# Papo Literário // Número de livrarias diminui no Brasil

Oiee, gente, tudo bem?

Comigo tá tudo certinho. Pela primeira vez aconteceu uma coisa bem legal aqui no blog (okay, coisas legais acontecem todos os dias por aqui, mas esta foi especial). Recebemos pelo nosso email uma sugestão de pauta para a coluna Papo Literário. Quem enviou pra gente foi o leitor e também blogueiro: Eduardo, do blog DuLapa. Adorei a sugestão e, claro, estou replicando por aqui. 

Vocês já pararam para reparar na quantidade de livrarias que existe na cidade de vocês? São muitas? São poucas? Elas costumam ficar na rua ou nos shoppings? Segundo a Associação Nacional das Livrarias, em 2012 houve uma queda no número de livrarias no país. O total aponta a diminuição de 12% em relação à 2011. Este é o momento em que você começa a suar, as penas bambeiam... Mas, calma leitores vorazes, vou explicar melhor a situação. Essa diminuição não significa que estamos lendo menos, mas sim que o mercado anda cada vez mais disputado entre as lojas em si. 


Mesmo com esta queda, São Paulo permanece como o local com mais livrarias. O número total no Estado é de 818, o que é superior, por exemplo, ao número de livrarias da região nordeste como um todo: 517.  

Como sempre, conversei com alguns blogueiros para saber a opinião deles sobre o assunto. O Victor Rosa, do blog Encantos Paralelos, é baiano e partilhou conosco um pouco da realidade da Bahia.

"A cidade onde moro só tem uma livraria, que abriu ano passado, e, além de ser minúscula, todos os livros são caros. Tem também as Lojas Americanas que diminui a parte dos livros para aumentar a dos filmes. Até onde eu sei aqui no estado só tem duas cidades com Saraiva, que são Salvador e Itabuna, além de todos esses déficits físicos, quando nós leitores optamos por comprar nos sites nos deparamos com fretes exorbitantes que raramente ficam abaixo dos 11 reais".

Se vocês acham que isto é ruim, imaginem só quando eu contar para vocês que em Roraima, lá no extremo norte do país, existem apenas quatro, eu disse QUATRO livrarias?! Esses dados também são da Associação Nacional de Livrarias. Moradora do Acre, a blogueira Caroline Freitas, do blog De Cabeça para Baixo, também falou sobre a realidade da sua região, não muito diferente do que acontece em Roraima:

"Na minha cidade só tem UMA livraria pequena por sinal. Como só tem ela, bem, cobra-se o olho da cara pelos livros, ainda mais por ser no interior. O que me faz recorrer às lojas online, comprar uma vez ou outra quando vou a capital, que tem no máximo quatro a cinco livrarias ou peço aos amigos das cidades grandes comprarem para minha pessoa. Em breve estarei indo para capital + natal = espero fazer a festa na livraria, pois nem sempre tem os livros que desejo (triste)".

Para o blogueiro Adriano Gutemberg, também baiano e dono do blog Geração Leitura Ponto Com, existem várias formas de buscar a leitura, apesar das dificuldades da região onde mora:

"Ler transcende barreiras sócio-econômicos. Minha avó tem uma frase que diz: 'Quem quer acha um jeito, quem não quer acha uma desculpa', então se a pessoa realmente gosta e quer ler, mesmo não tendo condições de comprar, ele pode tomar emprestado de amigos, vizinhos ou mesmo bibliotecas públicas. Sinto que culpar o preço alto dos livros é uma desculpa e não uma justificativa plausível. Li um dia desses, que o Brasil tem o mercado editorial mais caro do mundo, salvo engano, e apesar disso tornar-se um empecilho para a leitura constante, não é o único fator determinante e não devemos culpar APENAS o preço dos livros por isso".

É importante ressaltar que o baixo número de livrarias não significa que a população local não goste da leitura, como bem disse o Adriano. Muitas vezes em uma cidade muito do interior e com população de classe C e D, por mais que a pessoa goste de livros, a compra deles faria falta no final do mês. A questão da falta de livrarias também pode estar na concorrência acirrada. Grandes lojas acabam engolindo as menores e diminuindo o leque de opções dos consumidores. 

