24 junho 2016

# Resenha 355 // Sorria, você está sendo iluminado

Olá bookaholics, tudo bem?

Hoje vamos falar de um livro que é pura fofura e amor. "Sorria, você está sendo iluminado" é um daqueles livros pra você se inspirar pela manhã tomando um delicioso café.

Título: Sorria, você está sendo iluminado
Autor: Felipe Guga
Páginas: 96
Editora: Galera Record
Livro cedido em parceria com a editora

Sinopse:"Um convite ao leitor para visões de mundo mais profundas, ideias jovens e novas atitudes. Como descreveu o jornal O Globo, “foi um coração partido, esse amargo combustível, que empurrou Felipe Guga em direção a uma série de desenhos que fazem sucesso on-line” – já são quase 100 mil seguidores no Instagram. De Osho a Gandhi, de Jesus a Neil Young. O trabalho do artista se inspira em aforismos diversos, e as frases motivacionais se misturam a desenhos modernos e contestadores para espalhar luz, amor e gratidão. Guga traz consigo o dom de acender a esperança nos corações dos que o seguem, mas também sabe adotar um tom provocador, daquele que nos tira da zona de conforto do dia a dia e faz pensar. Sua arte, exposta ao público, vai além do contemplativo. Um ótimo presente, para os queridos ou para si mesmo, este é um daqueles livros que provoca emoções e faz refletir sobre o poder da fé. Que traduz sentimentos em cores e nos faz sorrir, quando confrontados à iluminação da arte."

Este livro que pode ser lido em 5 minutos, se dedica a reunir ilustrações maravilhosas do Felipe Goga seguidas de frases inspiradoras e poéticas. Cada página passa uma mensagem ao leitor em pouquíssimas palavras e mil e uma cores. As ilustrações despojadas e com traço moderno enchem de sentido as frases que as acompanham.

"Sorria, você está sendo iluminado" não é um livro que conte uma história, mas sim um conjunto de ilustrações e frases curtas, dos mais variados autores (há até algumas citações bíblicas), que tem por objetivo mostrar que por mais que sua vida pareça ruim, você tem a vida que muitos sonham em ter e por esse único motivo, você deve sorrir e continuar a correr atrás dos seus sonhos.

O livro é delicado. Uma verdadeira obra de arte. Enfim, esse é um daqueles livros maravilhosos que não depende da opinião de terceiros, é necessário tê-lo para entendê-lo. Recomendo apenas que você sinta-o por si mesmo. Tenho certeza que não irá se arrepender.


























03 junho 2016

# Resenha 360 // A Profecia do Pássaro de Fogo



Título: A Profecia do Pássaro de Fogo // Girl at Midnight
Autora: Melissa Grey
Editora: Seguinte
Páginas: 355
Livro cedido em parceria com a editora

Sinopse:No subterrâneo de lugares onde é muito difícil chegar, duas antigas raças travam uma guerra milenar: os Avicen, pessoas com penas no lugar de cabelos e pelos; e os Drakharin, que têm escamas sobre a pele. Ambas possuem magia correndo nas veias, o que os esconde de todos os humanos menos de uma adolescente chamada Echo. Echo conheceu os Avicen quando era criança, e desde então eles são sua única família. A pedido de sua tutora, a garota começa uma jornada em busca do pássaro de fogo, uma entidade mítica que, segundo uma velha profecia, é a única forma de acabar com a guerra de vez. Mas Echo precisa encontrar o pássaro antes dos Drakharin, ou então os Avicen podem desaparecer para sempre.

Echo cresceu sabendo da existência dos Avicen, seres com penas no lugar de pelos e cabelos, dos Drakharin, seres com escamas sobre a pele, e da guerra que existe entre eles há séculos. Quando criança, Echo foi "adotada" por A Ala, uma Avicen, mas nunca sentiu que fazia realmente parte deles... eles a aceitavam, mas não quer dizer que gostavam dela.

