25 julho 2017

Algumas explicações

Oi pessoal, tudo bem?



Pois é. O blog está bem abandonadinho, né?  A primeira postagem do ano foi feita há dois meses. Logo aqui que tinha post todo o dia. Mas por que isso aconteceu? 

Sempre fiz questão de fazer do blog um grande hobby. Ler era o meu momento de distração. Lia no ônibus, na fila do banco, no metrô, em casa quando chegava do trabalho, na espera pelo atendimento do médico. Mas chega uma hora em que a sua diversão não é mais 100% diversão. É aí que o sinalzinho de alerta começa a apitar.

Ainda amo ler, óbvio, mas a mudança na minha rotina de trabalho fez com que todo o resto se alterasse também. Minha carga horária aumentou e, com isso, o tempo de leitura diminuiu. Livros se tornaram parte do meu trabalho e, quando eu chegava em casa, simplesmente não conseguia mais continuar inserida no mundo literário. Precisava de outra coisa para relaxar já que vejo livros por 8 horas diárias. Fora que tudo o que eu consumia, e ainda consumo, é 80% de uma mesma editora. É impossível manter um blog desta forma. É preciso variedade.

Não sou uma pessoa que faz as coisas pela metade. Então, para evitar o "mais ou menos", é preciso saber a hora de repensar.

Foi triste deixa o blog de lado? Foi. Mas não podia continuar atualizando-o apenas pela necessidade de atualizar, para que ele ficasse em dia. Percebem que foi aí que o hobby estava virando obrigação?

O tempo foi necessário. As parcerias me ocupavam demais e eu só precisava me ausentar. Ainda não me sinto totalmente disposta para voltar para isso aqui. Mas, quem sabe eu não me anime para falar, pelo menos daqueles livros que me marcaram de alguma forma nesse período? 

Outro ponto importante que precisa ficar claro, aproveitando o "post-desabafo". Não é porque o blog não tem atualização que está liberado o uso do conteúdo do mesmo. A imagem do header é minha e só pode ser reproduzida por mim e pela pessoa que a criou. Se você não é uma destas pessoas, evite dores de cabeça e simplesmente não use imagens indevidamente. O mesmo vale para resenhas publicadas neste blog.

Dito tudo isso, vamos em frente aguardando o que ainda está reservado para o "Por uma boa leitura". Independente do que for, tenho certeza de que vai ser o melhor para esse espaço que só me trouxe coisa boa. 

17 maio 2017

# Sessão cinema // Antes que eu vá

Oi gente!

Eu sou a Fernanda do blog Lendo e Esmaltando, e também colunista aqui do Por uma boa leitura e em nome do blog eu fui convidada pela Kel para conferir a pré-estréia do filme Antes que eu vá, um filme baseado no livro de mesmo nome e publicado pela Editora Intrínseca.


Título original: Before I Fall
Distribuidor: Paris Filmes
Direção: Ry Russo-Young
Elenco: Zoey Deutch, Halston Sage, Elena Kampouris e mais.



Samantha Kingston (Zoey Deutch) é uma jovem que tem tudo o que uma jovem pode desejar da vida.. No entanto, essa vida perfeita chega a um final abrupto e repentino no dia 12 de fevereiro, um dia que seria um dia como outro qualquer se não fosse o dia de sua morte. Porém, segundos antes de realmente morrer, ela terá a oportunidade de mudar a sua última semana e, talvez, o seu destino.








Antes que eu vá conta a história da Sam, uma jovem que tem tudo o que poderia desejar, ela tem dinheiro, amigos, um namorado e é super popular na escola. É dia 12 de fevereiro, dia do cupido e tudo o que ela espera é receber muitas flores de vários admiradores, afinal esses números dizem o quanto uma pessoa é popular na escola. Tudo parece ir bem, até que sua vida chega ao fim de uma forma repentina. Mas, Sam agora acorda todos os dias no dia 12 de fevereiro, tentando buscar uma maneira de mudar o destino. 

Primeiramente eu devo dizer que minha opinião aqui irá se basear somente no filme e não na adaptação literária em si, uma vez que eu não li a obra. Logo, não posso elaborar críticas em relação a adaptação. 

