29 janeiro 2014

# Resenha 68 // A Menina que Roubava Livros

Oiee, gente,


Antes de tudo tenho que dizer que mudamos de layout! Repararam? Espero que sim porque ele está totalmente diferente =P. Mais uma vez quem fez toda a codificação foi a Steh e a ilustração foi assinada pela Laura. Ficou tudo TÃO lindo. Modéstia a parte, é claro. Super recomendo o trabalho das duas. E nada melhor que começar o ano com o blog de cara nova, né?

Bom, mas, enfim, eis que FINALMENTE venho aqui para postar a resenha de "A Menina que Roubava Livros". Sei que vocês não se aguentavam de tanto me ouvir falar do bendito livro. Mas agora contarei tudo sobre a minha releitura:

Título:  A Menina que Roubava Livros // The Book Thief
Autor: Markus Zusak
Editora: Intrínseca
Páginas: 480

Sinopse: Ao perceber que a pequena Liesel Meminger, uma ladra de livros, lhe escapa, a Morte afeiçoa-se à menina e rastreia suas pegadas de 1939 a 1943. A mãe comunista, perseguida pelo nazismo, envia Liesel e o irmão para o subúrbio pobre de uma cidade alemã, onde um casal se dispõe a adotá-los por dinheiro. O garoto morre no trajeto e é enterrado por um coveiro que deixa cair um livro na neve. É o primeiro de uma série que a menina vai surrupiar ao longo dos anos. O único vínculo com a família é esta obra, que ela ainda não sabe ler. Assombrada por pesadelos, ela compensa o medo e a solidão das noites com a conivência do pai adotivo, um pintor de parede bonachão que lhe dá lições de leitura. Alfabetizada sob vistas grossas da madrasta, Liesel canaliza urgências para a literatura. Em tempos de livros incendiados, ela os furta, ou os lê na biblioteca do prefeito da cidade. A vida ao redor é a pseudo-realidade criada em torno do culto a Hitler na Segunda Guerra. Ela assiste à eufórica celebração do aniversário do Führer pela vizinhança. Teme a dona da loja da esquina, colaboradora do Terceiro Reich. Faz amizade com um garoto obrigado a integrar a Juventude Hitlerista. E ajuda o pai a esconder no porão um judeu que escreve livros artesanais para contar a sua parte naquela História.

Sempre no início das minhas resenhas eu coloco um pequeno resumo, em linhas gerais, do que é o livro. Para falar deste eu poderia simplesmente parafrasear a Morte.

É só uma pequena história, na verdade, sobre, entre outras coisas:
  • Uma menina
  • Algumas palavras
  • Um acordeonista
  • Uns alemãs fanáticos
  • Um lutador judeu
  • E uma porção de roubos

Mas eu vou ser legal e vou escrever nas minhas próprias palavras:

No livro conhecemos Liesel que é entregue para uma família adotiva por sua mãe porque o pai da menina era "Kommunist" e, bem, em meio a Alemanha nazista, isso era um problema. De inicio, Liesel demora a se adaptar a companhia de seus novos pais, Rosa e Hans Hubermann. Mas aos poucos acaba cedendo à cumplicidade de Hans. O que difere Liesel das outras crianças da sua idade é que a menina adora livros. Ela se sente atraída pelas palavras, mesmo que, no primeiro momento do livro, ela não saiba ler. O primeiro "furto" durante um enterro e, ao longo do livro, outros pequenos furtos acontecem. 

"A Menina que Roubava Livros" é um dos primeiros livros da minha coleção. Tenho há muito tempo e a primeira vez que li foi também há um bom tempinho. Vou começar falando pelo principal: o que difere esse livro dos demais é a forma de narração. Markus Zuzak encara o desafio de contar a história de Liesel pela perspectiva da morte. Não é fácil. Ainda mais se formos imaginar de uma maneira bem racional: ora, desde quando a morte é uma pessoa que narra histórias?