Desde antes de A Ala a encontrar, Echo já era uma ladra, e certo dia ela rouba de um feiticeiro uma caixinha de música para dar de presente À Ala, que encontra nela uma pista do paradeiro do misterioso Pássaro de Fogo e dá a Echo a missão de encontrá-lo, já que apenas ela pode ir a qualquer lugar sem levantar suspeitas dos dois povos.

Do outro lado da história, está Caius, o Príncipe Dragão, que acredita fielmente que o Pássaro de Fogo é a resposta para acabar com a guerra, mas que acaba perdendo seu título quando sua irmã, uma Drakharin sanguinária que acredita que a extinção dos Avicen é a resposta, o toma dele.

Unidos pelo mesmo propósito, Echo e Caius partem juntos em busca do Pássaro de Fogo, partindo numa aventura na qual Echo descobrirá mais sobre os dois povos e principalmente sobre si mesma e precisará confiar no Drakharin e esquecer a rivalidade entre os povos por um bem maior: a paz entre eles.

Logo de cara, eu já sabia que ia gostar de A Profecia do Pássaro de Fogo. Desde a capa (linda <3), até a premissa do livro, que é incrível, eu já imaginava que iria me encantar com o mundo mágico criado por Melissa Grey, e foi o que aconteceu.

Primeiramente eu gostaria de chamar a atenção para os personagens, que são tipo MUITO cativantes. Echo é aquela garota durona, de língua solta e com bastante coragem. Já Caius é um governante digno, um amigo incrível e é uma pessoa encantadora. EU AMEI OS DOIS DEMAIS! Os personagens secundários são tão cativantes quanto e todos tem personalidades fortes e marcantes.

A história é super criativa e bem desenvolvida; A Profecia do Pássaro de Fogo (The Girl At Midnight, no original) é um urban fantasy incrível, que consegue mesclar magia e realidade de forma impecável e conduzir uma aventura grandiosa. O livro me prendeu do início ao fim e eu o devorei super rápido.

Como eu comentei, eu já esperava gostar do livro, só não esperava gostar TANTO. Melissa Grey sem dúvida conseguiu me encantar e eu não vejo a hora de ler a continuação, principalmente depois do final de tirar o fôlego. Eu super recomendo! LEIAM!


31 maio 2016

# Papo Literário // O drama das séries

Oi pessoal, tudo bem?

Ô assunto para ter polêmica é a questão das séries. Porque, realmente, é chato ter que esperar tanto tempo para poder ler a continuação. Muitas vezes o autor sequer começou a escrever a sequencia e já tem aquele mala no facebook da editora querendo saber quando que vai sair.





Sei exatamente como você se sente, porque eu sou uma pessoa totalmente ansiosa e esperar para ler minha série preferida é realmente uma droga. Às vezes o livro terminou naqueeeela parte crítica e você daria o mundo para saber o que vem a seguir. 

Mas, vim aqui para explicar o que se passa neste gap entre um livro e outro da série. 

Tirando o fato de que, muitas vezes o autor ainda está escrevendo a sequencia quando o anterior é lançado, é preciso levar em consideração que o livro precisa ser traduzido, revisado, diagramado, impresso... e isso, amigos, não dá para fazer em um mês.

Claro que algumas exceções acontecem. Mas, na maioria das vezes, as editoras precisam aguardar o recebimento do material que vem de fora. É preciso começar a tradução. E muitas traduções, principalmente de livros de fantasia época, são bem chatinhas de serem feitas. É preciso muito cuidado para não sair muito da ideia original. 

Feito isso, o livro passa para a revisão, afinal ninguém gosta de receber um exemplar cheio de erro de português. Em seguida vem a diagramação,  A capa é feita em paralelo a todo este processo. Com tudo isto em mãos, o livro é levado para a impressão.

E aí fica a pergunta: dá para fazer isto tudo (sem levar em consideração que a editora não publica APENAS o seu livro preferido) em um mês?


Pois é, gente, não dá! A espera dói, a espera machuca mas, no final, acaba valendo a pena. E, acreditem, não é vantagem nenhuma para a editora demorar tanto assim na publicação de uma série de sucesso. Mas, às vezes é preciso olhar além do comportamento de consumidor e pensar em todo o processo para que aquele produto lindo e divino chegue nas suas mãos.