Antes que eu vá me fez relembrar a série Os treze porquês, não só pelo tem bullying, mas também pela temática adolescente, mostrando as duas faces da moeda, e não só o lado bom. Adolescentes muitas vezes estão sofrendo com muitas coisas e ninguém é capaz de ajudar. Além disso, muitas vezes o convívio escolar, muitas vezes cruel, acaba por piorar.  

O elenco é bom e fez o filme funcionar, Zoey fez um excelente trabalho e a dor de sua personagem realmente conseguiu pular da tela e impactar o expectador, eu pelo menos fiquei analisando vários momentos da minha vida, assim como a personagem que passa a repensar suas atitudes e tentar consertar as coisas. 






















As amigas de Sam, Ally, Elody e Lindsay são muito unidas e no começo do filme chegamos a nos divertir com o dia-a-dia delas, até perceber que elas formam a típica panelinha das populares que se dizem amiga de todos, mas na verdade são cruéis com muitos. 

O enredo em si é bem interessante e foi muito bem aproveitado ao longo do filme, porém o final deixou a desejar. Lembro que logo quando eu assisti o trailer eu já pensei: "Nossa, vou chorar muito com esse filme" e não foi isso que aconteceu. 

Me emocionei muito em vários momentos do filme, mas nem uma lágrima caiu, muito menos com o final, e eu tive a impressão que ficou faltando um minutinho extra, pra ser capaz de devastar o expectador, afinal é isso que eu espero de um drama, ainda que adolescente. 

A fotografia do filme é linda com muitos cenários incríveis. A trilha sonora bem adequada ao filme e ao público no qual se destina. 

Antes que eu vá, foi um filme forte, emocionante e necessário ao público jovem. As lágrimas que não caíram não me impediram de gostar muito do resultado final. Quem puder assistir, vá! Quem tiver filhos adolescentes, levem-nos.




08 novembro 2016

# Resenha 379 // Belgravia

Oi, pessoal, tudo bem?

Hoje é dia de resenha!





Título: Belgravia
Autora: Julian Fellowes
Editora: Intrínseca
Livro cedido em parceria com a editora

Sinopse: Uma nova saga histórica, fascinante e irresistível, repleta de segredos e escândalos.
Ambientada nos anos 1840, quando os altos escalões da sociedade londrina começam a conviver com a classe industrial emergente, e com um riquíssimo rol de personagens, a saga de Belgravia tem início na véspera da Batalha de Waterloo, em junho de 1815, no lendário baile oferecido em Bruxelas pela duquesa de Richmond em homenagem ao duque de Wellington. Pouco antes de uma da manhã, os convidados são surpreendidos pela notícia de que Napoleão invadiu o país. O duque de Wellington precisa partir imediatamente com suas tropas. Muitos morrerão no campo de batalha ainda vestidos com os uniformes de gala. No baile estão James e Anne Trenchard, um casal que fez fortuna com o comércio. Sua bela filha, Sophia, encanta os olhos de Edmund Bellasis, o herdeiro de uma das famílias mais proeminentes da Bretanha. Um único acontecimento nessa noite afetará drasticamente a vida de todos os envolvidos.

Estamos diante de um romance histórico e o que me chamou a atenção no livro foi 1) ele é escrito por um homem, em meio à milhares de livros assinados por mulheres e 2) É do mesmo autor de Dontown Abby. Já que eu não vejo a série, vamos ler o livro do cara. 

A narrativa se passa na aristocracia londrina, com direito a muita gente metida que só está interessada no status e uma variedade de joguinhos de interesses.No olho deste furação, desta cidade que está vivendo a iminente ameaça de invasão de Napoleão, temos duas famílias: de um lado os Trenchard. Alice só quer ser aceita, mas apesar de ter nascido em uma família rica, não tem título de nobreza. De outro, Bronckenhurst. Edmund, o visconde Bellasis, um charmoso soldado, por quem Alice é apaixonada. 

Décadas se passam e entre as duas famílias só restaram mal-entendidos. Mas uma revelação pode mudar tudo.

O livro é fluido e o autor dá um bom panorama de como era a sociedade da época. Os personagens são bem construídos e a história tem várias reviravoltas. 

É um bom romance de época e me surpreendeu. Belgravia é um pouco diferente dos outros livros do gênero que costumamos ler. Talvez pelo autor ter uma experiência com televisão, ele consegue explorar um pouco mais os dramas. Esse é aquele livro que você consegue ver facilmente uma adaptação.