EIS UM PEQUENO FATO

Você vai morrer

Com absoluta sinceridade, tento ser otimista a respeito de todo esse assunto, embora a maioria das pessoas sinta-se impedida de acreditar em mim, sejam quais forem meus protestos. Por favor, confie em mim. Decididamente eu sei ser animada, sei ser amável. Agradável. Afável. E esses são apenas os As. Só não me peça para ser simpática. Simpatia não tem nada a ver comigo.

A verdade é que todo mundo foge da morte, muitos sequer querem ouvir falar dela e ter um livro onde a dita cuja é a narradora pode soar esquisito. Sinceramente falando foi exatamente isso que me fez querer comprar o livro na primeira vez. A Morte de Zuzak é irreverente, faz piadinhas e, o que pode ser alvo da critica de muitos, às vezes é tratada de forma "muito humana, muito bondosa". Mas, nesse caso, temos que convir que, em meio a Segunda Guerra Mundial, a morte chegou de muito bom grado para muitos que estavam definhando e sofrendo horrores nas mãos dos nazistas. A Morte tem sentimentos, é uma pessoa bem atarefada e, principalmente, linguaruda. 

Uma coisa muito importante para quem quer ler "A Menina que Roubava Livros": acostumem-se a saber dos fatos que vão acontecer pelo meio e pelo final do livro antes mesmo deles acontecerem. A Morte faz esse serviço sujo. São muitos os pontos em que ela acaba nos dando alguns spoilers. Sinceramente, não achei isso ruim e este fato não me fez querer desistir de ler, muito pelo contrário, contribuiu para me deixar ainda mais tensa.



Talvez, mais difícil que falar da nossa narradora seja falar de Liesel. E aqui eu digo uma coisa. Se abordar o nazismo, Segunda Guerra, o extermínio de judeus já é difícil, imagina você sentir, aos poucos, a compreensão de uma criança de 10 anos sobre os fatos que acontecem bem debaixo do nariz dela? Liesel tinha tudo para ser aquela personagem frágil e sofrida, porém ela vai amadurecendo a sua mente e tudo isso tem um culpado: os livros. 

Tem uma parte que eu, particularmente adoro:

Ela era uma menina.
Na Alemanha nazista
Como era apropriado que descobrisse o poder das palavras!

Essa é a Liesel. Uma menina que descobre o poder das palavras, ela é uma sacudidora de palavras. Liesel é aquela que, dentro de todo o horror do Nazismo, ela descobre o poder das palavras e acho que essa foi uma das principais mensagens que o livro quis passar. Liesel roubava livros quando tinha necessidade de palavras, necessidade de aprendizado e fazia isso para se tornar mais livre.

Outra parte muito importante do livro é Rudy, o melhor amigo de Liesel. Ele é um menino inteligente que está sempre ao lado de Liesel. A relação de cumplicidade deles é muito tocante. Rudy tem um pouco do papel de quebra na narrativa. Ele é engraçado. Falar de Rody é falar de lealdade e é por isso que o personagem se destaca no enredo.

Mas o mais bonito de tudo mesmo é a relação de Liesel com o seu pai adotivo, Hans. Eles protagonizam as partes mais emocionantes do livro. Hans é transparente como água. Ele é um tapa na cara da sociedade hipócrita que vira a cara para quem mais precisa. Ele é aquele que não tem muita coisa, mas que não se importa em dividir esse pouco. Hans realmente nos faz refletir sobre quem queremos ser de verdade.

Desde o começo a menina soube que Hans Hubermann sempre apareceria no meio do grito e não iria embora.
UMA DEFINIÇÃO NÃO ENCONTRADA NO DICIONÁRIO
Não ir embora: ato de confiança e amor, comumente decifrado pelas crianças

Sério. Sem nenhum exagero, esse livro é brilhante, é edificante e é uma visão totalmente diferente de qualquer outro livro. De longe é o melhor livro do Zuzak que descreveu com maestria a trajetória de uma menina que buscou, através das palavras, fazer a diferença. Recomendo a leitura, principalmente agora que o filme está para estrear. 





