# Especial Divergente // Resenha 87: Convergente

Oi, gente, tudo bem?

Espero que tenham gostado do primeiro dia do especial Divergente. Hoje tem resenhaaaa. Já resenhei Divergente e Insurgente por aqui e só faltava o último livro da série. Portanto, hoje é a vez de Convergente. Um livro que não convergiu muito, deixou pontas soltas, mas, pelo menos emocionou.

Leiam tranquilos, não há spoilers

Título: Convergente // Allegiant
Autor: Veronica Roth
Editora: Rocco
Páginas: 526


Sinopse: A sociedade baseada em facções, na qual Tris Prior acreditara um dia, desmoronou - destruída pela violência e por disputas de poder, marcada pela perda e pela traição. Portanto, diante da chance de explorar o mundo além dos limites que ela conhecia, Tris não hesita. Talvez, assim, ela e Tobias possam ter uma vida simples e nova juntos, livres de mentiras complicadas, lealdades suspeitas e memórias dolorosas. No entanto, a nova realidade de Tris torna-se ainda mais alarmante do que aquela deixada para trás. Antigas descobertas rapidamente perdem o sentido. Novas verdades explosivas transformam os corações daqueles que ela ama. Então, mais uma vez, Tris é obrigada a compreender as complexidades da natureza humana enquanto convergem sobre ela escolhas impossíveis que exigem coragem, fidelidade, sacrifício e amor. Narrado sob uma emocionante perspectiva dupla, Convergente conclui de maneira poderosa a série que alcançou o primeiro lugar na lista de bestsellers do New York Times, na qual Veronica Roth revela os segredos do mundo distópico que cativou milhões de leitores com Divergente e Insurgente.
Não vou fazer aquele habitual primeiro parágrafo com visões gerais do livro. Não, dessa vez o papo é sério e eu quero ir direto ao ponto. Antes de mais nada quero dizer que, de longe, essa é uma das resenhas mais difíceis que eu to fazendo, sem falsas demagogias. Gostei muito da saga, mas é inegável que Convergente não chega aos pés dos primeiros volumes. E não, não falo isso devido ao spoiler que quase todo mundo sabe. (E, não, ele não aparecerá nessa resenha). 

Na verdade, não sei se a Veronica Roth nos acostumou muito mal ou se Convergente é realmente mais devagar que uma tartaruga manca, se comparado aos livros anteriores. Quem não leu Divergente e ficou de queixo caído com o final? Quem não teve que fechar um pouquinho Insurgente para recuperar o fôlego porque o livro era agitado? Aí você pega Convergente e...



A narrativa é morna e arrastada. Não chega a ser algo penoso de ler, mas cadê a ação? Cadê a vontade de não largar o livro? Tô procurando até agora. Bom, mas tudo bem, há uma esperança! Em Convergente os capítulos são alternados de acordo com as perspectivas dos personagens. Ora temos o ponto de vista da Tris, ora temos o ponto de vista do Quatro. Isso é bom, Kel? Até que sim, sempre quis saber o que se passava na cabeça do Quatro, ele sempre foi muito fechado e enigmático. Mas ai estamos lendo o capítulo da Tris, depois vem outro da Tris e mais um da Tris. Epa, não era para ser do Quatro? Pois é. A narrativa deles é muito parecida. E quando quero dizer "muito" eu quero dizer muito. MESMO. Quatro surpreende sendo uma pessoa mais sentimental e vulnerável. Okay, ele é humano e todo mundo tem o seu lado mais "fraco", mas isso não combinou com o personagem. E, acreditem, ter capítulos intercalados quando rola uma DR entre os personagens não é legal. E você fica tipo...