Por isso, o próprio estado de Roraima criou uma iniciativa que, na minha opinião, deveria ser replicada em todo o país. Eles simplesmente criaram uma "moeda" chamada Palavra que é usada exclusivamente na compra de livros. Cada cédula tem um valor e homenageia um nome da literatura amapaense. Essa iniciativa ajuda aqueles que querem comprar um livro mas não tem condições. Quem pode receber esse vale são alunos, professores, educadores e escritores do estado.

35 comentários:

  1. Adorei essa coluna e realmente os preços de livros em livraria física é muito mais caro independente da cidade e da quantidade de livrarias que tem.

    Como moro em São Paulo sempre recorro as bibliotecas maravilhosas que a cidade possui e o melhor de tudo não precisar pagar.

    Beijos

    www.livrosechocolatequente.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito mais caro mesmo. Normalmente não sinto a diferença nos preços nas livrarias fisicas, normalmente a variação é bem pequena, mas a internet é infinitamente mais barato. Normalmente tb prefiro a internet, mas ainda há livros que só consigo encontrar em física. Os da Farol são uns deles.

      Excluir
  2. Oie Raquel.
    Moro em Brasília e por aqui temos livrarias em shoppings principalmente. Leitura e Saraiva dominam, mas também tem a Cultura. Temos muitos sebos no centro, mas nas outras cidades não. Aqui as livrarias fazem muitas promoções, mas sei que no resto do país não é assim. Viajei recentemente para uma cidade pequena e vi uma papelaria vendendo livros caros. Infelizmente isso afasta os leitores que não tem costume de comprar livros mais em conta na internet.
    Amei esse post.
    http://livrosyviagens.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aqui no Rio não tem Leitura não. Temos a Cultura, que deve ser tão cara quanto essa Leitura =P. Aqui os sebos, em sua maioria são uma piada. Sebo pra mim é livro a menos de 12 reais. Agora sebo que vende, sei lá, Crepúsculo usado a 18 reais, sendo que o livro custa 22, pelamor, né?

      Excluir
  3. Aqui na minha cidade não tem livraria, acho que é também porque por aqui não valorizam muito a leitura :(
    Seguindo aqui, poderia retribuir? Sou nova por aqui.

    Beijos
    www.omundomitico.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Nossa, muito bacana essa ideia da "moeda" para comprar livros. Com certeza todos os estados deveriam copiar! rs

    Ahhh eu acho que tem também o fato de que hoje é super fácil ler livros pelo celular e talz, não sei se tem muito a ver mas acho que deve acabar diminuindo também o número de compradores de livros, né?

    beeeijos,
    Miss Sainha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Teoricamente sim, Leeh. Tem gente que prefere ebooks. Mas acho que até quem gosta de ebook tb compra livros fisicos ;)

      Excluir
  5. Sinceramente, quase nunca compro livros em livrarias!
    É no mínimo 20% mais caro que na internet.
    É uma pena, pois o espaço físico de uma livraria é sempre encantador
    Beijinhos
    Rizia - Livroterapias

    ResponderExcluir
  6. ahhh Eu amo entrar em uma livraria RSRSR
    Bjs
    http://eternamente-princesa.blogspot.com.br/
    http://lizajoneslivros.wix.com/lizajones

    ResponderExcluir
  7. O Adriano falou tudo! Minha cidade não é grande mas também não é nenhuma roça: Nova Friburgo. Mesmo assim, só temos UMA livraria, e mais uma papelaria que tem uma mini nos fundos. Isso é revoltante! Sem contar que é tudo caro. Quero dizer, mais caro do que já são!

