Resenha 391 | Sorrisos Quebrados

Oi gente! 

Aqui é Fernanda e hoje trouxe para vocês a resenha de um livro incrível e muito especial. Vem conferir.

Título: Sorrisos Quebrados
Autora: Sofia Silva
Páginas: 240
Editora: Valentina




Sorrisos Quebrados gira em torno de três personagens: a jovem Paola, a pequena Sol e seu pai, André. Os três são vítimas de violências distintas, que deixaram marcas profundas em cada um. Trata-se de uma história de superação de dores, magia, estrelas e de como importantes laços humanos podem se formar a partir da autoaceitação, da arte e da tolerância no cotidiano.



Sorrisos Quebrados nos conta a história de Paola, vítima de violência doméstica, que deixou marcas profundas. Paola escapou da morte e agora mora em uma clínica e passa os seus dias pintando, coisa que há muito tempo não pode fazer.  Enquanto tenta curar todas as dores ela conhece a pequena Sol e seu pai, André. Sol é uma vencedora assim como Paola, a pequena criança também tenta superar suas dores e encontra em Paola um verdadeiro apoio. André também é uma vítima, mas o seu maior desejo é cuidar de sua filha. 

Esse é um livro que fala sobre violência e seus mais variados níveis e principalmente sobre relacionamentos abusivos. A história de Paola é muito dolorosa e o pior é você perceber que relacionamentos abusivos, como o que ela estava inserida, é uma das coisas mais comuns em nossa sociedade. 


Sorrisos Quebrados nos leva a refletir sobre as pessoas ao nosso redor. Fiquei pensando em muitas pessoas que eu conheço e tentando reconhecer sinais de abuso e em possíveis maneiras de ajudar. 

Paola é de fato uma personagem que ainda esta em processo de cura, ela precisa aceitar sua nova condição e ainda tenta aprender a como se relacionar novamente com as pessoas, quando ela conhece Sol parece que ela ganha uma nova motivação pra viver. Sol é uma criança incrível e ver como ela se relaciona com Paola é fantástico. 

André é um cara que foi muito judiado pela vida e agora ele só pensa em cuidar da sua filha, aos poucos ele começa a se envolver com Paola e faz com que ela se aceite como é, faz com que ela veja como é linda e preciosa, apesar de tudo o que lhe aconteceu. 

Amei o casal, é apaixonante a maneira como eles vão se envolvendo, é bom ver como essa relação é revigorante para os dois. Sofia Silva cria personagens imperfeitos, mas que juntos são magistrais. 

A narrativa do livro é muito cativante e envolvente, sabe aqueles livros que quando você começa a ler não consegue mais parar? É sim um livro doloroso, mas ao mesmo tempo arrebatador e enriquecedor. Esse é um livro que vale todo o tempo dedicado a sua leitura, tem cada frase, cada ensinamento incrível que é de deixar sem palavras. 

"Sorrisos Quebrados" é o tipo de livro que você vai levar pra vida inteira. Terminei a história com aquela sensação de paz de espírito e desejando por mais da história de Paola, André e Sol.



Personagem da Vez | Daisy

Oi, gente, tudo bem?

Dando continuidade a semana especial "Tartarugas até lá embaixo", eu tinha prometido falar mais da Daisy e do porquê a considero a melhor personagem criada pelo John Green.

Preparados?

Ela e Aza se conheceram há muito tempo e são melhores amigas. Daisy Ramirez é totalmente nerd e isso é o que eu mais amo nela porque normalmente a cota de "personagem geek" é sempre ocupada por um homem. Já reparam? Mas nós também gostamos de jogar videogame, assistimos Star Wars, curtimos quadrinhos, lemos/escrevemos fanfics, certo? E a Daisy é tudo isso e mais um pouco. Ela é o elo da Aza com a realidade. Para quem não leu a resenha de "Tartarugas" (corre lá no post de segunda), Aza é a protagonista do livro e sofre com TOC, o que faz com que, muitas vezes, fique presa em seus próprios pensamentos - ou aspirais, como ela mesma chama. Como uma boa melhor amiga, Daisy acalma e encoraja Aza em diversos momentos.

Isso tudo sem contar que Daisy é escritora. Ela é autora de várias fanfics pautadas na tórrida relação de amor entre Rey e Chewbacca. E, sim, ela coleciona fãs e é super conhecida no site em que publica suas histórias.


São de Daisy as melhores tiradas (como por exemplo "Parta corações, mas não quebre promessas"), as ideias mais doidas e aquela palavra sensata que você precisava ouvir mas ninguém teve coragem de dizer. Daisy é uma mescla de todos os personagens que John Green já criou, mas ainda melhor.