Verônica quis ampliar enormemente o nicho da história. Mostrar outras opções, inserir muita coisa. O problema é que esse foi o último livro e o tempo, ou melhor, as páginas, foram poucas. Nem tudo foi explicado. A autora jogou informações e quem entendeu, entendeu. Senti falta de detalhes e de, efetivamente, um gancho entre as coisas e não apenas fatos isolados. Verônica preferiu focar em muitos assuntos, ao meu ver, supérfluos, ao invés daquilo que realmente interessava. Em vários momentos eu queria entender melhor, mas essa expectativa não foi correspondida. Fiquei com a impressão de que ela queria terminar logo o livro. Achei que faltou cuidado, principalmente  por se tratar de uma distopia. É um mundo futurístico, além da nossa realidade e isso requer detalhes, não dá para deixar a cargo da imaginação.


Confesso que um dos pontos que mais gostei em Divergente foi o fato do romance não ser o foco. Isso se repete em Insurgente E em Convergente. Bom, aí o negócio já ficou feio pra mim e encheu a minha paciência. Super entendo e admiro a relação entre Quatro e Tris, mas alooooow



Três livros de relação morna com medo de se envolver demais, etc? Faltou um salzinho nos dois. O que é uma pena porque, pensando no cinematográfico, a Shay e o Theo tem uma super química juntos e, se depender dos livros, a química deles não vai sair do papel (quer dizer, nem está no papel)

Outra coisa que me deixou OI? Que enorme é a capacidade que um certo personagem tem de esquecer certas realidades!! A pessoa mostra que é uma mal caráter, mas a galera perdoa e releva, como se nada tivesse acontecido. Como se a pessoa não tivesse feito um mal épico, tentado controlar as pessoas. Mas okay, essa é a vida. 

Acho que existe algum bromance/ sociedade secreta entre autores de sagas onde eles falam assim "para você fazer parte é preciso ser sádico. Mais mortífero que a bala da Angelina Jolie no filme O Procurado ".

E olha que essa é só uma parte. Cena completa aqui

Como vocês devem imaginar, tia Vê Roth foi aceita nesse grupo seleto em que estão ninguém menos que George Martin, JK e Suzanne Collins e, para valiar, elevou ao reino dos céus muitos de seus personagens (aliás, ela é tão legal que fez isso desde o primeiro livro.) No caso específico de Convergente, tenho que dizer que o que predomina é uma relação de amor e ódio com a autora em relação as mortes. Ao mesmo tempo que há uma pontinha de raiva, sei que ela seria incoerente se aquilo não houvesse acontecido. Resta aos leitores entrarem em choque e se emocionarem com a cena. A autora foi MUITO ousada em fazer o que fez. E deixo aqui minha salva de palmas por esse feito. 


Outro problema do livro foi a revisão. Muito erro bobo que a gente não espera encontrar em um livro como Convergente, ainda mais vindo da editora que publica. Não estou falando de apenas um errinho não, foi um número significativo. Espero que isso mude nas próximas edições!

Bom, no mais, acho que falei tudo que eu precisava falar. Pensei muito se dava três ou duas estrelas. Mas julgando de forma isolada o livro, ele merece duas estrelas. Já para a série como um todo, eu daria quatro.




43 comentários:

  1. Oi Kel!
    Realmente convergente deixou a desejar. A autora se perdeu e muito. A explicação sobre a genética não me convenceu... E o Tobias que parecia mais mulher que a Tris? NO SENSE.

    O spoiler que todos ficaram sabendo, foi a parte mais sensata e coerente do livro, e sim eu gostei do final. Mas o desenrolar foi ó... uma bosta.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. não é? E acho que esse foi o primeiro livro que nós dois lemos huahuahuahua

      Excluir
  2. Eu gostei muito da resenha! Ainda estou lendo o primeiro livro e por isso, vou ver o filme sem ter terminado :(

    Beijos.

    http://livrosleituraseafins.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ana! Faça isso mesmo. Depois me conta o que vc achou

      Excluir
  3. Oi, Kel
    Também fiquei um pouco decepcionada com o livro. Não conseguia distinguir quem era quem nos capítulos alternados. Esse livro ficou muito aquém dos outros. O final ficou legal.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza. De longe esse livro está bem abaixo dos demais livros da saga.

