# Papo Literário // Literatura nacional

Oiee, gente, tudo bem?

Comigo tá tudo certinho. Hoje temos mais uma edição do Papo Literário. Desta vez vamos relembrar o dia Mundial do Escritor, comemorado no último dia 13 de outubro. Para que a data não passe em branco aqui no blog - ainda mais porque sem os escritores, não haveriam livros - vamos conversar um pouco com duas parceiras aqui do blog para saber de suas motivações e inspirações na hora de escrever =)

Segundo o dicionário, escritor é o autor de escritos literários, científicos ou didáticos. Em uma definição mais completa o escritor é aquele que se expressa através da arte da escrita contribuindo, assim, para a literatura. 

E quando falamos de literatura nacional, quais nomes vem na cabeça de vocês? Alguns citariam os clássicos, Machado de Assis, Clarice Lispector, Monteiro Lobato. Mas a literatura nacional se renova a cada segundo. Uma nova geração de autores jovens vem tomando conta do mercado e caindo no gosto dos blogueiros. 

Danielle Nhasser tem 21 anos e é autora do livro Amor és Real, publicado pela APED. Para ela, escrever um livro foi algo que surgiu naturalmente. Apesar da poesia ser uma paixão de adolescência, a autora resolveu se dedicar a algo diferente. O resultado foi um romance super fofo finalizado em poucos dias.

- Na verdade, sempre amei ler e escrever poesias na adolescência era uma forma de me expressar, pensando naquele primeiro amor.  Aos 19 anos resolvi deixar as poesias de lado (que eram de certa forma, brincadeira) para me aventurar num romance. "Amor, és real" nasceu em poucos dias e surpresa foi vê-lo tão "livro", ele não era um simples texto e, sim, algo totalmente publicável. Me animei quando meu tio leu e incentivou enviar para as editoras.  Me animei ainda mais quando de três dessas  responderam com "Sim". 

Sobre a inspiração para escrever, Dani admite que baseou-se em sua vida pessoal:

- Naquela fase estava deprimida com mais uma relacionamento meu que havia dado errado e eu encarava minhas amigas todas felizes com seus respectivos parceiros e meus ex também dando certo com outras garotas. Olhei no espelho e pensei: "O problema está comigo?". "Amor existe para todo mundo ou só alguns são sortudos com o bilhete premiado?". E com essas questões, aquele desejo de se aventurar em um romance, nasceu a Mariana uma jovem que sofreu muito por amor e quando esse realmente chega em sua vida, ela está tão desacreditada que Rodrigo sofre até convencê-la que ele é diferente, contou.

A escritora Bhya Cortes, autora de O Outro Lado da Memória, também passou por um processo semelhante. A decisão de escrever um livro surgiu da necessidade de fazer algo que se sentisse bem:

- Eu sempre escrevi, desde criança. Já havia escrito uns livros antes, mas a ideia deste veio com a vontade de fazer algo em que eu me sentisse realizada, afirmou.

Porém, nem tudo são flores e, como em toda a profissão, é necessário muita persistência e dedicação para alcançar o reconhecimento. Ao questionar às autoras se elas acreditam que ainda haja um certo "preconceito" com a literatura nacional, a resposta foi "sim".

- Com certeza ainda existe. E acredito que sempre existirá. Já teve leitor que disse: "Comprei seu livro em tal site porque gostei da capa e da sinopse, se soubesse que era de uma autora nacional não teria comprado", disse Bhya Cortes.

- Existe preconceito sim, talvez não muito quanto ontem, entretanto não é algo que devemos comemorar que se findou. O engraçado que noto com meu blog, que muitos leitores tem esse preconceito, mas jamais experimentou ler um nacional da atualidade. Muitos acreditam que nacionais são aqueles que a escola nos obrigava a ler, aquela leitura cansativa e narrativa de época que deparamos com palavras que nem sabemos o que significa. O que nós autores e leitores viciados precisamos tomar consciência é que o boca-boca tem muito efeito em nosso meio. Se eu li "A Culpa é das Estrelas", por exemplo, eu grito em alto e bom som, mas se leio "Amor, és real" e gostei dele não indico aos meus amigos por que eles não conhecem o autor. Claro que eles não conhecem, você não o apresentou. São pequenos atos que transformará nossa literatura valorizada e reconhecida não só aqui, mas no mundo todo, desabafou Dani Nhasser.

Mas nada de desanimar, galera. O mercado editorial é bastante competitivo, mas ele está se valorizando cada vez mais. Quando vamos nas livrarias, vemos aquela variedade enorme de livros, sinal de que existe muita gente boa e espaço para todos os gêneros. O importante é não desistir dos sonhos e correr atrás. Por isso nossas entrevistadas deixaram uma mensagem bem legal para aqueles que querem escrever um livro ou querem publicar, mas falta aquele empurrãozinho, sabe? =P.

- O que sempre digo é para nunca desistir. Por mais que as pessoas digam que é impossível, por mais que parece realmente difícil, precisamos sonhar. Não existe nada no mundo mais gratificante do que ter nas mãos um sonho realizado. E esse sonho só poderá acontecer se você tentar. Não desista nunca, motivou Bhya.