Para finalizar, sabe o que é engraçado? Fui pesquisar no Google algumas imagens de meninas nerds que pudessem ilustrar como eu imagino a Daisy. O que eu encontrei ao buscar "garota geek" ou "menina nerd" foi aquele padrão de menina com blusa pra dentro da calça, óculos fundo de garrafa, maria-chiquinha e aparelho. Mas eu imagino a Daisy confiante, sempre com uma blusa de HQs/desenhos com mensagens engraçadas, cabelo grande preparado para ser preso em um coque bem no alto da cabeça e sempre com uma mochila colorida nas costas. Não me lembro do John Green ter descrito a Daisy no livro, mas desde que li o sobrenome dela, a imagino com traços latinos, pele morena e cabelos bem pretos.

Resenha 392 | Tartarugas até lá embaixo

Oi, pessoal, tudo bem?

Nessa semana especial "Tartarugas até lá embaixo", nada melhor que começar com a resenha do livro. Já leram? Querem ler? Estão com medo? Eu conto tudo abaixo.

Livro: Tartarugas até lá embaixo
Autor: John Green
Editora: Intrínseca
Páginas: 256
Livro cedido através da parceria com a editora




Sinopse: Depois de seis anos, milhões de livros vendidos, dois filmes de sucesso e uma legião de fãs apaixonados ao redor do mundo, John Green, autor do inesquecível A culpa é das estrelas, lança o mais pessoal de todos os seus romances: Tartarugas até lá embaixo. A história acompanha a jornada de Aza Holmes, uma menina de 16 anos que sai em busca de um bilionário misteriosamente desaparecido – quem encontrá-lo receberá uma polpuda recompensa em dinheiro – enquanto lida com o transtorno obsessivo-compulsivo (TOC). Repleto de referências da vida do autor – entre elas, a tão marcada paixão pela cultura pop e o TOC, transtorno mental que o afeta desde a infância –, Tartarugas até lá embaixo tem tudo o que fez de John Green um dos mais queridos autores contemporâneos. Um livro incrível, recheado de frases sublinháveis, que fala de amizades duradouras e reencontros inesperados, fan-fics de Star Wars e – por que não? – peculiares répteis neozelandeses.

Foram seis anos de espera por um novo livro daquele que encantou todo mundo com o seu "A culpa é das estrelas".Em "Tartarugas até lá embaixo" John Green fala sobre transtorno obsessivo-compulsivo ao nos apresentar Aza, uma adolescente de 16 anos que morre de medo de todas as bactérias que podem habitar o seu corpo ou daquelas que ela pode adquirir através do contato com outras pessoas. Constantemente ela se vê presa em uma enorme espiral onde se questiona se consegue ou não estar no controle de sua própria vida.

Para ajudá-la a conviver melhor com toda essa insegurança, Aza conta com a ajuda de Daisy (absolutamente a melhor personagem que John Green já escreveu. Vou detalhar melhor abaixo ou/e outro post) Daisy simplesmente escreve fanfics de Star Wars cujo casal principal é ninguém menos que Ray e Chewbacca (POIS É!!). Além da maravilhosa imaginação para escrever histórias na internet, é também de Daisy a ideia de tentar desvendar o desaparecimento de um milionário que estava prestes a ser preso. A recompensa para quem ajudar a encontrá-lo é grande e Daisy tem certeza de que ela e a sua melhor amiga conseguem encontrar alguma pista. 

Por trás dessa aventura, John Green mostra como o TOC pode afetar de diferentes formas o dia-a-dia de quem sofre com isso. Esse é um livro muito pessoal do autor, que também foi diagnosticado com transtornos obsessivos. Mas, se por um lado ele apresente o "problema", John Green também traz a solução ao mostrar que os nossos medos não devem ser capazes de paralisar nossas vidas.

Antissépticos, várias caixas de band-aid, um réptil neozelandês capaz de viver por séculos, referências nerds, o primeiro amor e várias lições de amizade pautam essa história que pode não ser a melhor do John Green, porém, com certeza, é a mais perturbadora.

Senti falta de diálogos memoráveis como os de "A culpa é das estrelas", por exemplo. Terminei o livro sem me lembrar de nenhuma frase marcante. Contudo, uma coisa é certa, a história da Aza é forte e é apresentada de uma forma muito crua (no sentido de falar de uma realidade sem nenhuma maquiagem) e sincera.

Toda a espera valeu a pena.