    Beijos
    http://escolhasliterarias.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Caramba. Esse post foi bem interessante.
    Eu sou do RJ, então o que não falta aqui é livraria, todos os shoppings tem uma e no centro da cidade e zona sul tem várias pelas ruas.
    Sem contar os sebos, meu bairro é bem distante do centro, mas tem dois shoppings e nos dois tem livrarias, no centro do bairro tem pelo menos 3 sebos.
    Então acho que a minha realidade é bem diferente do pessoal que depôs. Engraçado que eu nunca tinha parado muito para pensar sobre isso.
    Interessante também que geralmente, pro RJ o frete sai grátis ou bem baratinho, pelo menos nas lojas onde eu compro.
    E mesmo com tudo isso, fica difícil comprar todos os livros que eu gostaria, aí fico pensando na frustração do pessoal que encontra toda essa dificuldade.
    Mas eu concordo com o Adriano, quando a gente quer algo, tem que dar um jeito.
    Me lembro que na adolescência, meus pais nunca entenderam meu apreço pela leitura, então não me dava dinheiro pra comprar livros.
    Aí eu fazia o trabalho de casa dos meus amigos e eles me pagavam com o dinheiro do lanche kkkk Eu ia juntando até poder comprar os livros que eu queria, que geralmente era versão poket de banca de jornal ou no sebo rs.
    Enfim... Mais um post do seu blog que me interessou horrores!
    beijos
    http://letrasdanana.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Mari, vc mora onde??? Tb sou do Rio =D. Então, com certeza existem algumas vantagens de morar em grandes centros, o que pode ser visto como um incentivo, enquanto para locais mais distantes sai muito mais caro =(

      Excluir
  9. Olá Kel,
    fico tão feliz de poder ter ajudado *-* Agora que sei, sempre que tiver alguma ideia para tema mandarei viu?
    É muito triste ver oq está acontecendo com o mercado, ver q as opções estão se estreitando!
    Concordo com meu conterrâneo Adriano, dinheiro não é desculpa, mas temos q ver todos os pontos de vista. Eu, por exemplo, moro em uma cidade com uma biblioteca xinfrin onde NENHUM dos meus amigos "reais" gostam de ler. Iai faço oq? N tenho onde pegar, onde comprar e nem onde pedir emprestado... é uma situação mt delicada :/
    Adorei a coluna :)
    Super Abraço,
    Victor Rosa - Encantos Paralelos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Voce já é figurinha carimbada aqui no blog, Vi!!! Simplesmente adoro as suas participações

      Excluir
  10. Oi Kel,
    Adorei o post! Na minha cidade temos o numero total de: zero livrarias. Há previsão da abertura de uma no Shopping novo da cidade - moro no Estado de SP, há uns 30km da capital.
    Enfim, como trabalho em SP mesmo, passo com frequencia por shoppings ou livrarias, mas a maioria das minhas compras é feita online. A praticidade e rapidez da entrega (pelo menos do submarino na minha casa é exemplar) faz com que eu opte por esse meio. Fora isso, geralmente deixo pra comprar pelo menos 2 livros que compensam o frete (de no máximo 4 reais).
    Enfim, o post é realmente interessante. Concordo totalmente que nada impede aqueles que gostam de ler, de lerem. No final, acredito que, o esforço é valido.

    Beijos,
    Ká Andrade
    http://teens-books.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. zero??? Como assim???? A realidade das livrarias no Brasil é mesmo drástica.

      Excluir
  11. Adorei o tema do Papo Literário dessa semana, moro em São Paulo e saio ganhando com isso pois temos várias livrarias por aqui, o único problema são os preços das lojas físicas, são bem mais caras do que as virtuais, acho que a diminuição do número de livrarias também se deu pelo fato que muitas pessoas começaram a comprar livros pela internet por serem mais baratos.

    Bjks

    Patty Santos - Blog Coração de Tinta
    http://coracaodetinta.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. com certeza, Patty. Não sei se isso é bom ou ruim, mas tudo bem

      Excluir
  12. Great blog!!
    Can we follow each other via gfc bloglovin and g+?

    http://asweetwoorld.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  13. Muito bacana essa iniciativa de Roraima.
    O complicado disso tudo não é em si o tipo de leitor de cada região, mas sim o mercado. E, inclusive, em todo o Brasil. Porque as lojas físicas estão perdendo espaço para as virtuais, com preços menores como incentivo dessas últimas.
    O que é uma pena, pois amo livrarias. Admito que raramente compro numa loja física, geralmente o faço em sites, mas é muito bom poder ter essa escolha, a de comprar na hora.
    Adorei o post!
    Beijos
    Mell Ferraz
    http://www.literature-se.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ahhh eu tb AMO livrarias. Nada melhor que poder entrar naquele lugar e respirar livro!