Daniele Nhasser lembrou que é importante saber diferenciar as criticas construtivas das críticas "maldosas":

- Aparecerão pessoas de todos os tipos e só ouça os de bom coração. Uma dica: Crítica existe de duas maneiras e você terá que aprender a diferenciá-la. Existe a crítica dada que te fará crescer,  pontos citados que corrigidos você só terá a ganhar. E existe a crítica maldosa. Maldosa pois é movida por inveja. Não conseguiu fazer o que você fez e quer fazê-lo se sentir mal, diminuído ou peixinho fora d'água. Se souber diferenciar aquelas pessoas que acredita em ti, emprestando suas experiências daquelas que só querem que você desista no meio do caminho para não alcançar a vitória. Você terá sucesso.  

Bom, então é isso, gente. Espero que tenham gostado do nosso papo de hoje =) E que ele tenha inspirado muitos de vocês!





15 comentários:

  1. A Dani é super fofa, talentosa e simpática! Achei muito interessante o que ela falou sobre o preconceito, infelizmente brasileiro sempre dá preferência pra tudo quanto é coisa que vem do estrangeiro, músicas, livros...enfim, mas acho que tá na hora de acabarmos com isso! Até pq nossos escritores brasileirinhos da atualidade estão crescendo cada vez mais e os livros estão cada dia melhores!

    beijos,
    http://www.misssainha.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Leeh, falou tudo. Infelizmente na literatura ainda existe isso. Eu mesma era assim no meu período de colégio. Posso dizer que só agora mesmo eu to tendo uma visão mais ampla do quanto a Literatura Nacional é maravilhosa

      Excluir
  2. Olá Raquel!
    Confesso que eu tinha um certo preconceito pela literatura nacional. E foi justamente por conta daqueles livros que fomos obrigados a ler na escola sabe? Os chamados clássicos.
    Mas esse ano foi um ano de grandes revelações para mim. Conheci algumas autoras nacionais (pelos seus livros, não pessoalmente infelizmente heheh) e confesso que em surpreenderam muito!!! Uma delas foi Carol Sabar, Carina Rissi, Nat Bespaloff... E por aí vai. E confesso que todas me cativaram de forma magica. Pensei que só pudesse ver esse tipo de livros láaa nos internacionais, mas fiquei muito orgulhosa de poder ter isso também aqui pertinho de mim.
    Adorei o post.

    Beijos
    Jéssica
    http://www.bestherapy.net/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa, esses clássicos eu continuo detestando até hoje. huahuahuahua Não gosto, acho a linguagem muito ultrapassada, salvo algumas exceções. Tive uma experiencia parecida com a sua quanto aos novos autores. Eles são mesmo o máximo

      Excluir
  3. Raquel amei participar desse bate papo . Obrigada pelo convite .
    Bhya é uma fofa e super talentosa , um privilégio dividir espaço com ela .
    Beijos a todos seus seguidores . Amo seu blog !!

    Daniele Nhasser - autora de Amor,és real

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Dani!!! Eu que te agradeço por nos dar a honra de participar da coluna aqui no blog. Muito obrigada

      Excluir
  4. Eu não conhecia a autora rs.
    Acho super importante valorizar os livros nacionais, são tantos títulos incríveis que temos de autores que estão tão pertinho de nós!
    Só é uma pena que a divulgação seja minima! Eu mesmo só passei a conhecer vários autores depois que criei o psicose da leitura :(

    Beiijos,
    Paula
    http://psicosedaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza, Paula. Temos autores nacionais feras! E as vezes nem sabemos

      Excluir
  5. Esse ano eu comecei a ler livros nacionais contemporâneos e tenho tido gratas surpresas.
    Temos que apoiar e ajudar como podemos: comprando, lendo e fazendo resenhas. Incentivar a leitura no Brasil também é incentivar nossos autores.
    ;)
    Beijos
    http://livrosyviagens.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza. Acho que comprando e divulgando são ótimos caminhos de incentivar a leitura nacional

      Excluir
  6. Super adoro os livros nacionais , a quem fale que eles não bons, eu discordo tive experiencia ótimas até hoje e super recomendo!!! A Dani e a Bhya são ótimas!
    bjkas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. eu também tive ótimas experiencias com os nacionais, Dani!

      Excluir
  7. Ótimo post mo, realmente é um grande desafio seguir carreira aqui no Brasil. Mas tenho certeza que com esforço e talento é possível, estar fazendo algo que gosta também ajuda bastante.

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita!
Todos os comentários deixados aqui serão carinhosamente retribuídos.
Para isso, basta deixar o endereço do seu blog!
Mas antes de comentar, lembre-se de que esse post foi feito
com muito carinho, então, se vai comentar
"oi, fiz postagem nova, me visita" ou fazer um comentário
apenas de divulgação, este não será aceito.
Obrigada pela compreensão!
Já está seguindo o blog no Google Friends? Então não perca tempo!