que é pior nesse caso. Descobrir que não vai sofrer do mesmo mal da mãe ou descobrir que a mãe que ela conhecia , na verdade não era sua mãe. Vou tentar ler este romance e ver quais segredos ainda serão revelados. Amei. Beijos.
    Cantinho da Bruna


    ResponderExcluir
  32. Hey, Kel, boa noite :D
    Já tinha visto esse livro na Saraiva uma vez, mas esqueci completamente. Obrigada por me lembrar!
    Apesar de parecer um pouco dramático demais, a história também parece ser bem interessante. Ainda mais por tratar uma doença tão pouco abordada - e sim, faço parte dos fãs de House, então é interessante ver a doença retratada em outra mídia.
    Espero poder ler em breve :D
    Abraços e ótima semana
    http://confissoesdeumleitor.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  33. Oi, Kel!
    Não conhecia o livro, e nem sabia dessa doença, mas acabei de ir ali no Google fazer uma pesquisa básica rsrs
    Achei muito interessante a autora abordar esse tema - até então desconhecido para mim, e espero ter a oportunidade de ler, porque gosto de livros com altas doses de drama.
    Achei a capa linda, e amei sua resenha!

    Beijinhos!!!

    ResponderExcluir
  34. Olá kel,
    o livro deve dizer que tem uma capa muito linda e bastante interessante o que nos instiga a querer saber do que se trata a historia.
    E gostei de saber que a autora aborda sobre uma doença a qual( como disse) devemos conhecer. Confesso que não sabia sobre a doença e há muito como também. Uma forma de nos informar através da leitura.
    Mais uma coisinha que gostei foi sobre o assunto de troca de bebes, outro assunto delicado e tem que ser bem explicado.
    Porem não gostei muito de saber sobre as fontes, assim como você sou cega, e as fontes são de suma importância pra mim. E sobre a autora abusar um pouco uma coisinhas na leitura.
    Desta vez deixarei passar a leitura, mais por causa da fonte. Quem sabe se a editora mudar, em outra edição...
    Flor eu adorei a resenha e achei a premissa deste muito interessante.

    Beijokas Ana Zuky

    ResponderExcluir
  35. Chocada que além de perder a estação do metrô você desceu só quatro estações depois! rs... devia estar mesmo mergulhada na leitura!!!!

    Sobre isso de abusar do sofrimento... até ontem talvez eu não entendesse, mas estou terminando a leitura de um livro que me fez sentir exatamente isso!! Achei que não era possível, mas é. Sofro com letra muito pequena também, não sei porque fazem isso com a gente... rs... daqui a pouco vou ter que começar a comprar o físico só pra deixar guardado e o digital pra ler no kindle, porque aí coloco a letra como eu quiser... hehe... Apesar dessas coisinhas, quero muito ler o livro!

    Beijo!

    Ju
    Entre Palcos e Livros

    ResponderExcluir
  36. Oi Kel... tudo bem???
    Que resenha legal e com um tema bem interessante... acredita que a doença citada eu conheço de assistir Dr. House??? Não a conheço a fundo, mas fiquei curiosa em conhecer mais... eu tenho muita vontade de ler esse livro e pela sua descrição dele vai ser uma leitura rápida e emocionante.... Xero!!!

    ResponderExcluir
  37. Eu faço medicina e conheço sobre a Doença de Huntington, além disso tbm assisti House e a história *o começo* me lembra o da 13 de House. Acho mt coragem da autora tratar de uma doença tão difícil e eu realmente espero que tenha sido bem retratada, pelo menos foi o que pareceu pela sua resenha. Também não me agrada, assim como vc, quando é mt drama, mas o livro me pareceu interessante sim.

    ResponderExcluir
  38. Oii
    A capa é muito linda! Amei a premissa do livro, por tratar de uma doença séria e de outros dramas familiares, quem me conhece, sabe que sou louca por um drama bem construído, principalmente, drama familiar. Me toca profundamente. Vou adicionar o livro a minha lista, se pintar a oportunidade, vou amar lê-lo!
    Beijos

    ResponderExcluir
  39. Já tinha visto o livro algumas vezes, mas nunca dei muita atenção e você conseguiu mudar completamente minha cabeça. Gosto muito de drama e achei bem interessante o livro falar dessa doença tão pouco conhecida, eu mesma não sei quase nada sobre ela, espero ler o livro em breve.

