Mudando de Assunto // Entrevista com a autora Lhaisa Andria

Ei, galera, tudo bem?

Como todo o sábado, hoje é dia da coluna Mudando de Assunto. Nossa entrevistada mais que especial e super simpática é a autora Lhaisa Andria, autora da série Almakia. Nesta entrevista, Lhaisa, que faz parte da Academia de Letras de Foz do Iguaçu. (chiquesa) nos conta de como surgiu a ideia do livro e ainda nos presenteia com uma notícia exclusiva =). Leiam a entrevista e descubram do que eu estou falando! =)


1) Como surgiu a ideia de escrever Almakia? Já escreveu pensando em publicá-lo?

Na verdade todo o processo começou com uma fanfic chamada Entre Doces e Dragões. Nela eu misturava o enredo de um seriado japonês (Hana Yori Dango) com o universo de Harry Potter. Quando terminei de escrever a fanfic (2006-2009), estava tão contente com ela que queria ir além desse universo da escrita de fãs. Ainda, eu tinha recebido vários comentários para seguir esse caminho mesmo e, afinal, por que não dar um passo além? xD Mas naquela época eu não pensava em publicar, continuava sendo a mesma brincadeira das fanfics. O mundo editorial era algo bem distante de ser alcançado (sim, mesmo pesquisando na internet até 2011 era bem complicado). Tanto que os primeiros capítulos do livro tem várias coisas em comum com a fanfic. Foi a partir do terceiro capítulo que eu pensei que poderia dar certo, de verdade, que teria futuro nem que fosse daqui uns 20 anos. Foi então que a história cresceu e ganhou toda a estrutura que tem agora. Sobre publicar, até você não ter o livro impresso na sua mão tudo é bem irreal xD Foi 2011 inteiro procurando editoras, enviando arquivos, tentando. Para 2012 eu já tinha até uma lista de editoras que só aceitavam originais impressos e mandaria pelo menos um impresso por mês. Foi nos últimos dias de 2011 que a Modo entrou em canto convidado para publicação xD Paula Vendramini e eu terminamos o ano comemorando as nossas conquistas, mas só contei para família e pessoas conhecidas quase no final de janeiro, depois de ter ouvido a voz do editor falando pelo telefone, aí comecei a acreditar que era real xD

2) Almakia tem até mesmo um mapa do domínio. Foi fácil estruturar o território na sua cabeça? Quais foram as suas inspirações?

Estrutura na cabeça definitivamente não xD Até ter toda a geografia de Almakia fixa na minha mente demorou bastante, e até então o domínio era um monte de anotações em um caderno. Usei como base os próprios estados do Paraná e Santa Catarina, para não me perder em questões de distância. Eu sabia que teriam deslocamentos na história e que não seria fácil chegar de um lugar ao outro. Então, precisava de um referencial nesse sentido, e pensar em estados que conheço ajudou bastante. 
Sim, existe um mapa de Almakia! E ele estará no livro 2! \o/ Até o final da escrita do primeiro livro eu tinha um mapa-ovo-frito (imagem) para auxiliar. Mas, depois que ele foi lançado, um leitor de uma cidade vizinha entrou em contato comigo e disse que tinha gostado da história e se eu não queria um mapa. Claro que aceitei na hora xD Hoje ele é meu colega na ALEFI, logo vai publicar seu próprio livro de fantasia e também já fez os mapas da série Devoy (Paula Vendramini)  e da saga Os Tronos  da Luz (Cristina Aguiar). 

3) Seus personagens são inspirados em pessoas ao seu redor? Quem?

De todos os personagens, a Garo-lin é a única que eu posso dizer que foi baseada em alguém (que existe xD). O senso de justiça dela veio de uma amiga minha, que tem a história parecia com a do seriado. Os outros, principalmente os Dragões, mantiveram um pouco do que eles eram na fanfic e foram moldados para o contexto em que estão inseridos nos livros. Na hora de escrever, respeito muito as personalidades, as formas de pensar de cada um e de onde eles vieram, o que garante reações únicas. No começo era difícil ter controle disso, já que são muitos personagens que não são baseados em ninguém, mas hoje é mais fácil. Usar alguém como base ajuda no início da escrita. Ter personagens que não são baseados em ninguém te dá muito mais liberdade de desenvolvimento. Tem vezes em que eu escrevo algo, fico olhando e penso não, ele não falaria isso, falaria isso. Perceber essas nuances faz toda a diferença na história, porque eu deixo de manipular os acontecimentos para o que quero e eles passam a ser as consequências das tomadas de decisões dos próprios personagens xD O final do livro 1, em que muita gente se revolta, é um bom exemplo disso: não tinha sido planejado, mas chegou naquele momento. Lembro até hoje que terminei de escrever a cena e fui quase chorando falar com a Paula (Vendramini) pelo chat dizendo Eu fiz. Estou triste e vou me jogar de uma ponte! Mas, foi necessário, a história pediu aquilo xD

4) Almakia é apenas o primeiro dos livros da série. Quando você começou a escrevê-lo, já tinha a ideia de dividir a história ou isto foi visto no decorrer da produção? 