Resenha 390 | Agora e para sempre, Lara Jean

Oi, pessoal, tudo bem?

Sumida, sim, mas ainda esperançosa de que consigo manter tudo no lugar por aqui.
Hoje vamos falar do livro que encerra a história de Lara Jean, da série "Para todos os garotos que amei". Tem resenha dos anteriores aqui: Para todos os garotos que amei | P.s ainda amo você

Título: Agora e para sempre, Lara Jean
Autor: Jenny Han
Páginas: 336
Editora: Intrínseca
Livro cedido em parceria com a editora


Sinopse: Em Para todos os garotos que já amei, as cartas mais secretas de Lara Jean — aquelas em que se declara às suas paixonites platônicas para conseguir superá-las — foram enviadas aos destinatários sem explicação, e em P.S.: Ainda amo você Lara Jean descobriu os altos e baixos de estar em um relacionamento que não é de faz de conta.
Na surpreendente e emocionante conclusão da série, o último ano de Lara Jean no colégio não podia estar melhor: ela está apaixonadíssima pelo namorado, Peter; seu pai vai se casar em breve com a vizinha, a sra. Rothschild; e sua irmã mais velha, Margot, vai passar o verão em casa. Mas, por mais que esteja se divertindo muito — organizando o casamento do pai e fazendo planos para os passeios de turma e para o baile de formatura —, Lara Jean não pode ignorar as grandes decisões que precisa tomar, e a principal delas envolve a universidade na qual vai estudar. A menina viu Margot passar pelos mesmos questionamentos, e agora é ela quem precisa decidir se vai deixar sua família — e, quem sabe, o amor de sua vida — para trás.
Quando o coração e a razão apontam para direções diferentes, qual deles se deve ouvir?

O que eu vou falar talvez choque um pouco os fãs dessa série, mas  não consegui me apaixonar pelo livro. O que me chamava a atenção nos livros anteriores é que, além de super fofinhos, mostravam uma Lara Jean ainda dependente e muito fechada, que precisa ganhar segurança e lidar com várias situações como o primeiro namorado, a perda de uma pessoa querida, a ida da irmã mais velha para outro país...

A questão é que, mesmo após três livros, Lara Jean continua insegura ( às vezes até um pouco chata) Isso me fez questionar se ela era assim nos livros anteriores e eu não havia notado. "Agora e para sempre" se passa no final de ensino médio, às vésperas da faculdade, e mesmo assim Lara Jean ainda tem comportamentos muito infantis que poderiam ser justificáveis em uma adolescente de 15 anos, mas não em uma pessoa que é quase maior de idade. Veja bem, eu entendo que realmente é uma grande pressão ter que entrar para a faculdade, escolher o curso que provavelmente será a sua profissão para a vida toda, talvez  ter que sair de casa para morar em um campus distante. Eu entendo. Mas além de todas essas dúvidas, Lara Jean não me passou muita maturidade, coisa que a Kitty, irmã mais nova dela, tem em muitas situações.


Admito que foi um pouco difícil ler o livro. Ainda que eu tenha muito carinho pela personagem, afinal eu adorei os livros anteriores, o que mais me incomodou é que Lara Jean prefere agradar as outras pessoas e simplesmente ignora o que é melhor para si. Detesto esse pensamento "mártir" e a falta de atitude dela em alguns momentos. Queria que a Lara Jean se arriscasse mais e saísse da zona de conforto que ela quase nunca sai. 

A história pode ser bem doce, assim como os volumes anteriores, mas é previsível, chega a ser arrastada em algumas partes. Acho que eu me interessaria mais pelo livro se ele abordasse o futuro dos personagens, de repente no final da faculdade. Optar pela trama em um período tão recente foi mais do mesmo. 

Claro que foi bom rever personagens e, principalmente, saborear um pouco mais da escrita da Jenny Han, que sempre vai ser um enorme prazer. O final do livro é muito bom, o que reforça ainda mais o conceito de romantismo. Lara Jean e Peter realmente foram feitos um para o outro. Mas, "Agora e para sempre, Lara Jean" é o típico exemplo de série que não precisava de mais um livro para ficar bom, bastava os dois primeiros. 



10 Coisas Imperdíveis no Atacama

Oi amigos viajantes, tudo bem?

Pensando em ir para o Atacama nas próximas férias? Abaixo vocês vão ver as 10 coisas que vocês não podem perder de forma alguma. O Atacama foi uma das experiências mais maravilhosas da minha vida e foi muito difícil fazer um top 10, mas espero que isso anime vocês a conhecer o que há de melhor no deserto mais seco do Planeta.