      Excluir
  4. Oi Kel :)

    Eu tenho Divergente e Insurgente, mas até hoje só li Divergente e posso dizer que gostei bastante, todos estão falando mal de Convergente que já estou com medo. Beijos!

    http://euvivolendo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Gabriel. Que bom que vc gostou. Insurgente tb é muito bom, mas Convergente, realmente, são outros 500 huahuahua

      Excluir
  5. Oiii, as capas dos livros são lindas. Eu não curto muito a saga, sério!
    Adorei aquela cena do GIF. Sua resenha está ótima. Abraço, www.likelivros.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. Como já disse ainda não li nenhum livro da trilogia, mas já li algumas resenhas, e todas, absolutamente todas se decepcionaram com convergente, mas ainda assim não perdi a vontade de ler os livros.

    ResponderExcluir
  7. Kel,
    Meu Deus, você não deu nenhum spoiler! Não merece palmas e sim o tocantins inteiro. ASUHUASHUASHUASUH'
    Depois dessa resenha eu quero ler. Aí você fala: Mas Ana, a resenha foi negativa.
    Mas exatamente por você ter criticado que fiquei com vontade de ler. asuhuashuash
    Assim que puder vou comprar. :3
    Beijinhos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sou muito boa em não dar spoilers huahuahuahua

      Excluir
  8. #MEDO de ler esse livro. O spoiller já vazou e agora você com essa resenha! Eu tava empolgado, vem você e me joga esse balde de gelo.. ô mulher malvada D: vou ler Insurgente enquanto o entusiasmo não vem rs Boa resenha (adorei os gifs rs)

    Henrique!
    www.aculpaedaobsessao.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. saber dO spoiler dá uma raiva danada mesmo. Meu namorado descobriu e não quer mais ler a trilogia

      Excluir
  9. kkkkkkkkkkkkk eu ri demais com os gifs!
    Resenha muito sincera, gostei!
    Ainda não li nenhum livro da série e, sendo sincera, não estou nem um pouco empolgada.

    Adorei o blog e já estou seguindo,
    Beijão!
    www.enfimepilogo.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. huahuahuahuahuahua que bom que vc gostou huahuahuahuahua obrigada pelo elogio!

      Excluir
  10. Oi Kel!
    Infelizmente, também me decepcionei com Convergente, principalmente com a escrita de Roth no que diz respeito a mostrar os pontos de vista de Tris e Tobias. Os capítulos mudam e não dá pra saber de quem se trata porque a narrativa não tem nenhuma personalidade! :/
    Na minha resenha falei basicamente o que vc falou na sua, a única coisa que discordo de vc é sobre aquela morte do final (o tal spoiler que todo mundo viu, menos eu \o/). Como fã de Martim que sou, entendo perfeitamente quando uma morte é necessária, mas aquela ali, pra mim, foi atoa, só pra chocar mesmo...
    Uma pena, mas como falei na minha resenha, vou ficar com a lembrança só de Divergente e Insurgente mesmo, porque Convergente, eu quero esquecer...

    http://maisumapaginalivros.blogspot.com.br/
    Mais Uma Página

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza. Convergente é um livro para se esquecer

      Excluir
  11. Po, eu gostei do filme, mas uma perspectiva negativa para o final me deixa com um pé atrás para conhecer mais da série. Eu só acho que a maioria dos autores estão entrando na escola George Martin de morte de personagens porque já viram que isso dá ibope!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Agora vc ja sabe o spoiler né? HUAHUAHAU acho que eu nem leria se soubesse do spoiler

      Excluir
  12. Kell!! Ainda nao li Insurgente e nem Convergente mas no dia do lançamento de todos eu já tinha os meus garantido pois sou MUITO fã!
    Não quis ler Insurgente antes do filme e acredite esperei muito por ontem.
    Fiquei feliz em você ter dado nota quatro a serie em geral! Mas estou preocupada com Convergente!