    ResponderExcluir
  40. Olá Kel!!
    Realmente este livro Vidas Trocadas, da autora Katie Dale, parece ser bem escrito, muito importante ressaltar que autora abordou uma doença muito pouco conhecida que é a DH - Doença de Huntington. Pela sua resenha fiquei curiosa em saber mais sobre a história de Rosie, esse drama de ser adotiva, saber o pq desse abandono pela mãe biológica, etc.. vou dar uma chance nesse livro, colocando ele naminha lista de aquisições de livros, e a capa é lindíssima!!
    Beijos,
    @ninh@
    Blog Detalhe Feminino
    http://detalhefeminino.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  41. Olá, Kel!
    Não me interessei pelo livro o suficiente para comprá-lo e lê-lo, mas concordo contigo sobre a questão da Doença de Huntington - informação e conscientização podem ser prevenção e proteção.
    A sinopse não me chamou a atenção, mas a capa sim - apesar dessas capas baseadas em ACEDE já estarem me cansando...

    http://discodivinil.blogspot.com.br/

    Parabéns pela resenha e grande abraço!

    ResponderExcluir
  42. Olá Kel!!
    Realmente este livro Vidas Trocadas, da autora Katie Dale, parece ser bem escrito, muito importante ressaltar que autora abordou uma doença muito pouco conhecida que é a DH - Doença de Huntington. Pela sua resenha fiquei curiosa em saber mais sobre a história de Rosie, esse drama de ser adotiva, saber o pq desse abandono pela mãe biológica, etc.. vou dar uma chance nesse livro, colocando ele naminha lista de aquisições de livros, e a capa é lindíssima!!
    Beijos,
    @ninh@
    Blog Detalhe Feminino
    http://detalhefeminino.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  43. Adorei, Kel. E confesso que não conhecia a Doença de Huntington. Gosto bastante de um bom drama, mas quando o autor força demais, nesse caso aí, a autora, extrapola a conta e usa um draminha alá Lei de Murphy, acho que o livro perde um pouco o ritmo e fica meio batido. O assunto em si de troca de bebês já o é, e com esse drama em excesso acredito que perde o rumo um pouco.
    Gostei da resenha, mas não sei se leria a obra.

    ResponderExcluir
  44. esse livro n me interessou, pq parece mto dramatico e também n gostei da capa. N conhecia essa doença, mas vou procurar mais sobre ela! Sua resenha ta mto boa!

    ResponderExcluir
  45. Oi Kel, faz um tempo que desejo ler esse livro e ele parece ser bem tenso, não conheço essa doença e vou procurar saber mais. Já li vários livros que possuíam mais de uma visão e acho que não é preciso alterar a fonte quando é indicado no início do capítulo, mas não acho que atrapalhe também. Beijos

    ResponderExcluir
  46. Não costumo gostar de capas com pessoas, principalmente se tiverem edições com desenhos no meio, mas essa eu gostei kkk Enfim, sobre a resenha: Aparentemente trata-se de um sick-lit né? Gosto muito com livros dessa pegada, e gostei bastante da sua resenha também apesar de que acho que não me interessei TANTO porque apesar de gostar de livros sick-lit não to num bom momento pra ler dramas kkk

    Abraços!
    http://pipocaradioativa.com.br/

    ResponderExcluir
  47. Ótima resenha mo!
    O livro parece ser bem legal. Que bom que você gostou!

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita!
Todos os comentários deixados aqui serão carinhosamente retribuídos.
Para isso, basta deixar o endereço do seu blog!
Mas antes de comentar, lembre-se de que esse post foi feito
com muito carinho, então, se vai comentar
"oi, fiz postagem nova, me visita" ou fazer um comentário
apenas de divulgação, este não será aceito.
Obrigada pela compreensão!
Já está seguindo o blog no Google Friends? Então não perca tempo!