No decorrer. Era para ser um livro só, mas surgiram tantas possibilidades, tanta coisa por trás de tudo, que eu não conseguiria fechar em apenas um. Agora pretendo fechar em 3 livros esse arco da história. Nada me impede de continuar usando o universo de Almakia, antes, depois e durante a saga da Garo-lin e os Dragões. A partir do livro 2 vocês vão começar a entender a dimensão de tudo, já que o livro 1 é apenas a introdução do mundo, da história e dos personagens xD O mais difícil era criar o mundo. Com ele criado, por que não contar histórias dentro dele? xD

5) Os demais livros já tem previsão de lançamento? O que você pode adiantar sobre o segundo livro da série?

Segundo livro já está terminado desde o começo de 2013, mas o terceiro não tem previsão ainda.  Estou me dedicando a escrita de um projeto em conjunto com a Paula Vendramini, então nossas séries estão em standby por hora (calma, não escrever não quer dizer que não estamos pensando nelas xD). 
Sobre o 2, o processo de colocar ele em livro é demorado: não só por entrar na fila de publicação da minha editora, mas por eu ser mais ciente de tudo o que a publicação envolve. Fazer com tempo é a única forma de evitar os mesmos problemas que ocorreram no primeiro livro. O primeiro teve 3 meses desde o ‘sim’ da editora até ele ser lançado, e até hoje enfrento as consequências de algo feito às pressas :D
Sobre a história no segundo livro, o que eu posso dizer é que vamos conhecer muito mais dos personagens. Afinal, antes de querer mudar o mundo temos que mudar a nós mesmos. Os Dragões caíram de uma maneira que não podem mais contar com os seus títulos contra Almakia, e eles precisam descobrir muito mais sobre suas próprias forças e fraquezas para continuar. E, é claro, personagens novos, personagens não tão novos e os pedaços de um todo sendo juntados xD Gosto muito desse livro 2. Ao contrário do primeiro, ele não foi escrito na tentativa, mas no acerto. Claro que a minha opinião não vale nada já que o trabalho é meu, mas o pessoal que já leu gostou bastante e acho que a opinião deles é que deve ser levada em conta xD

6) Como decidiu ser escritora?

Foi um processo. Sempre gostei de histórias, desde muito pequena, mas nunca pensei nisso como uma carreira. Era algo muito impossível para a minha realidade: quando eu crescer vou trabalhar fazendo filmes para a Disney (sim, devo ter escrito isso em alguma redação de escolinha xD). Então, até o ensino médio eu tinha bem certo que seria bióloga. Foi ao ler Harry Potter, conhecer a Paula Vendramini, formarmos a LAP e ver que o que escrevíamos fazia as pessoas sorrirem que pensei: por que não? Claro que ser escritora continuava não sendo uma opção para pagar as contas todo o mês, então fiz faculdade de Letras e hoje trabalho como redatora em uma agência de comunicação. Ainda quero viver só de escrever livros. Mesmo que todo o meu trabalho seja escrever, hoje o meu maior problema com a produção de livros é tempo para poder estar 100% focada na história xD Projetos tenho aos montes, tempo para me dedicar a eles é que é complicado xD

7) Você faz parte da Academia de Letras de Foz do Iguaçu. Pode nos contar um pouco de como foi chegar até a ALEFI?

Conheci a ALEFI logo no início dela, lá em 2004, em um evento na minha universidade, no meu segundo ano. Mas, foi só em 2011 que entrei como membro. Foi até engraçado: eu estava participando de uma turma de produção de textos dramáticos, e no ponto de ônibus, conversando com um colega sobre livros, ele me informou que a Academia estava voltando a ativa e convocando os escritores da cidade. Fui na primeira reunião, já fiquei com o cargo de responsável por eventos e foi indo. Pelo pessoal perceber que me dedico em fazer as coisas acontecerem, apesar de sair correndo quando o assunto é burocracia, fui eleita a presidente esse ano. O divertido é que sou a mais nova no grupo, e quando me apresentam como presidente viro até senhora xD Hoje a ALEFI é responsável por um Ponto de Cultura da cidade e com isso temos estrutura para promover atividades voltadas para a literatura e leitura xD Não ficamos apenas nos encontros de escritores, mas nas ações na comunidade, o que faz todo a diferença xD 

8) Qual é a maior dificuldade para um escritor atualmente?