    Como você disse, por eu ter visto o filme ontem realmente o Theo e a Shai tem uma química maravilhosa,(que beijo foi aquele???) e a voz do Theo MEU DEUS sensacional! hahaha.
    E o que fizer da cena que ele pega na mão dela no trem e entao ela tem a confirmação que ele é um Divergente como ela - FODA (desculpe a palavrão!)

    Amei sua resenha e estou agora contando os dias para criar coragem e ler os outros dois, e ter minhas próprias conclusões sobre eles!

    Eu gostei também do romance leve deles em Divergente e achei que isso daria um gancho para esquentar um pouquinho mais em Convergente, MAS pelo que vi no filme talvez eles explorem um pouco mais nos filmes, você não acha?

    A frase épica que ele diz no filme depois do primeiro beijo no filme "eu me contento com o chão" algo assim, já fez eu pensar várias coisas para os próximos filmes!

    Enfim, Kel eu sou Divergente e fã absoluta sou daquelas que mesmo não sendo um final maravilhoso, ou não sendo como o esperado eu vou amar mesmo assim hahaha

    Beijos pois já escrevi demais aqui de tanta empolgação =D
    Joi
    Estante Diagonal

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Joi!!!

      Nossa, a voz do Theo é MELDEEEOOOSSSS. Linda demais.

      Excluir
  13. Gostei da Resenha Kel!
    Foi objetiva e sincera!
    Estava até com medinho de ler, por conta de spoiler, apesar de já desconfiar do que vai acontecer!
    Vou começar a ler o primeiro agora...

    Beijinhos
    Sou eu... Pri!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. huahuahuahua oq vc acha que vai aconteceeeeer?

      Excluir
  14. Ainda não tive a oportunidade de iniciar esta trilogia,mas confesso que ela esta no topo da minha lista de desejados, e confesso que lei somente uma lidinha do final da resenha, e espero realmente gostar desta trilogia!!.Mas ela é uma das minhas metas para este ano!!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  15. Kel, eu só li porque você disse que não tem spoiler, mas já tô vendo que vou me decepcionar com o final da trilogia. Divergente pra mim foi ótimo, estou pra ler insurgente, mas estou hesitante que quando lê Convergente minha visão da série mude. Último livro é um ponto estratégico do autor, ele surpreende, e tem que analisar bem pra ver se a surpresa vai ser boa ruim ou até regular. De distopia, a única que terminei foi THG, e confesso que fiquei de boca aberta com as decisões da Suzanne, não vou comparar porque isso é ridículo e até porque não li Convergente, mas é melhor me preparar para um livro que irá me deixar quebrar a cara. Ou não.
    Enfim, só lendo.
    beijos
    livros-com-pipoca.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lí! Sim, só lendo. Espero que vc não se decepcione como eu, mas... já essa chance huahuahuahuaha

      Excluir
  16. Não li nenhum dos livros da trilogia e to em duvida se vejo logo o filme ou se espero até eu ler o livro. Quanto à sua resenha, esse contraste é muito comum em trilogia, ou séries. Sempre comparamos o primeiro com o segundo , o terceiro com o primeiro , enfim. Sempre tem um que a gente gosta menos, que temos mais criticas sobre. Dificil encontrar uma trilogia ou uma série em que gostamos de tooodos os livros, sem achar chato em algumas partes, ou encontrar erros inesperados.. É a vida .
    bj, dréa

    ResponderExcluir
  17. Decididamente eu fui uma das leitoras que quis se matar quando acabou de ler Convergente. Não sabia se queria chorar ou ficar me matar de ódio mesmo. Por mais que digam e me expliquem, eu desejava um final menos real...