A edição tá linda demais e este é um daqueles livros que nenhum fã de romance de época pode perder.



# Resenha 378 // Novamente Você

Oi gente ;)

Hoje eu trouxe a resenha de um livro nacional super envolvente e de uma autora que tem escrito livros maravilhosos. Vamos ver o que eu achei do livro Novamente Você?

Título: Novamente Você
Autor: Juliana Parrini
Páginas: 362
Editora: Suma das Letras
Livro cedido em parceria com a editora

Sinopse: Miah Madsen precisa voltar para o lugar que fez questão de esquecer por doze anos e encarar sua família, seus amigos e, inclusive, seu ex-marido. Tudo o que ela não queria era ser novamente a Maria Rita. Mas, ao colocar os pés naquela ilha, ela percebe que aquele lugar seria o seu maior pesadelo. Porém, essa era a sua única opção.
Leonardo Júnior ou Léo, como é chamado por todos, era um caiçara típico que foi abandonado pela esposa de um dia para o outro. Porém, em vez de se entregar ao sofrimento, ele descontou sua mágoa e sua decepção no trabalho árduo, sendo recompensado com o sucesso. Léo se tornou um empresário bem-sucedido, dono da melhor pousada de Ilha Grande, o lugar onde nasceu. O que ele não imaginava é que Maria Rita, sua ex-esposa, voltaria e faria seus alicerces balançarem novamente. Será que podemos nos apaixonar novamente pela mesma pessoa após tantos anos? Afinal, uma mágoa pode mesmo durar para sempre?

Novamente você é um livro que conta a história de Maria Rita, agora mais conhecida como Miah Madsen. Miah acaba de chegar de fora de Brasil, onde viveu por doze anos, ela nunca pensou que um dia fosse voltar a por os pés em Ilha Grande, mas esse dia infelizmente chegou e agora ela vai se deparar com tudo o que ela deixou para trás.  

Logo em sua chegada ela encontra ninguém menos que Leonardo, seu ex-marido. Se antes ele era um simples pescador da vida, ela agora encontra Leonardo como um empresário local muito bem sucedido, que ao invés de se afundar na solidão por ter sido abandonado pela esposa, aproveitou para muda de vida. Maria Rita também encontra dificuldade em lidar com sua família, mas ela precisa resolver todas as pendências do seu passado já não resta outra opção para ela, a não ser se manter na ilha por algum tempo. 

Eu li os dois livros da Juliana Parrini publicados pela mesma editora e realmente amei, fiquei fascinada com sua escrita e não tive dúvidas que gostaria de ler esse novo lançamento. Como já esperado, a autora me conquistou com sua narrativa leve e muito envolvente, foi impossível abandonar a leitura antes de chegar no final. 

























Contudo, nesse livro eu encontrei algumas coisas que me incomodaram um pouco. Eu sou aquele tipo de leitor que aprecia muito uma boa escolha para o nome dos personagens e o que mais me irritou nesse livro foram os nomes compostos, como Leonardo Júnior, acho isso tão novela mexicana. E o pior não é o cara ter esse nome, é as pessoa o chamarem de Leonardo Júnior, sério, quem faz isso na vida real? Ou o cara é Leonardo ou é Junior. Toda hora ficar berrando "LEONARDO JÚNIOR" me irritou completamente. 

Ademais, o livro contém alguns vícios de linguagens e gírias um pouco ultrapassadas. O que me deixou um pouco surpresa, já que os livros anteriores que eu li da autora, não encontrei nada que me incomodasse. 





























A exceção disso, o livro é fantástico, é um dramalhão bem mexicano, mas feito com muito amor e amizade, um enredo bem pensado e que consegue envolver completamente o leitor. Os personagens são ótimos, daqueles tipo amor e ódio, os meus preferidos. O livro também possui uma boa ambientação e eu consegui imaginar tudo, como se eu realmente tivesse mergulhado no livro. 

Eu gostei tanto do livro que por mim a autora poderia lançar um livro de cada personagem, ou até mesmo uma continuação com o mesmo casal, que já virou um dos meus queridinhos. 

A capa despensa qualquer comentário, é além de linda e tem tudo a ver com o enredo. Só tenho a dizer que recomendo muito o livro para quem ama um bom romance. E quero dizer que mal posso esperar por um novo lançamento da Juliana, ela certamente conseguiu me conquistar ainda mais.