43 comentários

  1. Esse livro é divino, não tem um ponto que eu o critique. Apesar de fazer muito tempo também que eu li (foi também um dos meus primeiros livros), eu o amo ainda hoje e estou super ansiosa pro filme já que eu não gosto muito de reler livros, e espero que o filme não me decepcione!

    Beijo,
    Mariana - Blog Portão Azul ( http://portaoazul.blogspot.com.br/ )

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ahhh que lindo! Pq vc não gosta de reler? Só esse ano já reli 2 livros e ainda terão mais. Gosto de reler quando está próximo do lançamento dos filmes para eu ficar ainda mais chata e exigente HUAHUAHUAHUA

      beijos
      Kel
      www.porumaboaleitura.com.br

      Excluir
  2. Gostei da nova cara do blog... tá linda!
    Eu já li e reli este livro e é meu favorito!
    Liesel é uma personagem extraordinária... forte, madura, mas sem deixar de ser infantil, afinal ela é uma criança...
    O tema nazismo sempre me atrai, adoro livros que tenham no cenário...
    Apesar da tristeza, da morte, da injustiça eu só vejo beleza nesta estória quando me deparo com ela outra vez como agora.
    Parabéns pela resenha... adorei

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ahhhh, brigada Edna!!! A Liesel é linda mesmo. Tb gosto mt de temas relacionados a segunda Guerra. Não que eu seja simpatizante de guerras ou do nazismo huahuahuahua. Mas é um período com mt conteúdo.

      Excluir
  3. Aiii eu já tava doida de vontade de ler esse livro, depois dessa resenha fiquei mais ansiosa ainda pela leitura! >.<

    Ahhh e eu amei o novo layout do blog, ficou muito fofinho! E o desenho ficou lindo mesmo! Parabéns! É sempre bom mudar, né? Parece que dá um ânimo à mais pra gente! :)

    beeeijos,
    Miss Sainha

    ResponderExcluir
  4. Primeiramente: o novo Layout ficou liindo *---------*
    Eu mal troquei o do MQL e mal posso esperar para trocar novamente haha
    Isso realmente me deixa agoniada. Enfim, enfim.
    Finalmente você escreveu a resenha hein?! E mais uma vez me deixou nega curiosa para ler o livro. Ele está demorando tanto a chegar que acho que nem vou conseguir ler antes da estreia do filme! Mas vou esperar para assistir só depois..
    Pelos quotes que você colocou na resenha já da pra sacar a personalidade da morte rsrs
    Mal posso esperar para ler *--*

    Beeijos, Dreeh.
    Blog Mais que Livros

    ResponderExcluir
  5. Eu amei a sua resenha. Eu já estava interessada em ler o livro, mas ao mesmo tempo receosa, pois não curto muito livros com fatos históricos.
    No entanto agora com essa resenha fiquei muitooooo curiosa para saber como é a narração pela Morte.
    Dica muito bem anotada.
    Abraços
    Viviane Martins
    vivis_martins1@hotmail.com

    ResponderExcluir
  6. Já li, e achei a história ótima. Agora estou querendo mesmo é assistir o filme, ansiosa para a estréia!

    Clandestina a Bordo | FanPage | Twitter

    ResponderExcluir
  7. Oi, Raquel.
    Eu li o livro ano passado e NOSSA como adorei. Foi o primeiro livro que me fez emocionar. É uma pena que eu não tenha ele, era emprestado, quase roubei u.U. E que bom que tenha gostado...
    E estou doido para assistir o filme, muito ansioso.
    Adorei sua resenha e nunca se esqueça: Quando a morte conta uma história, você deve parar para ler. hahahaha

    Abração
    Encantos Paralelos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. huahuahuahua verdade!!!! A Morte tem moral de deixar todo mundo quetinho só escutando ;)

      Excluir
  8. Oi Raquel!!!