    Ana P.M. ♛ Queen Reader - Venha conhecer o Castelo!
    http://booksandcrowns.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  18. Eu tenho muita vontade de ler essa distopia, porque sou apaixonada por distopias, e essa em especial é super elogiada, você acaba de me deixar com um pé atrás quanto á divergente, eu ODEIO ler uma saga, amar os primeiros livros, e me decepcionar com o final...me dá uma raiva do autor..
    E-mail: juliamariamoraes2013@gmail.com
    Nome de seguidor: Julia Moraes

    ResponderExcluir
  19. Mas gente, como assim? hahaha. Eu vi muitas pessoas se emocionando lendo Convergente e todos dizendo que adoraram o último livro, principalmente, e a sua resenha é a primeira que leio que não gostou tanto assim do livro. Acho que Divergente é umas das melhores distopias apesar de ter lido só o primeiro livro da serie. Pretendo ler os outros e pode ser que eu mude de ideia ou NÃO sobre os livros.. E eu realmente espero que não.

    ResponderExcluir
  20. Oi Rachel, tudo bom?
    Ainda não li a trilogia e com a graça do meu bom Deus eu não consigo lembrar de spoilers jogados na minha cara. Ainda estou salva, mas sei que vou ficar triste e ter raiva em Convergente. Fico pensando: se achei o casal do filme sem química, imagina no livro? Mas eu até gosto de distopias com pouco romance, mas achei os dois apáticos no filme.
    Adorei sua resenha! Ficou muito boa, pois você soube pontuar todos os aspectos que não curtiu sem dar spoilers.
    Beijos!
    http://livrosyviagens.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  21. Sempre vejo muita gente elogiando Divergente, eu ainda não li, mas achei uma pena o último volume não ter tido tanta ação quanto os outros dois. Acho muito ruim quando o autor foca em coisas que não são importantes e acabam deixando dúvidas no ar...Eu estava bem interessada na série, mas agora fiquei um pouco receosa por ter dúvidas se vou gostar deste final rs
    beijos

    ResponderExcluir
  22. A Veronica Roth foi MUITO corajosa. Muito! Tenho certeza que ninguém esperava o que aconteceu, né? Eu estou com medo de ler, mas ainda assim, vou ler em breve!
    Beijos,
    Déia!
    Own mine

    ResponderExcluir
  23. Não li a saga, por isso fiquei meio voada na resenha.
    Mas isso de se ter os dois primeiros livros eletrizantes e no ultimo rolar decepção é bem comum de acontecer, né? As vezes sinto que alguns autores tentam espremer demais uma história só porque os primeiros fizeram sucesso e dá em merd*.
    P.S.: Adorei a alusão a cena do filme O procurado, gostei tanto desse filme, mas ele é tão mentiroooooso, kkk

    ResponderExcluir
  24. Convergente, assim como Divergente, não me traz tanta emoção.
    Acho a capa linda, mas vale a leitura?

    Abraços!
    Vini - blogumjovemleitor.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  25. Ainda não li a obra, mas já li diversas resenhas com a mesma opinião que a sua. Pelo que vejo, o livro terceiro realmente decepcionou.
    Espero não me decepcionar tanto quando ler a série. Mas, quando o livro é arrastado, ninguém merece.

    M&N | Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso top comentarista de Maio

    ResponderExcluir
  26. Kel,

    Não é segredo pra você que eu chorei litros e litros com o final de Convergente, e sim concordo que o livro não é o melhor dos três, mais pra mim ele funcionou. Teve problemas como a narrativa alternada que não funcionou e a mudança drástica no comportamento de Four, mais por outro lado temos a personagem da Triz mostrando um amadurecimento ímpar, se tornando sim uma grande protagonista, uma jovem que não se deixou abater pelos conflitos internos e que lutou por aquilo que acreditou e por quem amou. O final do livro me deixou abalada, todos os acontecimentos levavam para ele, e pra mim ele foi o ponto alto do livro. A autora foi muito corajosa em dar esse final para a série mesmo sabendo que iria provocar a ira de muitos fãs da série.