10 - Dar um Mergulho nas Lagunas Cejar


O que falar da experiência de mergulhar em uma Lagoa, no meio do deserto? Na verdade você não vai conseguir mergulhar, pois 80% da composição das Lagunas Cejar é Sal e isso faz com que seja impossível mergulhar, apenas flutuar. No inicio dá um pouco de nervoso, mas eu garanto que a experiência vale a muito a pena! Sem contar que você poderá ver toda a paisagem típica do Atacama, com suas montanhas e vulcões no horizonte. Normalmente, no final do passeio, o grupo se reune para ver o pôr do sol e tomar uns bons Pico Sours, é incrivél!

Apenas é preciso ter alguns cuidado.... 1) Não deixar cair água nos olhos; 2) Se você tiver alguma ferida no corpo (corte, arranhão, etc), vai arder bastante, então recomendo colocar algo para impedir o contato direto com a água; 3) Após o "mergulho", se lavar com água doce nos banheiros para evitar queimaduras no sol.


9 - Visitar o Salar de Tara

O Salar de Tara é o local mais inóspito do Atacama e mais longe da Cidade de San Pedro, entretanto, com suas paisagens de magníficas cores e formas, é impossível não se sentir como se estivesse em um outro planeta. É o mais cansativo de todos os passeios, principalmente porque você vai ficar boa parte do tempo em uma altitude de 4500 metro, mas vale muito a pena.


8 - Passar um fim de tarde em San Pedro

Foto: Chile Vivo Tour
A praça da cidade de San Pedro é sempre muito alegre, os moradores locais costumam se juntar para tocar música e dançar. Você pode comprar uma cerveja em algum armazém e aproveitar a tranquilidade do local. A praça possui wi-fi grátis, então também é um bom ponto de encontro para recuperar as energias.


7 - Visitar os geiseres del Tatio

O passeio normalmente sai as 04:30 do hotel, mas tudo isso para garantir o espetáculo pois os Geisers são mais fortes e bonitos ao amanhecer.  O vaporzão e os jatos d'água são mais bonitos enquanto há um contraste entre a temperatura da água e a temperatura ambiente. Prepara-se para tirar lindas fotos e acompanhar um lindo fenômeno da natureza.



6 - Relaxar nas Termas de Puritama


Foto: Rádio Chilena
Na nossa viagem para o Atacama não fizemos esse passeio por conta do frio, entretanto ficou como um motivo para voltar o quanto antes para o Atacama. Nada melhor do que relaxar e tomar alguns drinks em uma "piscina" naturalmente aquecida!


5 - Provar a culinária local

Embora San Pedro seja uma cidade pequena, existem vários restaurantes muito bons como o La Estaka e Adobe. Eu particularmente gostei bastante do Lomo a lo Pobre (Carne com ovo, cebola e batata frita, ou seja, tudo de bom rs). Também não deixem de provar o 3 leches no Estaka, é uma das melhroes sobremesas que já provei.


4 - Pisco Sour


Foto: BBC Good Food

Ok, o Pisco não é uma bebida apenas do Chile, ela é ainda mais popular no Peru. A briga é antiga. Cada país quer para si a "invenção" da bebida. Para vocês terem noção, virou até briga na justiça onde a embaixada do Peru queria que os produtores chilenos não utilizassem o nome "Pisco" em suas garrafas. Mas o que importa é que chilena ou peruana, a bebida é boa pra caramba! E é possível encontrar essa maravilha no Atacama. Mas cuidado, o teor alcoólico, por mais que não pareça, é alto e pode te deixar "alegre" bem rápido.



3 - Admirar o céu do Atacama


Fonte: BBC
Se você vive em uma metrópole, como eu, o céu do Atacama vai lhe supreender muito! É uma das coisas mais lindas que eu já vi. Você enxerga milhares de estrelas ao olho nu e tem uma visão privilegiada da Via Lactea. Como um bonus, recomendo fazer o Tour Astronomico para poder enxergar planetas e estrelas através de vários telescópios!


2- Piedras Rojas

Um dos passeios mais bonitos do Atacama! Você vai se surpreender com as cores que parecem de outro pleneta. A sensação é de estar dentro de uma pintura!



1- Assistir ao pôr-do-sol no Valle de la Luna



Na minha opinião o melhor passeio do Atacama. Sem palavras para descrever a sensação de ver o por do sol no Valle... as cores vão misturando em uma sincronia perfeita e você sente uma paz de espírito... É sensacional!