    Acho que é a primeira vez que paro realmente para ler uma resenha desse livro, não que eu não tenha ouvido falar dele, ainda mais agora com o lançamento do filme, mas é que na realidade ele nunca me chamou a atenção, pra você ter uma ideia eu nem sabia que o livro era narrado pela morte, achei um pouco, vamos dizer, diferente.
    Como sempre sua resenha está muito bem estruturada, o livro parece bom, mais devo confessar que irei ver o filme primeiro, quem sabe me anima mais.

    Bjks

    Patty Santos - Blog Coração de Tinta
    http://www.coracaodetinta.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ahhh que bom que vc gostou da resenha!!! Le o livro sim, vale a pena!

      Excluir
  9. AMO A menina que roubava livros. Foi um dos primeiros livros que li e por causa comecei a pegar o gosto pela leitura.
    Adorei a Liesel e o Rudy, e a sua amizade, e a relação dela com o pai!
    Fiquei até com vontade de reler o livro rs

    ResponderExcluir
  10. Oiee Meninas =)
    realmente o lay está singelo e lindo *oo* in love!
    Sobre o livro, ainda não o li, tentei três vezes e parei no terceiros capitulo, provável que seja pelo fato do que falou que ele começa pelo meio e final, rs, não me acostumei, porém darei outra chance.
    Beliscões da Máh ♥
    Blog
    Twitter

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ahhh que bom que vc gostou, florzinha. Pena que vc não avançou mt no livro =( Mas é pq a linguagem do livro é bem diferente, tem que se adaptar mesmo

      Excluir
  11. Oi Kel, tudo bom?
    Ah, como eu quero ler esse livro! Eu quero há muito tempo, mas venho sempre adiando a compra, não sei nem o porquê! Agora eu vou assistir ao filme e não posso nem criticar porque vou ser meio poser né hahahaha
    Amei sua resenha, o modo como você escreveu, que fez os links com o próprio livro e as partes destacadas! Sério, tá lindo!
    Beijão
    Endless Poem

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Po, Sarita, agora vc vai ter que comprar aquela coisa feiosa da capa com o poster do filme =P Ninguém merece huahuahuahua

      Excluir
  12. Tenho muita vontade de ler este livro, sempre vejo muitos blogs recomendado-o e enchendo de elogios! Acho a estória bem interessante, principalmente por ser narrada pela morte e achei curioso o fato dela mesmo dar spoilers para nós!
    beijos ♥
    quemprecisadetvparaverbeyonce.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  13. Ainda estou bem no inicio do livro, então não tenho uma opinião formada sobre ele, mas até agora está sendo bom. Tentei terminar de ler antes você publicar sua resenha mas não deu tempo :( Até a parte que li a Morte ainda não deu spoiler nenhum, espero que esses "spoilers" não me desanimem haha. Espero gostar do livro tanto quanto você
    Ah, e o layout ficou muito fofo, adorei !
    Bjss

    ResponderExcluir
  14. Ah, Kel! Esse livro é... Tipo sem palavras pra descrever. Mais que brilhante, mais que bem escrito e com personagens memoráveis!
    A Menina que roubava Livros é um favorito meu e não tem como se emocionar com o final ou se impressionar com a narrativa, amanhã mesmo vou nos cinemas assisti a adaptação!
    A resenha ficou maravilhosa, e o lay está lindíssimo! O trabalho da Isteh é realmente muito bom ^_^
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ahhhh esse livro é um grande livro. O final é realmente emocionante.

      Excluir
  15. Ainda não li esse livro e perdi a animação para conhecer a obra depois de alguns comentário negativos sobre a mesma.
    Estou esperando ver o filme e tirar essa dúvida da minha cabeça: se leio ou não o livro.
    Mas é como dizem: quando a morte para pra contar uma história vc deve ouvir!