    Bjks

    Patty Santos - Blog Coração de Tinta
    http://www.coracaodetinta.com.br/

    ResponderExcluir
  27. Oi Kel, como vai?
    Vim conferir a sua resenha de convergente.
    Diferente de você, eu achei Insurgente o livro mais chatinho e parado. A Tris não sabia o que ela queria no segundo livro, toda hora ela mudava de opinião.
    Então pra mim em questão de qualidade ficou Divergente >> Convergente >> Insurgente.
    Sua resenha ficou muito boa, deixando bem claro todos os pontos que te fizeram não gostar do livro, gosto de resenhas assim, sem pena de falar a verdade!
    Beijos,

    www.enquantoestavalendo.com

    ResponderExcluir
  28. Oiiii!! :D

    Eu tenho que ler Convergente logo.. é o único que falta. Mas separei outras continuações que tenho que ler antes. Quando eu acabar essa triologia, eu já passo pra Jogos Vorazes. Siiiiiiim! Eu ainda não li!! :OOOO ahhh!! Mas vou ler, vou me atualizar. Preciso!! shauhsauhsa.. meu namorido está me apressando porque quer ver os filmes e está me esperando para ver comigo, mas cadê? '-' Vou me esforçar mais. Mas acho que estou num daqueles momentos em que são tantos livros, que a gente fica perdida, mesmo que goste de vários que estão na fila, tem outros mais antigos que você também tem que ler, mas aí... hum...
    Se eu tivesse mais tempo e não quisesse mais uma regra entrava naquele desafio do potinho. Mas quero manter o prazer de escolher o que vou ler o mês todo, fora das parcerias, porque o tempo de leitura anda curto.
    Enfim.. achei seus argumentos sobre Convergente não ser tão bom muito convincentes. E eu com certeza teria pensamentos parecidos, se tudo for mesmo assim, porque cara... adorei o que você falou sobre o romance deles. É quase aquela tirinha do casalzinho desanimado. Só que eles estão em ação no primeiro e segundo livros, então... mas é chato. Você sabe como amoooo um bom romance, mas não torci muito por eles. Cansei de esperar uma atitude. Deu nervoso em Insurgente isso de "tenho um problema, preciso conversar, mas NÃO vou conversar". Aí eles ficam distantes, não resolvem nada... pareceu imaturo. Ok. Eu tinha esperanças de que no próximo as coisas melhorassem, e de que o Quatro tomasse mais atitude e sacudisse a Tris, mas pelo visto vai ser até pior.. kkkkkkkkk..
    O que eu mais gostei no primeiro e no segundo foi da distopia mesmo, do que a autora me faz pensar sobre, da ação.. Se o último não tem ação e tem mais mimimi... :/
    Vamos ver o que vou achar.
    Beijos!!

    ResponderExcluir
  29. Oiiie,
    Acho que essa foi a resenha mais sincera que eu já li, haha. Você conseguiu citar os lados negativos dessa narrativa e os positivos também. Eu não gostei do final, mas sinceramente não ODIEI com todas as minhas forças, mas achei que faltaram algumas explicações no final. Concordo com você que esse livro é o pior da trilogia, é meio cansativo, parece que tudo acontece em câmera lenta. Mas pra compensar um pouco, eu até que gostei do livro Quatro, que é um 'extra', que é narrado pelo Tobias. Adorei sua resenha sincera!

    Abraços,
    Yasmin- 365 Dias Literários

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita!
Todos os comentários deixados aqui serão carinhosamente retribuídos.
Para isso, basta deixar o endereço do seu blog!
Mas antes de comentar, lembre-se de que esse post foi feito
com muito carinho, então, se vai comentar
"oi, fiz postagem nova, me visita" ou fazer um comentário
apenas de divulgação, este não será aceito.
Obrigada pela compreensão!
Já está seguindo o blog no Google Friends? Então não perca tempo!