      Excluir
  14. Nossa Kel, eu estou adorando essa sua coluna. Nos faz pensar em várias coisas que rodam no mundo literário. Bom, na minha cidade não tem livraria, apenas aquela estante separada para livros na Lojas Americanas. Só que eu confesso que eu não compro em livrarias, mas eu adoro visita-las. A maioria das vezes eu compro nessas super promoções da Submarino e Saraiva, que sai bem mais em conta do que comprar nas livrarias, que normalmente são bem mais caras. Eu moro em Minas, mas eu passo muito tempo na BA, porque minha mãe morava aqui e eu morava também. Aliás morava próximo a Itabuna e eu amava a Livraria de lá. É realmente triste não termos tantas livrarias, mas é o que você disse, isso não quer dizer que não existam leitores. Quando eu comecei a ler, eu lia só livros emprestados e ebooks, a única vez que eu ganhava livros era no meu aniversário. Só agora que eu estou comprando mais. Eu acho que o preço não é uma desculpa, mas também não é um incentivo. :D
    Adorei a postagem!
    Beijinhos
    Segredo de um Mundo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo totalmente com vc, Bru. Preço não é desculpa mas, querendo ou não, pesa na decisão de comprar um livro.

      Excluir
  15. Oi, Raquel! Tudo bem? Adorei esse texto do Papo Literário, foi uma ótima sugestão e me fez pensar em algumas coisas aqui... Moro em Minas Gerais e o número de livrarias é suficiente, pelo menos em BH, mas é verdade que há um monopólio de uma única livraria por aqui... Existem várias lojas da Livraria Leitura espalhadas em BH, o que é um tantinho desleal, não há concorrência (na realidade há, mas a Saraiva e FNAC ficam do outro lado da cidade...). Ou seja, essa história do preço ser alto é pura verdade, claro que não é um fator decisivo para quem quer ler, mas tendo uma única rede de livrarias como referência e, se essa não cooperar, a situação fica complicada. Mas esse não é nem o problema, eu nunca me toquei que poderia haver somente 4 livrarias em Roraima! :O Como assim, só quatro livrarias? Isso é complicado... Achei, pelo menso, interessante essa iniciativa do estado e, concordo com você, ela deveria ser adotada no país inteiro. Fala-se tanto que os brasileiros não leem e de como não há condições para isso, que esse falatório já cansou... Quando é vamos partir para a inciativa, ou melhor, quando é que vamos dar valor para as inciativas que já existem? Bjs
    Jéssica - http://lereincrivel.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa iniciativa da moeda é ótima. Aqui no Rio criaram um tal de vale cultura, mas foi uma coisa muito mal explicada, a empresa que tinha que solicitar ao governo, dependia da faixa etária do funcionário... enfim, uma bagunça.

      Excluir
  16. Oiie Kel, tudo bem ? :)
    É impressionante e , de uma forma, deprimente, saber que o número de livrarias em regiões não tem grandes de nosso país tem essa falta de assistência literária! Como moro em São Paulo, cidade grande, não sofro tanto com isso, apesar de que ,a grande parte de livrarias que conheço são em shoppings, mas acho revoltante que uma coisa tão boa para a cultura seja tão menosprezada. Mas, por mais que tenham mais de 800 livrarias aqui na minha cidade, nem sempre tenho dinheiro para ficar comprando livros, o que me faz recorrer a biblioteca pública aqui perto, o que me faz pensar que, em vez de aumentar o número de livrarias, não seria muito melhor aumentar o número de bibliotecas? Uma forma gratuita e com uma variedade muito maior de livros para a população!
    Adorei seu post e principalmente as pesquisas com outros blogueiros que você fez! :)
    Beijoos :*

    http://meuuniversox.blogspot.com

    ResponderExcluir
  17. Olá.
    Nossa bem que reparei.
    Em minha cidade existiam duas, nem são livrarias, são papelarias!
    Uma delas vendia mais e derrubou a outra, vende sim, mas os que não sai acabam perdendo porque vende por menos.
    Pois é, quando quero comprar um livro compro em uma loja online ou quando vou para Belo Horizonte, passo na saraiva ou americanas, depende do preço. Mas comprar pela internet na época que tudo está barato, ainda é para mim uma oferta irrecusável.