    ResponderExcluir
  16. Oi Kel!
    Gente eu amo esse livro muito, muuuito!
    Trata de um dos meus temas preferidos: o Holocausto (não que eu seja neonazista ou algo assim, é só uma parte da história que eu acho extremamente interessante), e ganhou meu coração só pela capa <3

    Um beijão meninas!
    http://obsessivejerk.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  17. Li esse livro tem um tempo já, mas a estória é tão boa que ficou gravada. Realmente, o assunto não é fácil, só que o autor soube tratar dele com maestria, nos colocando dentro do enredo. Talvez esse seja o triunfo do autor, porque todo mundo conhece o tema, mas ninguém sentiu na pele e o livro proporciona isso, você viver a época. Muito bom mesmo!!!

    Bjs, @dnisin
    www.seja-cult.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Denise! Vc falou tudo. Essa história fica gravada na memória, é realmente mt marcante.

      Excluir
  18. Li o livro em 2012 e sou completamente apaixonada por ele. Ainda não terminei de ver o filme, mas nem preciso. O livro por si só já é maravilhoso <3

    Beijos.
    Próximas Leituras l Páginas na Estante.

    ResponderExcluir
  19. Eu pretendia ler esse livro antes de ver o livro, mas não sei se será possível, tem tantos na frente dele coitado! Eu comecei a ler ele há uns bons anos atrás, mas não consegui terminar, não sei se eu era muito criança ou se o livro não agradou mesmo, mas depois de tudo o que falaram pretendo tentar de novo!
    Beijo!
    http://booksmanybooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  20. Kel, esse livro é realmente sensacional! Eu gosto muito de livros que tenham como pano de fundo essa época da história, e o Zuzak soube criar uma trama linda com isso!

    ResponderExcluir
  21. Li este livro a muito tempo tempo e simplesmente amei sua historia!! E quando fiquei sabendo sobre o filme , acabei comprando para poder reler o livro e assistir o filme.

    ResponderExcluir
  22. Nunca tive vontade de ler o livro por já saber +/- o final, mas depois da sua resenha, sei lá, to com vontade e MUITO de ler, principalmente antes de assistir ao filme. As vezes fico pensando na morte, coisa que não gosto muito, mas essa morte parece ser diferente, como vc já disse em uma postagem anterior!
    Gostei da resenha
    Super Abraço, Victor Rosa
    encantosparalelos.blogspot.com

    ResponderExcluir
  23. Oiii Kel!!!! Primeiramente, parabéns pelo layout novo, ficou uma graça! Adorei!!!!

    Sobre A Menina que Roubava Livros, eu li há algum tempinho...logo que chegou no Brasil, se não me engano. Me encantei pela história! Lembro que naquele ano o autor veio na Bienal aqui no Rio, fiquei esperando ele chegar, mas minha tia que estava comigo quis ir embora...fiquei sem meu autógrafo! Se não me engano foi em 2007. Também gostei muito de Eu sou o Mensageiro, também do mesmo autor, mas não tanto quanto A Menina que roubava livros. Quero muito ver o filme, espero não me decepcionar!

    Beijos,

    Mari

    cantinhodeleituradamari.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. COMOASSÉÉÉÉM ele veio pra Bienal e eu nem sabia? huahuahuahua to de mal. Mas tb, naquela época eu só pensava em vestibular =P

      Excluir
  24. Me sinto uma das poucos no mundo que não gostou desse livro. Como disse anteriormente, suas resenhas me mostram um outro de uma mesma história. O livro é até bom, nos personagens, na narrativa. Eu adoro a história da Segunda Guerra e foi isso que me atraiu pelo livro, mas a vida da menina é tão cheia de desgraças que isso me entristeceu quanto a história.

