A menina que roubava livros: filme x livro

E aí, galera, tudo bem

Ahh a dor e a delicia de ver nosso livro queridinho virar filme. A gente morre de amores, mas também se treme de medo de excluírem aquela cena preferida, de mudarem as características dos personagens...  Claro que como fãs a gente sabe que não dá para colocar tudo em 2h de filme, mas bem que gostaríamos, né?  



Quando descobri que "A menina que roubava livros" ia virar filme, a minha primeira preocupação foi com a morte, por mais estranho que isso possa soar, rs. Para mim, a narrativa em terceira pessoa feita pela morte é um dos diferenciais da história (afinal foi por isso que comprei o livro para começo de conversa) e tive medo do filme ficar descaracterizado caso eles optassem por ignorar essa parte. Mas eu amei o cuidado em manter a nossa narradora mórbida, apesar de no filme a voz ser masculina quando é descrita como feminina.

No geral, "A menina que roubava livros" funciona muito bem como filme, os atores são excelentes e exatamente como eu imaginava. É verdade que o livro é mais cruel nas descrições da Segunda Guerra e em como esse momento afetou as pessoas. Ler as partes em que os vizinhos precisam se esconder dos bombardeios me deixava claustrofóbica. No filme é menos denso. Ele também anemiza o temperamento de Liesel, principalmente quando ela chega ao seu novo lar. Mas não são pontos que me incomodaram.

O que mais senti falta foi de um melhor desenvolvimento da relação entre Liesel e a mulher do prefeito. A relação delas vai crescendo gradativamente ao longo do livro e isso é muito importante no final. Outro ponto é a forma como Max aparece na história, achei que ficou um pouco jogado. 

No mais, o filme é muito bom e o final me deixou tão emocionada quanto no livro. 

Especial A menina que roubava livros

Oi, galera, tudo bem?

A gente se ausenta por um mês, mas quando volta já lança logo um especial! E essa semana vamos falar de "A menina que roubava livros", o primeiro livro da minha coleção!



E eu preciso confessar que meu amor pela Liesel começou beeeem lá no inicio. "A menina que roubava livros" foi publicado no Brasil há 11 anos. Mas acredita que eu me lembro exatamente de quando ele foi lançado? Isso porque o livro estava em destaque na livraria e a capa me chamou a atenção o suficiente para me fazer ler a sinopse e depois a orelha. Essa foi uma das poucas vezes em que eu me senti tão interessada em uma obra que eu nunca tinha ouvido falar. Normalmente já chego na livraria com um objetivo e não compro livro sem recomendação. 

A verdade é que eu achei a sinopse meio mórbida. Aliás, eu sei o texto da contracapa de cabeça "Quando a morte conta uma história, você tem que parar para ler".  Li a orelha e decidi comprar com o pouco do dinheiro que tinha restado da minha mesada!

Li "A menina que roubava livros" pela primeira vez aos 17 anos. Não poderia ter amado mais! Estava na época de vestibular, então o livro conseguiu me distrair de toda a pressão de passar em uma faculdade. Naquela época eu não conseguia ler muito por causa do ritmo de estudos.  Reli aos 25 e percebi que eu tinha me engano. Eu podia, sim, amar ainda mais "A menina que roubava livros". Ao voltar para o universo de Liesel, eu pude assimilar melhor a história, absorver mais detalhes.

E você, já leu "A menina que roubava livros"?  Conta aí a sua experiência

Lançamento do livro "Héracles e Tórr"


Se você é do Rio de Janeiro, você não pode perder o lançamento de “Héracles e Tórr – o legado do trovão e o trono unívoco”, do autor M.K Greece, amanhã (29/09) no Tijuca Tênis Clube. O livro é repleto de aventura, onde os heróis terão que viajar para outros mundos, até entre as tramas do tempo, para encontrar deuses e outros heróis que possam ajudá-los a superar o que lhes parece ser impossível.