30 maio 2016

# Resenha 359 // Leitor do trem das 6h27

Oi pessoal, tudo bem?

Acho que este foi o menor livro que li há um bom tempo. São apenas 175 páginas que, no inicio me enganaram. A primeira impressão foi de um livro arrastado e meio perdido. Mas, acabei me surpreendendo. Como vocês conferem na resenha de hoje:

Título: O leitor do trem das 6h27 
Autor: Jean-Paul Didierlaurent
Páginas: 175
Editora: Intrínseca
Livro cedido em parceria com a editora







Sinopse: Operário discreto de uma usina que destrói encalhe de livros, Guylain Vignolles é um solteiro na casa dos trinta anos que leva uma vida monótona e solitária. Todos os dias, esse amante das palavras salva algumas páginas dos dentes de metal da ameaçadora máquina que opera. A cada trajeto até o trabalho, ele lê no trem das 6h27 os trechos que escaparam do triturador na véspera. Um dia, Guylain encontra textos de um misterioso desconhecido que vão fazê-lo buscar cores diferentes para seu mundo e escrever uma nova história para sua vida. 



Guylain Vignolles trabalha com algo um tanto quanto cruel (pelo menos para nós, leitores) ele destrói livros encalhados. Ainda que faça parte do seu dia a dia, Guylain consegue salvar algumas páginas e as leva consigo para ler em voz alta no trem das 6h 27min. É lá que ele vai acabar conquistando as pessoas com as palavras. 

Bom, Guylain é leitor, eu sou leitora, isto foi um motivo suficiente para que eu quisesse ler o livro. Minha primeira surpresa foi com o tamanho do livro, não sabia que o formato dele era tão menor que o livro padrão.

Gostei da leitura, mas precisei ser um pouco insistente para tirar, de fato, o melhor proveito da obra. Como o livro é pequeno e até mais ou menos a página 60, eu estava me sentindo totalmente perdida, fiquei com medo de estar diante de uma leitura desperdiçada. Mas aos poucos as coisas foram melhorando e percebi que estava diante de uma história de amor às palavras.

No final, pude pensar melhor sobre a vida de Guylain e sobre o que ele me ensinou em apenas 175 páginas. E o que posso dizer é que, até os piores dias podem ganhar vida com um pouco de poesia.

O livro é bem humorado e chega a ser reflexivo. A narrativa, feita em terceira pessoa revela um universo singular, repleto de amor e poesia, em que os personagens conseguem ser ordinários, mas, ao mesmo tempo, peculiares.





29 maio 2016

# Top Sunday // Livros que eu reescreveria o final

Oi pessoal, tudo bem?

Sabe aquele livro que a gente ama, mas que adoraríamos reescrever o final? Pois é. Bem vindo (a) ao cllube! Separei três obras que mereciam outro rumo em suas histórias. Vou tentar falar o mínimo possível do porque eu mudaria estes finais, para evitar spoilers para quem não leu, mas... acho que a maioria já terá lido os que aparecem por aqui.

# 3º lugar: Como eu era antes de você



Odeio esse livro. Mesmo. E antes de me julgar, dá uma olhadinha na resenha aqui. Acho que eu explico bem os meus motivos. Dito isso, além de achar o Will um cara bem egoísta, eu transformaria o livro em algo menos deprê e deixaria uma lição de superação.


# lugar: Depois de você




Pois é. Dobradinha da Jojo Moyes, que é uma das autoras que mais me decepciona com os livros, mas que eu insisto em ler. Não desisto de sofrer, né? Já não tinha gostado do primeiro, tentei o segundo e a Louisa me tirou do sério.Com certeza eu daria um jeito nela e, principalmente, no final.



#lugar Harry Potter



Sirius, Lupin, Fred, Tonks e, principalmente, Snape. Não perdoo a J.K por isso. Muito menos por apenas citar   "e fulano morreu". Sem nem ter a sensibilidade de dar uma morte descente para os personagens que eram bem mais que coadjuvantes.