Muitos podem responder que a dificuldade é encontrar editoras, o mercado que não ajuda, a falta de reconhecimento para os nacionais. Minha opinião é que isso são consequências. Acho que o problema não é o geral de ser escritor e sim o específico de como quero ser/sou escritor. 
O panorama da literatura de hoje no Brasil está diferente do que era há alguns anos atrás. Temos muito mais leitores, temos muito mais pessoas dispostas a comprar livros e temos muito mais reconhecimento do mercado da ficção nacional (não apenas aquela considerada literária pela crítica, mas a que os leitores popularmente consomem). Claro que ainda não é o ideal, mas é um espaço pelo qual vale a pena lutar xD O grande problema está na forma que as pessoas pensam em estar nesse espaço. Simplesmente ter um livro publicado não te faz ser um escritor. Ter uma história que valha o tempo de leitura do seu leitor, que ele passe pela última página com a impressão de que acrescentou é muito mais difícil do que ter um livro impresso. Defendo que a obra deve ser mais importante que o escritor. Você se vender como escritor pode ter repercussão no agora, mas e no futuro? O livro sobrevive sem você? Nem todos pensam assim, e aí o problema fica com as editoras, o mercado, a falta de reconhecimento. Ex: quero ser médico! Para ganhar bem ou para salvar vidas? Pode ser uma comparação destoante, mas o princípio de pensamento é o mesmo xD

9) Deixe uma mensagem para aqueles que querem escrever um livro:
Não foque em escrever bem/certo e não escreva uma história somente para você xD Escreva uma história que, mesmo sendo sua, o faça chorar e sorrir xD Pense que, ao ler, o seu leitor vai dar um tempo da vida dele para você. Então, faça disso uma troca equivalente +1 xD (sim, mesmo que venha de mangás, alguns ensinamentos são para a vida \o/) 


E para fechar a nossa entrevista, deixo vocês com a capa mais que exclusiva do livro dois de Almakia!!! Simplesmente LINDA e bem trabalhada! Achei mais bonita e mais misteriosa que a capa do primeiro livro *-* Babando horrores aqui.





É isso, gente. Nos vemos amanhã com a coluna Top Sunday ;)









13 comentários:

  1. Muito boa a entrevista meu amor, gostei muito! As perguntas foram muito bem elaboradas e ajudaram a entender um pouco mais sobre a autora!

    ResponderExcluir
  2. Oii Raquel, tudo bem?
    Eu não conhecia a autora, mas a partir dessa entrevista eu fiquei morrendo de vontade de ler o livro dela. A história parece ser bem interessante e no estilo cheio de magia do jeito que eu gosto. Eu adoro ver entrevistas de autores falando como foi a decisão de escrever o primeiro livro, porque bem, eu tb tenho minhas ideias, e isso me estimula a tentar sabe ^^'
    Beijinhos
    Segredo de um Mundo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza. A história parece ser uma super fantasia. Adorei que a autora escrevia fanfics, eu tb era desse mundo huahuahua

      Excluir
  3. Muito interessante à entrevista, eu não conhecia o livro nem a autora, mas fiquei curiosa para conhecer a trama, além disso as capas são lindas.

    *bye*

    http://loucaporromances.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A capa é mesmo divina, né? Achei a capa do segundo livro mais bonita

      Excluir
  4. Adoro conhecer novos escritores, ela é muito simpática e o livro parece ótimo! Realmente a capa ficou lindíssima...

    Bjs, Isabela.
    www.universodosleitores.com

    ResponderExcluir
  5. Adorei a autora, super simpática e com respostas bem inteligentes. Adorei em especial a resposta dela para a pergunta número 8. Muito legal a entrevista!

    memorias-de-leitura.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. Oie meninas =)
    Curti a entrevista, não conhecia a escritora nem o trabalho dela, fiquei curiosa, espero ter a oportunidade de está lendo, gostei de sabe que as ideias foram tomando a ponto do que seria um livro, virou uma trilogia, e que bacana a parte que tem um mapa próprio, quero ver isso!
    Beliscões carinhosos da Máh ♥
    Cantinho da Máh
    @Maaria_Silvana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu tb achei essa história da capa o máximo. É como se aquele mundo se tornasse mais real, né?

      Excluir
  7. Olá Raquel,
    Não conhecia bem a escritora e seus livros, achei interessante e espero um dia poder ler algum livro dela.....abraços.


    devoradordeletras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  8. Comprei o E-book pela Amazon por indicação de uma amiga e amei o livro , estou louca para por as mãos no segundo, adorei a entrevista, esclareceu muito pontos interrogativos em minha opinião, muito obrigada.

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita!
Todos os comentários deixados aqui serão carinhosamente retribuídos.
Para isso, basta deixar o endereço do seu blog!
Mas antes de comentar, lembre-se de que esse post foi feito
com muito carinho, então, se vai comentar
"oi, fiz postagem nova, me visita" ou fazer um comentário
apenas de divulgação, este não será aceito.
Obrigada pela compreensão!
Já está seguindo o blog no Google Friends? Então não perca tempo!