Programação:
19:30h - abertura do evento
20h - show com Lica Tito e Carol Faria.
20:30h - bate papo com o autor M.K. Greece
21h - sessão de autógrafos e buffet

Informações:
Local: Tijuca Tênis Clube - Rua Conde de Bonfim, 451
Teatro Henriqueta Brieba
Horário: 19:30h
Evento gratuito
Classificação: 15 anos
Preço de capa; R$ 35,00

Inscrições abertas para nova antologia da The Books Editora

Sempre quis escrever mas não sabe por onde começar? Talvez o tema dessa antologia vá te inspirar, principalmente se você gosta de animais!

A The Books Editora, organizada pela Raquel Machado e Simone Soares, está selecionando textos para a sua nova antologia. Se você ficou interessado, preste atenção nas regras abaixo:

Informações básicas:
Data limite inscrição: 10/10/18
Número de páginas: Mínimo 8 Máximo 12
Taxa: R$200,00 (o autor receberá 5 livros)



Maiores informações podem ser vistas no edital:
Clique aqui

Participe do grupo no facebook:
Grupo do Facebook

Qualquer dúvida podem enviar e-mail para: antologiamascotes@gmail.com.

Resenha | No Tempo dos Feiticeiros

Oi gente, aqui é Fernanda

Hoje eu trouxe pra vocês a resenha de um livro super legal, da mesma autora de Como treinar o seu dragão.

Título: No tempo dos feiticeiros
Autor: Cressida Cowell
Editora: Intrínseca
Páginas: 400
Livro cedido em parceria com a editora




No Tempo dos Feiticeiros mostra a guerra entre duas tribos: os feiticeiros, que eram mágicos, e os guerreiros, que não eram. Esta é a história de Xar, um menino feiticeiro cujos poderes ainda não despertaram, e de Desejo, uma menina guerreira cujo maior sonho é ser reconhecida pela mãe. Xar e Desejo foram ensinados a odiar um ao outro, mas terão que superar as diferenças e enfrentar um mal que pode destruir seus lares.


De um lado vamos conhecer Xar, filho caçula do Rei Encanzo, o grande líder dos feiticeiros. Xar vem enfrentando um grande problema, sua magia ainda não despertou e ele se sente muito inferior em relação aos outros do grupo. Xar resolve que precisa caçar uma bruxa, para que então possa roubar seus poderes, mas o maior problema é que bruxas estão praticamente extintas, será quase impossível achar uma, só que ele não está disposto a desistir. É nessa busca que ele vai acabar se deparando com Desejo. 


Desejo é filha da Rainha Sicórax, que comanda o grupo dos guerreiros. Desejo tem que lidar constantemente com o fato de que sua mãe a acha fraca para uma guerreira. A rainha é uma mulher muito rígida e gosta de apontar os defeitos na filha, vive criticando-a. Desejo precisa do reconhecimento da mãe, isso é tudo o que ela mais quer e nada vai impedi-la da conseguir. 

Xar e Desejo são historicamente de tribos inimigas, mas os dois possuem um mesmo objetivo e vão enfrentar todos os perigos juntos. 

No tempo dos feiticeiros é um livro maravilhoso, não só em sua história, mas também em seu projeto gráfico, é repleto de ilustrações feita pela própria Cressida Cowell, o que só deixou o livro ainda mais interativo e prazeroso. Foi uma leitura extremamente rápida, as quatrocentas páginas praticamente voaram diante dos meus olhos, quando eu percebi já estava chegando ao final.

A narrativa da Cressida esta ainda melhor do na série Como treinar o seu dragão. Vale ressaltar que esse é um livro infanto-juvenil, então é uma história criada para esse público, você tem que ter isso em mente antes de ler. Não é uma fantasia madura, mas é um livro que nos ensina boas lições. Lições sobre como é importante manter nossa essência, aceitar quem somos, independente de opiniões alheias, sobre a busca constante por reconhecimento.

Adorei toda a ambientação criada pela autora, o enredo muito original e os personagens divertidos.  Foi impossível seguras as gargalhadas. Me lembrou o sucesso que foi a outra série e tenho certeza que essa também será. É impossível não se encantar por Xar e Desejo.

Estou curiosa e ansiosa pela continuação. Foi uma leitura ótima, surpreendente e altamente recomendável para qualquer público.