26 outubro 2016

# Resenha 377 // Thomas e sua Inesperada Vida Após a Morte

Hello, galera. Vocês gostam de livros infantis? Hoje eu trago a resenha de um incrível. lançado pela Seguinte. Eu adorei a leitura! Espero que gostem da resenha!

Título: Thomas e sua Inesperada Vida Após a Morte // The Acidental Afterlife of Thomas Marsden
Autora: Emma Trevayne 
Páginas: 240
Editora: Seguinte


Sinopse: Roubar túmulos é um negócio arriscado. É, na verdade, um péssimo negócio. Para Thomas Marsden, a partir de uma noite de primavera em Londres (véspera do seu aniversário de doze anos), esse passa a ser um negócio também assustador. Isso porque, deitado em uma cova recente, ele encontra um corpo idêntico ao seu. Esse é apenas o primeiro sinal de que alguma coisa muito esquisita está acontecendo. Muitos outros vêm em seguida, até que Thomas vai parar num mundo estranho, habitado por fadas e espiritualistas, onde a morte é a grande protagonista. Desesperado para conhecer a sua verdadeira história e descobrir de onde vem, Thomas vai ser apresentado à magia e ao ritual, e vai se dar conta de que, de vez em quando, aquilo que faz dele um garoto comum pode torná-lo extraordinário.



Thomas Marsden e sua família vivem de forma humilde. Para conseguirem um pouco de dinheiro e conseguirem se manter por mais um tempo, Thomas e seu pai saqueiam túmulos. Estranho, é verdade, mas os tesouros que eles encontram juntos com os mortos valem a pena e ajudam a manter a família alimentada.

Roubar túmulos é arriscado, mas, certo dia, se torna assustador. Na véspera do seu aniversário de doze anos, Thomas encontra um corpo idêntico ao seu dentro de uma cova. Mas isso é apenas o começo; junto com o corpo, há um bilhete e alguns ingressos para o teatro. A partir daí, a vida de Thomas muda.

Ele descobre que seus pais não são seus pais de verdade; ele foi encontrado no cemitério. Então, talvez, o garoto morto tenha sido seu irmão e o bilhete e os ingressos possam lhe levar às respostas sobre seu passado... Mas a curiosidade de Thomas acaba levando-o a um mundo estranho, cheio de fadas e espiritualistas, no qual o tempo está correndo e Thomas tem um importante papel. Será mesmo que um garoto tão comum quanto Thomas pode ser tão importante?

"A questão é: não é por que uma coisa é estranha que isso significa que ela não seja real."

Thomas e sua Inesperada Vida Após a Morte me pegou de surpresa. Eu não sou muito de ler sinopses, admito... geralmente me interesso em um livro pela capa e MEU DEUS QUE CAPA LINDA. Enfim, eu não esperava nada do que me foi apresentado na trama, mas o livro me surpreendeu positivamente e Emma Trevayne conquistou seu lugar na minha estante.

O protagonista, Thomas, é o típico personagem que eu chamo de "pokémon": ele evolui durante a trama. No começo, Thomas é um garoto bem simples mesmooo. Ele é calmo, obediente, e parece faltar um pouco de personalidade dele; ele próprio parece perceber que falta algo nele. Mas no decorrer da trama, Thomas se mostra um garoto decidido, corajoso e cheio de surpresas.

Já os personagens secundários, apesar de não tão aprofundados, também são ótimos. Talvez pela pouca quantidade de páginas e por ser um livro infantil, mas a autora não focou nos outros personagens e ainda assim conseguiu apresentá-los de forma satisfatória e torná-los interessantes.

Sobre a trama: é maravilhosa. Eu AMO livros com fadas, elfos e etc, então para mim foi incrível ler mais uma história com esses seres. A mitologia é bem trabalhada no livro e a ambientação ficou impecável. O livro não é repleto de magia, mas trás bastante coisa sobre as fadas e seu passado e eu adorei tudo haha

E um grande ponto positivo: a escrita da Emma. Ela escreve maravilhosamente bem; o livro é gostoso de ler e difícil de largar. A escrita dela me conquistou totalmente!

A capa do livro é PERFEITA, como eu já surtei no começo da resenha; a ilustração é linda, com tons maravilhosos e transmite bem o que a história quer passar. Pessoalmente, o livro é ainda mais lindo <3 

Leitura mais que recomendada!