    Adorei e poxa vida, que chato, eu acho que deveria crescer mais.
    Outra coisa, a biblioteca em minha cidade existem duas, a municipal é enorme e possui grande variedades de livros, coisa que realmente não devem por a culpa, se quer ler, leiam!

    Abraços.
    Tamires C
    http://de-tudo-e-um-pouco.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  18. Oi Raquel, fico feliz que a sugestão foi bem recebida. Faz poucas semanas que conheci o blog e simplesmente adorei esta coluna.
    É um tema delicado, enquanto o número de livrarias diminui, restringindo as opções do leitor, a quantidade de livros vendidos aumenta, logo o mercado cresce. A internet sem dúvidas é o ponto chave dessa mudança. O último lançamento que comprei em loja física foi Inferno porque não quis esperar, fora isso, só compro em promoção, o que é raro por aqui.
    É claro que o fator decisivo é o preço, então, se as lojas físicas estão perdendo espaço, elas precisam se reinventar, como já fizeram outros nichos de mercado, buscar atrativos e traçar estratégias para deixarem de ser apenas um "ponto de venda". Isso é nada mais que o desabafo de um leitor que adora visitar livrarias e gostaria muito que os números fossem diferentes.
    Um projeto como o de Roraima representa uma oportunidade de educação e cidadania. Aliás entrou em vigor no 2º semestre deste ano uma lei sancionada em dezembro de 2012 que criou o Vale Cultura, proporcionando para famílias com até cinco salários mínimos um valor de R$ 50,00 para serem gastos em livros, cinema, teatro. Não estou tratando do mérito, se é um acerto ou não do Governo, estou apenas trazendo a informação.
    Ficou muito bacana o post, certamente estarei por aqui nos próximos.
    Abraços, DuLapa.
    http://www.dulapa.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Eduardo.

      Pois é, existe esse vale cultura e aqui no Rio também. Não conheço direito o projeto e até concordo que ele seja mais voltado para familias de baixa renda. Mas acho que ele poderia ser mais abrangente.

      Excluir
  19. Oi Raquel, tudo bem?
    passei aqui, li a matéria e nem tive tempo de comentar! Não achei justo participar de uma discussão tão incrivel e não deixar meu comentário!!

    Olha, me senti honrado com o convite para participar e tudo que meus colegas, blogueiros, mencionaram é verdade! É deprimente, acima de tudo, ver essas informações, uma vez que sabemos dos bens imensuráveis que traz a leitura e como é uma ótima prática de lazer, correto?!

    Percebi pelos comentários que a grande maioria prefere comprar pela internet, por ser mais barato! Então, nesse sentido, essa não é uma problemática exclusiva do nordeste, apesar de ter destaque aqui. rs

    Enfim, adorei a discussão!!
    Abraços

    Bom fim de semana
    http://geracaoleiturapontocom.blogspot.com.br/ (passa lá, depois :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Adriano! Eu que agradeço pela sua participação, simplesmente adorei tudo o que vc disse =D

      Excluir
  20. Oii, Kel!
    É uma baita verdade tudo que está escrito aí em cima. É muito deprimente uma coisa dessas para nós que somos leitores e amamos visitares livrarias repletas das coleções.
    :/

    Beijos!
    Vini - http://blogumjovemleitor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  21. Um grande problema é que a Saraiva domina o ramo, principalmente nas grandes cidades. Quando a Amazon começou a se instalar no Brasil, enfrentou muita dificuldade devido as pressões que a Saraiva fazia para que as editoras não fechassem nenhum acordo com a Amazon. Isso é ruim, pois a tendência é diminuir a concorrência, o que permite um preço mais elevado dos livros

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita!
Todos os comentários deixados aqui serão carinhosamente retribuídos.
Para isso, basta deixar o endereço do seu blog!
Mas antes de comentar, lembre-se de que esse post foi feito
com muito carinho, então, se vai comentar
"oi, fiz postagem nova, me visita" ou fazer um comentário
apenas de divulgação, este não será aceito.
Obrigada pela compreensão!
Já está seguindo o blog no Google Friends? Então não perca tempo!