    Senti que ela teve um final merecido depois de tudo, mas ainda sim senti pelos entes amados dela que se foram. A morte nunca é justa e nesse livro não fora justa nem com ela nem com que ela amava.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Paulinha,

      fico mt feliz em saber que minhas resenhas trazem um olhar diferente. É verdade que o livro é meio trágico mesmo, mas acho que eu adoro um drama huahuahuahua

      Excluir
  25. Eu nem tenho palavras pra dizer o quanto esse livro significa na minha vida. Já li e reli e pretendo ler mais uma vez. Acho que sua resenha soube expressar um pouco do que eu senti quando li esse livro pela primeira vez. Parabéns pela sensibilidade!

    ResponderExcluir
  26. Faz muito tempo que eu li este livro, mas eu o AMO e saio indicando ele para todos. Hoje é a estreia do filme e infelizmente não vou poder ir, mas amanha esterei no cinema.

    Beijos.

    http://livrosleituraseafins.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  27. Oi Kel! Só vejo resenhas positivas desse livro. Vou ler antes de assistir o filme ;)
    Parabéns pela resenha
    Bjos

    Samy
    http://livroscomresenhas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  28. Oi Raquel. Muito bacana o novo layout, ficou mais "clean".
    Faz 2 semanas que terminei a leitura. Uma preparação para o filme que vou conferir neste sábado.
    Esse livro é uma lição do poder das palavras. De um lado, um líder que arrebatou uma nação, num caminho de desgraça, morte e destruição; de outro uma menina, que encontrou esperança e passou a compreender este mundo através das palavras.
    É uma profunda reflexão de como as palavras podem manipular uma sociedade e escravizá-la, como também, pode ser instrumento de liberdade, educação e crescimento. Incrível como uma história baseada na II Guerra continua tão atual.

    Abraços, DuLapa.
    http://www.dulapa.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Du,

      A Menina que Roubava Livros é mesmo uma lição. Lição de tudo, de vida, de perseverança, de superação tb. O conhecimento é tudo!

      Excluir
  29. Oi Raquel! Primeira coisa: ADOREI A RESENHA!
    Só você pra me fazer balançar para ler esse livro. Parece tão emocionante e tão forte.
    Vou tentar ler em 2014 e espero gostar tanto quanto você. Segunda Gurra é um assunto que eu gosto de ler nos livros.
    Beijos
    http://livrosyviagens.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  30. Oi, Kel! Tudo bem? Eu entendo bem esse sentimento de adoração por "A Menina que Roubava Livros", eu não estava esperando me apaixonar pela história e, quando eu terminei a leitura, foi um dos melhores livros que li na vida!!! De verdade, eu não sei qual é o meu personagem favorito nessa, seja a Morte por ser uma das melhores narradoras de histórias, seja a própria Liesel que é encantadora, Rude, Max, Hans ou Rosa. Ontem mesmo fui assistir o filme e, apesar dele não ser tão maravilhoso e encantador quanto o livro, o filme é muito emocionante. É, eu fiquei desidratada de tanto chorar, do começo ao fim hehe A resenha ficou linda e me deu uma vontade danada de reler o livro!! Bjs
    Jéssica - http://lereincrivel.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A história é tão linda e extremamente original. . Eu adoro o Hans, o Rudy e, claro, a Morte só por ela ser engraçadinha e irônica =P

      beijos
      Kel
      www.porumaboaleitura.com.br

      Excluir
  31. Muito boa a resenha meu amor! O livro parece ser realmente fantástico, com certeza uma ótima leitura cheia de ensinamentos!

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita!
Todos os comentários deixados aqui serão carinhosamente retribuídos.
Para isso, basta deixar o endereço do seu blog!
Mas antes de comentar, lembre-se de que esse post foi feito
com muito carinho, então, se vai comentar
"oi, fiz postagem nova, me visita" ou fazer um comentário
apenas de divulgação, este não será aceito.
Obrigada pela compreensão!
Já está seguindo o blog no Google Friends? Então não perca tempo!